search
top

Entre nós: Livros eróticos, moda passageira?

O livro “50 Tons de Cinza” foi uma grande aposta da editora Intrínseca que se provou ao meu ver uma escolha arriscada e no final uma grande sacada no mundo editorial.

O livro permitiu que o gênero erótico virasse “moda” no mundo literário e como era de se esperar algumas editoras estão surfando nessa onda. A Novo Século e Leya divulgaram seus lançamentos com o mesmo tema intitulados, “Proibida The Black Door” e “Coração de Bilionário” respectivamente.

Ao que posso perceber a mulherada está ficando um pouco mais desinibida e provando que no mundo literário tem gosto pra tudo. Acredito que o mais importante não é o gênero, e sim se o livro tem uma boa história, personagens e trama . E você, concorda comigo?

eroticos500

 

 

Comentários

  1. Beatriz disse:

    Outro dia fui em uma livraria- famosa – e na vitrine fizeram um especial só com livros eróticos. Eu achei isso muito novo e até achei legal. Acho que não deve haver preconceitos. E, tem livros eróticos onde o sexo é só o pano de fundo, onde a estória é realmente bem desenvolvida. 50 Tons de Cinza não é o melhor, mas foi ele que abriu as portas para outros do mesmo gênero virem. E percebi que as pessoas estão perdendo a vergonha de ir numa livraria e comprar um livro erótico. Acho que agora é uma febre, vários títulos sendo lançados com o mesmo tema descontroladamente; mas mesmo depois da febre passar, acho que é um gênero que veio pra ficar.

    • Lucivania disse:

      Pois é Beatriz, não há duvida que 50 tons não é um livro tão bom… minha preocupação é que as pessoas se fixem na ideia de colocar personagens que lembre a Anastásia e o Cristian de 50 Tons. Isso acaba tornando os livros previsíveis, o que é péssimo.

  2. Rodrigo Oliveira disse:

    Essa moda é uma boa. Nada melhor do que mais variedade no mundo literário. 50 Tons não é lá essas coisas, em minha opinião, mas funcionou. Espero que esse gênero se desenvolva mais, deixando um pouco de lado a menininha insegura e desengonçada e o cara bonitão e rico.

  3. Lucivania disse:

    concordo com você Rodrigo! já li alguns títulos no mesmo gênero, mas com uma trama totalmente diferente e que gostei muito! livros como: Midnight Bree, Um vampiro prefere uma Sucubus e por aí vai. sou viciada em vampiros e o tema central era justamente esse.

  4. Letícia Klein disse:

    Concordo contigo, Lucivania. O que importa mesmo é o enredo do livro e seus personagens. O próprio “50 tons” é muito mais sobre relacionamento, adaptação e superação do que sobre sadomasoquismo, que figura apenas como pano de fundo da narrativa.

  5. Jéssica Cristina disse:

    Então, sou amante de livros eróticos a anos e fico feliz em ver que por estar ‘em alta’ novos títulos serão lançados, mas ao mesmo tempo desapontada já que 50 tons foi o estopim literário necessário para que isso acontecesse. Há tantos livros ótimos e com enredos divinos que as cenas mais ‘quentes’ apenas fazem parte da trama e não o tema do livro, o que torna ainda mais gostosa a leitura.

    Ah, e Lucivania se gosta desse gênero e de vampiros leia a Irmandade da Adaga Negra. É incrivel.

Deixe um comentário

top