search
top

[Resenha] O Chamado do Cuco.

Nota do resenhista:  Com um desfecho bem lento, mas um final emocionante. Chega um dos livros mais esperados do ano, “O Chamado do Cuco” de Robert Galbraith.



   Tempo: Para ler em uma semana.

   Finalidade:  Para deixar a curiosidade sempre com você.

   Restrição:  Para quem não gosta de um desfecho lento.

   Princípios ativos:  Policial, Romance, Assassinato, Celebridades, Detetive.


O Chamado do Cuco, de Robert Galbraith.

Lula Landry foi adotada pela família Bristow, uma família muito rica. Negra e muito bonita, teve uma adolescência problemática, se envolveu com drogas e o que piorou mais foi ter sua vida nas mãos de paparazzi, pois descobriu uma carreira de modelo à sua espera. E quando uma pessoa famosa e com tantos problemas assim cai de uma sacada e morre sem ninguém dentro de seu apartamento, é claro que só pode ser suicídio.
Mas seu irmão, John Bristow, tem certeza de que ela foi assassinada. E com esse pensamento procura o detetive particular Cormoran Strike, este que nesses mesmos dias conta com uma nova secretaria temporária, Robin.
O que mais gostei de observar no livro foi a mudança repentina da minha opinião com os personagens. O autor apresenta vários personagens interesseiros e desagradáveis. Desvendar e aprofundar na vida de cada um desses personagens não foi rápido, mas aos poucos o Sr. Galbraith vai apresentando o que realmente cada um dos personagens quer.

A narrativa é bem lenta, deixando o leitor algumas vezes entediado, pois não acontece nada de novo e substancial na investigação. A curiosidade e tensão é muito presente na leitura.

Enquanto a investigação dá seus primeiros passos, nos familiarizamos com Strike e Robin e os vemos construírem sua relação aos poucos. Detetives particulares tendem a serem personagens fortes e solitários e não é sempre que um autor consegue colocar um coadjuvante que faça diferença na historia e narrativa. É por isso que Robin é brilhante. Longe de ser um daqueles companheiros de detetive que estão ali só para estar, Robin traz graça à história. De um trabalho formal em relações públicas, ela passa a ser secretária de detetive e se empolga a cada descoberta de uma maneira que só iniciantes poderiam se empolgar.
Além disso, a resolução é tão simples que me causou certa admiração com o Strike, o que, como sempre, ocorre nos melhores romances policiais. O que começa sendo lento e meio enrolado, se desenrola para se revelar simples. Embora tenha demorado um pouco, o livro me fisgou depois desse final e me deixou com um ar de sorriso no rosto nas últimas páginas e na expectativa de reencontrar Strike e Robin.
O livro é bom e recomendo a todos, mas admito que não cobriu todas as minhas expectativa, pois achei que ficaria totalmente viciada nele e não foi o que aconteceu. Apesar disso, estou esperando a próxima aventura dessa dupla.

Resenhado por [Luana Beltramini Vilela].

447 páginas, Editora Rocco, publicado em ano 2013.
*Título Original: The Cuckoo’s Calling.
*Tradução: Ryta Vinagre

Comentários

  1. Pedro Martins disse:

    Eu comprei o meu exemplar em capa dura, estou esperando chegar! Com certeza sei que vai ser uma história apreensiva!

  2. Janio disse:

    Eu li, ameeeeeeeei esse livro.. J.K. owna de qualquer jeito *-*

Deixe um comentário

top