search
top

[Resenha] Uma mente assassina ainda pode estar á solta.

Nota do resenhista: O que fazer quando os seus piores medos aparecem? Você os enfrenta ou foge deles? E se você tentar fugir e eles o encontrarem? Uma mulher foi obrigada a fugir desde criança de uma ameaça que seu pai via em todo lugar, mas que a polícia nunca considerou. Mesmo após o acidente que causou a morte dele, ela continuou fugindo. Porém, após anos se escondendo, ele a encontrou, mas desta vez não há escapatória. Descubra os segredos por trás de um crime brutal e veja o que fazer contra os seus medos.




   Tempo: 2 a 3 dias.

   Finalidade: Para entreter e refletir.

   Restrição: Para quem não gosta de romances policiais.

   Princípios ativos:  Romance Policial, Investigação, Suspense, Ação.


Esconda-se, de Lisa Gardner.

Quando uma câmara subterrânea com seis cadáveres de garotas mumificadas é encontrada perto de um hospital psiquiátrico, um desses corpos é identificado inicialmente como Annabelle Granger. Porém, Annabelle é uma mulher que está viva, mesmo tendo vivido uma infância muito misteriosa que consistia na súbita mudança de uma cidade para outra, liderada pelo seu pai.

Após essa descoberta, Annabelle participa da investigação junto da famosa detetive D.D. Warren e seu fiel amigo Bobby, com o objetivo de descobrir qual a ligação entre ela e os corpos recém-encontrados, além de outras questões que acercam esse crime brutal.

“Esconda-se” é a continuação do grande sucesso de Lisa Gardner, “Sangue na Neve”. Quero que saibam que não é necessário ter lido o anterior para, enfim, ler este. Como se trata de um livro de mistério/investigação, cada livro nos apresenta um caso totalmente diferente do outro e, portanto, o caso é finalizado no mesmo.

A autora mais uma vez me surpreendeu. Lisa Gardner faz com que você se prenda a história e leia até descobrir o final, que por sinal é muito imprevisível. Ela se define perfeitamente como uma pesquisadora compulsiva, e com razão, pois seu trabalho é simplesmente magnifico. Mais uma vez, ela desenvolveu uma história muito bem detalhada e que foi bem desenvolvida sem nenhuma falha, prova de que foi feita uma pesquisa á fundo sobre o assunto abordado.

O texto é direto, de fácil entendimento e com uma linguagem simples. A escrita da autora continua a mesma dos outros livros, ou seja, você começa a ler e não se dá conta de que página está até ter terminado o livro.

Assim como em “Sangue na Neve” a história é narrada alternadamente entre duas pessoas: o detetive Robert Dodge (mais conhecido como Bobby) e Annabelle, que está ligada ao crime de alguma forma. A narrativa de Annabelle é feita em primeira pessoa, expondo seus sentimentos e pensamento ao leitor, enquanto a narrativa de Bobby é em terceira pessoa.

Os personagens são construídos de uma forma que só Lisa Gardner consegue fazer. Nossos sentimentos quanto aos personagens, principalmente Annabelle, mudam de forma drástica de uma hora para outra. Ela, que sabe tão pouco sobre o seu passado, nos dá a impressão de que está mentindo, mas como a narrativa é em primeira pessoa, fica claro que tudo que ela diz é verdade.

A capa é muito bonita. Ela apresenta uma mulher segurando uma arma (acredito que seja a D.D. Warren), porém não nos dá dica alguma sobre a história. Gostaria que fizessem uma capa diferente, que tivesse alguma ligação com a narrativa intensa do livro, mas apesar disso, gostei, chamou muita a atenção no ônibus e no metro enquanto eu lia.

 Um suspense elaborado de forma única como esse merece ser lido por todos aqueles que gostam de um bom suspense. Estarei aguardando mais livros dessa autora que conseguiu me sequestrar e me mostrar que um livro não precisa ser famoso para ser bom.

Resenhado por [Erik Alexsander].

399 páginas, Editora Novo Conceito, publicado em ano 2013.
*Título Original: Hide.

Comentários

  1. Lucas Moreno disse:

    Fiquei super curioso depois dessa resenha. Desde “Sangue na Neve” pretendo conhecer as histórias da autora, mas o tempo ainda não deixou :(

Deixe um comentário

top