search
top

[Resenha] Os sobreviventes da Esfera

Nota do resenhista: Uma sociedade futurística, onde as guerras foram tão prejudiciais a humanidade que a obrigou a se abrigar no subsolo. Lá, as pessoas criaram uma nova maneira de viver. Mas essa nova maneira parece estar com os dias contados, e um grupo de jovens vai fazer o que puder para acabar com a ameaça de destruição.



   Tempo: Para ler de pouco a pouco em intervalos durante a semana.

   Finalidade: Para ficar na ponta da cadeira.

   Restrição: Para quem não gosta de perder tempo com longas descrições.

   Princípios ativos: Esfera, Distopia, Talento nacional, Sociedade Futurística.


Terras Metálicas, por Renato C. Nonato.

“Para aqueles na Esfera, o céu não existia mais.”

Houve uma Grande Guerra, que transformou a vida na superfície da terra em algo simplesmente impossível. Então, os sobreviventes foram obrigados a viver no subsolo, criando uma barreira de proteção. Essa barreira, uma esfera de metal, é chamada simplesmente de Esfera. Raquel e seus amigos acham que a vida fora da Esfera é algo impossível. Eles acabam descobrindo que o Mainframe (IA que cuida dos sistemas mais importantes da Esfera) apresenta um atraso, o que levará a um completo colapso em 3 anos, consequentemente colocando em risco a vida de todos. Ao mesmo tempo em que eles procuram resolver esse problema, eles se vêem no meio de uma briga entre a Elite e a Facção (grupo que condena a Elite por esconder o problema do mainframe). Assim, entre brigas entre grupos, Raquel e seus amigos tomam a única atitude que eles acreditam que pode ser a salvação da Esfera e de todos que vivem nela.

A primeira coisa que me veio à cabeça quando eu estava começando a ler esse livro foi que era uma distopia, uma gênero da literatura do qual eu nunca fui fã, mas que agora já estou me acostumando. Uma coisa que me chamou atenção desde o início foi essa divisão de classes de acordo com as habilidades de cada pessoa através da implantação de chips. O momento da formatura também me deixou roendo as unhas de antecipação (queria saber qual era o problema de algum deles ser escolhido Exilado). Com capítulos bem fluidos, uma narrativa que prende a atenção e por fazer referências a assuntos bastante atuais na sociedade, eu indico esse livro pra todos. Renato prova que a literatura brasileira atual tem muitos talentos.

Resenhado por Natallie Alcantara.

615 páginas, Editora Novo Século, publicado em ano 2012.

Gostou da resenha de “Terras Metálicas”? Você pode ganhar um exemplar autografado pelo autor Renato Nonato. Para participar é fácil. Basta fazer um comentário nessa resenha, preenchendo todos os campos solicitados, principalmente e-mail (que será preservado).
O sorteio será realizado no dia 12/10/2013 pelo sistema Random.org mediante a escolha aleatória de um número que irá corresponder a um dos comentários. Por exemplo: o primeiro comentário será o número 1, o segundo comentário o número 2, e assim por diante.
O ganhador terá o prazo máximo de 48h, após a divulgação do sorteio, para enviar os seus dados para [email protected]
O envio do prêmio é de responsabilidade do autor.

Comentários

  1. Vinícius disse:

    O livro parece ter uma história bem interessante! Vou ver se leio depois que terminar os de leitura obrigatória!

  2. Luana Laise disse:

    Contando as hrs para começar a ler esse livro *-*

  3. Igor Porfírio disse:

    O livro parece ser bem interessante mesmo! Parabéns ao autor!!

  4. Efraim Rafael de Souza disse:

    Eu percebo que cada vez mais a literatura fantástica no Brasil está crescendo e andando por si, sem ser uma cópia da inglesa ou norte-americana. Parabé[email protected]

  5. tais fernandes disse:

    adoro distopias, mal posso esperar pra ler o livro!

  6. Ana Leme disse:

    Adoro distopias ou histórias que se passam no futuro. “Terras Metálicas” já vai p/ minha lista de futuras leituras :D

Deixe um comentário

top