search
top

[Resenha] Sob a Redoma. Mais um sucesso de Stephen King.

Nota do resenhista: [rating=5]Sob a redoma é um thriller que traz como reflexão a potencialidade das ações humanas para o bem e o mal. Mostra-nos os efeitos que são causados por ficar confinado em um lugar por algo desconhecido e por um tempo indeterminado. Efeitos tanto na questão climática quanto na questão social, pois as pessoas ficam com personalidade totalmente diferente e com os instintos à flor da pele. Uma narrativa emocionante e de tirar o fôlego. É um livro que, definitivamente, nos faz querer ler mais de uma vez.



   Tempo: De 6 a 8 dias.

   Finalidade: Para entreter e refletir.

   Restrição: Para quem não gosta de suspense.

   Princípios ativos: Ficção Científica, suspense e ação.


Sob a Redoma, por Stephen King.

Chester’s Mill é uma simples cidadezinha como outra qualquer, localizada no Maine. De uma forma surpreendente e nada legal, a cidade fica isolada do resto do mundo por um campo de força invisível. Um acontecimento repentino como esse dá lugar a muitos acidentes desde um bando de pássaros mortos com os pescoços quebrados até uma explosão de avião em pleno vôo.

Tudo isso ocorre enquanto uma população assustada e confusa se pergunta sobre o que é essa barreira, de onde ela veio e muitas outras questões que envolvem a aparição desse fenômeno inesperado. Além de terem que lutar para sobreviverem com os únicos suprimentos que eles têm, a população terá que enfrentar as mudanças climáticas que não são nada boas.

E como se a situação já não estivesse ruim, um dos três membros do conselho de vereadores da cidade, conhecido como “Big Jim” Rennie, está se aproveitando da situação atual para dominar a cidade. Porém, Dale Barbara, apelidado de Barbie, é promovido de seu cargo do serviço militar para Coronel, á fim de comandar a cidade e manter a situação sob controle. Big Jim se nega ao ter que renunciar ao cargo, e fará de tudo para manter seu posto, inclusive matar para continuar no poder.

Os efeitos da redoma e das manobras politicas utilizadas por Jim não serão as únicas preocupações que os habitantes de Chester’s Mill terão. E enquanto correm contra o pouco tempo que têm para descobrir a origem da redoma e algum meio de desfazê-la, eles terão que enfrentar a crueldade humana de uma forma nunca vista antes.

Confesso que nunca havia lido algum livro do Stephen King antes. Estava com certo receio de não gostar da história por ser um gênero que, digamos, não seja dos meus favoritos. Este livro me mostrou que aquele velho ditado “Não se deve julgar o livro pela capa” não é um simples ditado. É a mais pura verdade.
O autor desenvolve a história de modo incrível e que faz com que nós nos imaginemos dentro de Chester’s Mill e nas diversas situações. Você não encontra falha alguma, tanto na ortografia quanto na narrativa. De inicio, o texto me pareceu enrolado, mas logo fui me acostumando ao estilo de King. Acredito que fiquei confuso porque nunca li nenhum livro dele antes, então não se preocupem quanto a isto.

A leitura é simplesmente magnifica e a linguagem é fácil de ser compreendida. Ele utiliza meios de interagir com o leitor a partir de coisas que conhecemos muito bem, citando-os na história em determinados momentos.

Os personagens foram muito bem construídos. Cada um com personalidade diferente, forte e marcante, de modo que é difícil você não se lembrar deles. No início do livro vemos uma lista de muitos personagens, isso não é algo com que você tenha de se assustar, pois eles são tão bem definidos que dificilmente você os esquece ou os confunde. Além disso, fica fácil saber quem é quem, pois cada um tem uma função na história, como a lista nos fala.

A narrativa é em terceira pessoa. Há momentos em que animais narram. Esse tipo de narração é tão realisticamente perfeito que nos transmite a idéia de como os animais pensam. Essa é uma forma de narrar que eu nunca havia visto antes e é brilhante. Mais uma coisa que me chamou a atenção é o fato de acontecimentos passados estarem presentes na narração, e acho isso muito bom, pois nós conhecemos melhor os personagens e nos afeiçoamos a eles cada vez mais.

A capa é muito bonita e nos transmite um pouco sobre o que veremos na história. Um bom exemplo disso é o avião em chamas que vemos caído do lado de dentro da redoma. Outro exemplo também é um pequeno cachorro que está observando o lado de fora, já que ele também está do lado de dentro da redoma. Essa imagem na capa nos transmite um ar de isolação e sofrimento tantos dos moradores quanto dos animais. Também é possível ver a pequena cidade de Chester’s Mill ao fundo, já que esta é o local principal da história.

Devo mencionar um ponto que não diria ser negativo, mas muitos á primeira vista acham que é. A questão do tamanho do livro. São quase 1.000 páginas, mas a história se move com uma rapidez espantosa, difícil de parar de ler e quando vai dormir fica com vontade de ler ainda mais. Outra coisa de que não gostei foi a morte de um personagem (que não vou falar para evitar spoiler) que achei muito fraca com relação a muitas outras que ocorrem. Fora isso, eu adorei o livro.

Para aqueles que gostam de séries, tenho uma boa notícia.O livro foi adaptado para uma série com o nome “Under The Dome”, que já está em exibição no canal norte-americano CBS, ainda está na primeira temporada. Porém, ainda sem previsão de estrear aqui no Brasil.

Concluindo, devo dizer que Stephen King ultrapassou minhas expectativas não apenas com Sob a Redoma, mas com certeza com sua fama de exímio escritor. Desejo muito ler os outros sucesso de Stephen King e recomendo este livro á todo mundo que gosta de mistério, ação e ficção.
AVISO: O livro contém muitas cenas fortes de morte e violência.

Resenhado por [Erik Alexsander].

954 páginas, Editora Suma de Letras, publicado em 2012.
*Título Original: Under The Dome.

top