search
top

[Resenha] Cartas de Tolkien a seus filhos.

Nota do resenhista:[rating=5]Para os filhos de Tolkien, o Natal trazia um presente a mais: cartas escritas a mão e belamente ilustradas do Papai Noel. Com sua letra trêmula, ele contava para as crianças as confusões em que ele e o Urso-Polar do Norte, seu primeiro assistente, se metiam. A cada ano, uma novidade. A cada Natal, uma história diferente.



   Tempo: Para ler em um fim de semana.


   Finalidade: Para se divertir.


   Restrição: Para quem não gosta do Natal.


   Princípios ativos: Natal, Cartas, Polo Norte, Papai Noel, Crianças.


Cartas do Papai Noel, de J.R.R. Tolkien.

Em dezembro de 1920, Tolkien começou uma tradição que duraria 23 anos: ele escreveu e ilustrou uma carta do Papai Noel para seu filho John, na época com três anos de idade. A partir de então, até o Natal de 1943, e a cada dezembro, os quatro filhos de Tolkien recebiam um envelope com selo do Pólo Norte e uma carta do Papai Noel, contendo histórias, belamente escritas e ricamente ilustradas. As histórias que o Papai Noel contava para as crianças Tolkien falavam da vida no Polo Norte: das guerras com os trasgos que viviam nas cavernas embaixo da casa; como o Urso-Polar do Norte, uma vez, caiu pelo telhado da casa do Papai Noel na sala de jantar; como ele partiu a Lua em quatro pedaços; e várias outras histórias.

Esse livro é muito lindo, uma leitura perfeita para o Natal. Além de mostrar um pouco da intimidade de J.R.R. Tolkien, o livro é recheado de ilustrações (dos postais e cartas trocadas entre Tolkien e seus filhos). Eu gostei porque até em uma história inocente existe um alfabeto inventado pelo autor. Uma coisa que me chamou a atenção é quando ele lamenta que seus filhos já estejam grandes demais para receberem cartas do Pai Natal, e mesmo assim não desanima. Adorei demais.

Resenhado por Natallie Alcantara.

168 páginas, Editora Martins Fontes, publicado em ano 2012.
*Título Original: Letters from Father Christmas.

top