search
top

[Resenha] O fim do mistério… Talvez não.

Nota do resenhista: Depois de ler livro por livro vendo as meninas sofrendo na mão de “A”, chegou o tão esperado quarto livro, onde finalmente podemos descobrir a identidade da misteriosa “A”. Inacreditáveis é inacreditável.




   Tempo: Para ler de um tiro só no fim de semana.

   Finalidade: Para aprender a tomar cuidado com segredos.

   Restrição: Para quem não gosta de mmistérios e dramas adolescentes.

   Princípios ativos: Mistério, Drama, Adolescete, Segredos, Tragédias.



Inacreditáveis, de Sara Shepard.

No quarto livro da série, as garotas estão quase ficando loucas, “A” está cada vez pior e até em suas próprias casas as nossas mentirosas preferidas não conseguem um pouco de privacidade. Cada vez mais as pistas sobre o assassino de Alison aparecem e as quatro chegam até a desconfiar uma das outras ou de si mesmas.

O livro começa com aquele típico momento do passado, de quando Ali ainda estava viva e sobre a doentia amizade do grupo.

Mas voltando ao presente… Mona, a melhor amiga de Hanna, também começa a receber mensagens ameaçadoras de “A”. Emily viaja para a casa de seus tios e fica sem o celular e com isso fica sem ser aterrorizada por “A”, mas também sem receber noticias de Hanna no hospital. Seus primos conservadores a surpreendem e depois de aprontarem, colocam a culpa em Emily, fazendo com que os tios a mandem de volta para Rosewood.

Sem ter onde morar, Aria não tem outra saída a não ser morar com o pai e Meredith, em um quarto com baratas pintadas. Nesse volume, ela descobre um fato importante sobre “A coisa da Jenna”.

Spencer é finalista do concurso “Orquídea Dourada”, mas não merecia. Sua relação com Melissa está ainda mais complicada. Hanna, em coma no hospital, não se lembra de quem é A e das coisas que aconteceram na festa de Mona. Após sua recuperação, Spencer e Mona se juntam para preparar uma festa em sua homenagem. Mas, é claro, as coisas não dão muito certo.

Além de descobrirmos quem é “A”, também descobrimos o suposto assassino de Alison, apesar de eu achar que foi uma forma de nos deixar confusos encontrada pela autora, mesmo que a pessoa tenha muitos motivos para ter cometido o crime.

O ápice do livro é no final, onde elas descobrem o assassino de Ali e quem é A. Mas, é claro, os mistérios ainda não acabaram. Nos próximos livros, surge uma nova e muito mais misteriosa A, para atormentar as nossas mentirosas e fazerem elas repensarem tudo o que sabiam sobre Ali e seu assassinato.

A narrativa continua como nos outros livros, bem feita e viciante. A edição continua excelente, e dessa vez temos a Emily na capa! Continuo recomendando a todos.

Resenhado por [Luana Beltramini Vilela].

345 páginas, Editora Rocco, publicado em 2011.
*Título Original: Unbelievable.
Tradução: Fal Azevedo

Deixe um comentário

top