search
top

[Resenha] O explosivo final da trilogia Divergente

Nota do resenhista: [rating=3] Se no primeiro livro, ter coragem era saltar do trem em movimento, agora eles precisarão de muito mais para ir até o final dos trilhos e descobrir um mundo além das facções.




   Tempo:  Um final de semana.

   Finalidade:  Para ficar arrepiada com o grande final.

   Restrição:  Para quem é muito ansioso.

   Princípios ativos:  Distopias, romance, ação, aventura.



Convergente, de Veronica Roth.

Depois de revelar um grande segredo sobre as facções, Tris está decidida a ir até o final e descobrir tudo que está por trás da sua sociedade e da sua divergência. Mesmo que isso signifique deixar a segurança do mundo que ela conhece e descobrir o que existe além da linha do trem. Finalmente todas as nossas perguntas serão respondidas, e muitas outras surgirão ao longo da leitura. Veronica conseguiu desmontar tudo que sabíamos sobre a sua Chicago futurística, para que, junto com Tobias e Tris pudéssemos montar as peças de um novo quebra-cabeça.

O grande barato do livro é que a narração não é mais uma exclusividade da Tris, ela divide com Tobias a responsabilidade. Os dois se revezam e é possível ter um outro ponto de vista, o que fez toda a diferença, principalmente por eu não ter muita afeição pela divergente loirinha. E o romance dos dois, que pra mim continua sem química nenhuma, tem a quantidade certa de atenção, não é nem deixado de lado, mas também não é o foco da narração. O que é ótimo, quando há muita ação rolando. E sim, o livro é bastante movimentado, e confesso que em certas partes meu coração acelerou.

Novamente, o livro perde pontos com a repetição, questões que já havíamos entendido, continuam a ser repetidas de novo e de novo, deixando outras que podiam ter sido melhor abordadas de lado. E algumas cenas ficaram apelativas demais, drama desnecessário, principalmente na parte final do livro. Mas como um todo, ele é uma evolução perto de Insurgente, por isso a série recupera uma estrelinha e tem a minha recomendação, embora fique muito atrás de séries despóticas como Feios e Jogos Vorazes.

 Resenhado por Mariana Arantes

526 páginas, Editora Rocco, publicado em 2014.
*Título Original: Allegiant.
Tradução: Lucas Peterson

top