Da queda dos anjos ao crepúsculo do mundo

Da queda dos anjos ao crepúsculo do mundo

Se o Brasil tem um grande motivo para se orgulhar é do crescente desenvolvimento da ficção de qualidade em sua literatura. Cada vez mais vem surgindo jovens com talento comparável aos grandes mestres do gênero fantástico para integrar a lista dos nossos bons escritores.

Hoje trazemos um destaque notável dessa lista às Resenhas do Ish: Eduardo Spohr, com sua consistente narrativa sobre o ápice do embate celestial A Batalha do Apocalipse. Leia a resenha do nosso estreante Rodrigo Oliveira e dê sua opinião sobre a ascensão da ficção brasileira de fantasia nos comentários!

 DICA: Aproveite e não deixe de participar da promoção do livro A Fada, primeira obra em nova edição da romancista – e integrante do Ish – Carolina Munhóz, ganhadora do Prêmio Jovem Escritor 2011 e Destaque Literário 2012!

“A Batalha do Apocalipse”, de Eduardo Spohr

tempoTempo: para ler de pouco a pouco em intervalos durante a semana.
indicacaoFinalidade: para ficar na ponta da cadeira.
restricaoRestrição: para quem tem dificuldade com pontos de vista alternativos.
principioPrincípios ativos: Anjos, Apocalipse, Guerra, Religião, Ficção Fantástica.

barra
Quando Deus parte para seu merecido descanso no Sétimo Dia da Criação, os arcanjos assumem o papel de governar o céu e a terra até que Ele desperte. Entretanto, enciumados com a dádiva que o Senhor concedeu para os humanos – alma dotada de livre-arbítrio –, eles decidem pôr fim a raça dos homens através de grandes catástrofes, mas não obtiveram sucesso. Ao ver tantas mortes, destruição e injustiça, um grupo de celestiais se revoltou contra a tirania dos arcanjos, mas foram denunciados pelo arcanjo Lúcifer – que tempos mais tarde pôs em prática sua própria revolta contra seus irmãos –, sendo assim derrotados e banidos para a Haled (a Terra).

A_BATALHA_DO_APOCALIPSE_1230917562P

O herói da história é Ablon, o Anjo Renegado, que é um dos anjos condenados a vagar pela Haled até o dia do Apocalipse. Em uma de suas viagens pela Terra, ele conhece Shamira, a Feiticeira de En-Dor. Juntos – e às vezes separados – eles participam de várias aventuras perigosas e emocionantes, como, por exemplo, a visita de Ablon ao inferno, morada do temido Lúcifer.

O dia do Apocalipse é marcado por uma batalha sangrenta entre os celestiais, um embate extraordinário digno de um bom livro de ficção. Porém, um dos pontos fortes do livro é que a realidade não é totalmente deixada de lado. Na leitura, vemos que, embora gigantescas catástrofes não tenham conseguido seu intento de dizimar a raça humana, a própria humanidade seria a responsável pela sua destruição através da terceira Grande Guerra: uma impactante e mortal guerra nuclear.

Os extensos flashbacks, que ocupam muitas páginas em vários momentos da narração, talvez sejam, para alguns, o principal defeito do livro. No entanto, a presença dos flashbacks é indispensável para uma melhor compreensão e um melhor envolvimento do leitor com a história.

Eduardo Spohr escreveu um épico livro da literatura ficcional brasileira. Seu estilo detalhista, comparado, por alguns, com o de J.R.R. Tolkien, nos conecta perfeitamente ao enredo. Transporta-nos através da história da humanidade, em uma narração fantástica. Com um início um pouco complicado, um desenvolvimento bem traçado e um final inesperado, A Batalha do Apocalipse é um livro extremamente recomendável.

Resenhado Por Rodrigo Oliveira

586 páginas, Verus Editora, publicado em 2010.

Publicado originalmente em 2007.

Onde Comprar

Sobre o autor

42 Comentários

  1. Noel

    Eu adorei ler A Batalha do Apocalipse, mesmo sendo um pouco cansativo.

    Parabéns ao estreante Rodrigo.

    Responder
    • Rodrigo Oliveira

      Eu também gostei muito de ler o livro. É o melhor livro (brasileiro) de ficção que eu já li. Valeu pelo comentário.

      Responder
  2. Marcio

    Bom, eu ainda nao li esse livro, mas pela resenha do rodrigo, atiçou minha curiosidade pela obra – parabens rodrigo’ otima resenha!

    Responder
    • Rodrigo Oliveira

      Obrigado, Marcio. O livro é muito bom. Leia qualquer dia desses.

      Responder
  3. Washington

    Realmente A Batalha do Apocalipse é um livro adorável. Parabéns Rodrigo!

    Responder
    • Rodrigo Oliveira

      Adorável é uma boa definição, Washington. Valeu e visite sempre o Clube do Livro.

      Responder
  4. Natallie

    Gostei, Rodrigo. Sua resenha é enxuta, não revela nem de mais nem de menos. Confesso que histórias com anjos não me apetecem, mas só pela capa (que me lembra aquelas estátuas do filme Anjos e Demonios) dá pra ficar curiosa. E também é sempre bom valorizar o talento brasileiro. Sua primeira resenha aqui, não é? Que venham mais :)

    Responder
    • Rodrigo Oliveira

      Obrigado, Natallie. Realmente eu procurei não revelar muito sobre o enredo. Afinal de contas, não quero estragar a leitura de ninguém.

      Sim, é minha primeira resenha e eu espero que venham mais. ;)

      Responder
  5. Talita da Graça

    “Seu estilo detalhista, comparado, por alguns, com o de J.R.R. Tolkien, nos conecta perfeitamente ao enredo.”

    Já ouvi pessoas comparando o Eduardo ao autor de O Senhor dos Anéis. Eu não acho tão parecido assim os dois estilos. Na verdade, o estilo do Eduardo Spohr é algo diferente de outras coisas que são publicadas por aí. Eu gostei do livro.

    Responder
    • Rodrigo Oliveira

      Não sei se você percebeu, mas na própria orelha do livro há essa comparação.

      Responder
  6. Katherine Dias

    “Nunca jugue o livro pela capa”. Se você achou a capa épica e muito legal você pode sim jugar o livro pela capa.

    Responder
    • Rodrigo Oliveira

      Concordo, Katherine.

      Responder
  7. Cinthya Oliveira

    Em primeiro lugar, parabens…
    Historia muito interessante..ja estou ansiosa para ler…
    E que seja a primeira de muitas resenhas que voce escreva, seu jeito observador me encanta..
    Tenho muito orgulho de ti.

    Responder
    • Rodrigo Oliveira

      Haha, valeu, Cinthya.

      Responder
  8. Samantha

    A Batalha do Apocalipse está lá na minha estante… Na lista dos desafios de 2013, agora, com essa resenha, fiquei mais interessada em pegá-lo logo!

    Responder
    • Rodrigo Oliveira

      Na primeira metade o livro é realmente um “desafio”, mas fica bem melhor na segunda.

      Responder
  9. Ana Karine Oliveira

    Primeiramente, parabéns ao estreante Rodrigo pela ótima resenha.
    Já ouvi falar deste livro, porém nunca obtive a curiosidade em lê-lo, por não ser muito ligada a esses assuntos. Porém, ao ler esta resenha, principalmente este trecho: “Com um início um pouco complicado, um desenvolvimento bem traçado e um final inesperado”, atiçou uma vontade de conhecer esse ‘final inesperado’ dessa obra tão comentada.

    Responder
    • Rodrigo Oliveira

      É, mas para chegar no “final inesperado” tem que passar pela rua do “início complicado” e pela praça do “desenvolvimento bem traçado”.

      Responder
  10. Mariana Rezende

    Adorei a resenha! Com certeza, este livro irá para a minha lista de aquisições desse ano! Parabéns, Rodrigo. :)

    Responder
    • Rodrigo Oliveira

      Que bom, Mariana.

      Responder
  11. Alberto Lima

    O inesperado sempre acontece; é muito difícil lidar com isso, mas temos irmãos que nunca nos deixarão de lado, seja o que for.

    Responder
  12. Amanda Alves

    Arrasou Rodrigo na sua resenha, concerteza o livro deve ser muito bom…:)

    Responder
    • Rodrigo Oliveira

      Valeu mesmo, Amanda Alves.

      Responder
  13. Amanda Alves

    Esse livro deve ser o máximo, pricipalmente pelas as viagens gigantescas que fazemos quando nos deparamos com uma narração tão fantástica e impactante… :-)

    Responder
  14. Leticia

    Otima resenha, parabens. fiquei curiosa para ler o livro ;]

    Responder
  15. Clara Beatriz

    Olá, adorei sua resenha.
    Amo livros que evolvam anjos, fico imaginando como este livro é, realmente ele deve ser fantástico, ou melhor, épico. Estou extremamente curiosa para ler esse livro e sua resenha me animou muita! Estou ansiosa para saber mais sobre está guerra.

    Responder
  16. VALTIERE

    MUITO BEM RODRIGO OLIVEIRA VOCÊ SABE REALMENTE COMO DESPERTA A CURIOSIDADE DE FUTUROS LEITORES PARA UM DETERMINADO TITULO,QUEM SABE UM DIA VOSSA SENHORIA POSSA FAZER UMA RESENHA EM ESPECIAL. RSRSRSRSRRS

    Responder
  17. Heloisa Lonque

    Frase promocional “A Fada”:
    “E se a tormenta dessa guerra não nos dar a dádiva de parar, minha alma oscilará de encontro a destruição, onde gigantescas fúrias se levantarão, onde os celestiais vencem e prevalecem, onde a humanidade se cala e o inesperado se ergue em um único épico, um embate final “

    Responder
  18. Juliana Santos

    Ler é um viagem.. São tantas viagens já realizadas! O Herói, o vilão, a guerra, a destruição. Diante tantas maravilhosas resenhas, a que mais se destaca em minha humilde opinião é a resenha de “A fada”: Acredito que deve ser uma leitura fantástica! Por isso gostaria, muito, de ganhar o livro, por estar extremamente excitada para le-lô.

    Frase para a promoção de “A Fada”

    Responder
  19. Vanilda Procopio

    Frase para participar da promoção “A Fada”:

    Se está procurando uma história FANTÁSTICA, com GIGANTESCAS aventuras, você precisa ler A BATALHA DO APOCALIPSE, um enredo IMPACTANTE que traz seres CELESTIAIS em um EMBATE que vai deixar você sem fôlego!

    Responder
  20. Yahn Rezende

    A Batalha do Apocalipse foi o livro brasileiro de ficção mais bem escrito já produzido na minha opinião. O modo como o autor desenvolve uma fábula interessantíssima e ao mesmo tempo a amarra com uma trama tão bem traçada que não sobra nem uma ponta solta me impressionou. Mas o que mais me marcou foi o final. A cada capítulo você acredita que o final será um diferente de todos os outros já pensados. E ao chegar no final verdadeiro você é surpreendido por um final totalmente diferente de tudo que havia imaginado. Eduardo Sphor está de parabéns.

    Responder
  21. Juliana Nogueira

    Quando me vi estava diante dA Batalha do
    Apocalipse, onde as mortes anunciadas dos irmãos de alma aconteciam uma a uma como um jogo de peças de dominó!

    Promoção A Batalha do Apocalipse

    Responder
  22. Sidnei Bilnoski Kucla

    Promoção “A Fada”: (frase com no mínimo três das palavras em negrito + “A Batalha do Apocalipse”)

    “Está cansado de histórias de anjos e literatura fantástica? É porque você ainda não leu A Batalha do Apocalipse, de Eduardo Spohr, que conta com um desenvolvimento extremamente impactante, tornando-se um épico da nossa literatura.”

    Responder
  23. Mey

    FRASE:

    A Maior DÁDIVA da HUMANIDADE é ter uma ALMA capaz de fazer VIAGENS maravilhosas e GIGANTESCAS, simplesmente tendo um livro nas mãos.

    Responder
  24. Letícia Klein

    Frase para promoção “A Fada”:

    Quando você está à procura de uma narrativa fantástica para ler, vem o Potterish para te dar a oportunidade de ganhar “A Fada”; porém, o resultado é inesperado: quem sairá vencedor dessa guerra de frases, antes que ela se torne A Batalha do Apocalipse?

    Responder
    • Fátima Oliveira

      Esse comentario é meu,desculpe ai pela bagunça,rsrs..

      Responder
  25. Cinthya Oliveira

    Rodrigo, veja só o que o Tio Adailton achou da sua resenha:

    “Achei a resenha excelente. O Rodrigo tem um facilidade incrível para escrever.

    Teve o cuidado de comentar em termos mais técnicos e de uma forma que deixa o leitor da resenha curioso pela obra e não com o desejo de não lê-la devido já ter lido os pormenores. Este é um cuidado que poucos tem na resenha.
    Muitos acham que resenhar é contar o livro que leu ou o filme que assistiu… Nada disso. Resenhar, é dar uma conotação resumido sobre a obra, sintetizando o conteúdo e deixando clara a mensagem que nos é dada. Exatamente isto que o Rodrigo fez.

    Parabéns para o Rodrigo!!!
    Muto boa!!!”

    Responder
  26. Laís

    Ótimo Livro, no começo realmente é um pouco confuso, porém deixa o leitor preso no enredo, ele instiga, e faz com que devore as páginas ! Parabéns pela resenha Rodrigo Oliveira!

    Responder
    • Rodrigo Oliveira

      Obrigado, Laís!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *