search
top

O que estou lendo

Nota do resenhista[rating=5]Com uma história comovente, incrível e diferente. Dois Rios é um livro incrivelmente bem e feito e muito bom.



   Tempo: Para ler durante a semana.

   Finalidade: Para sempre pensar em suas escolhas.

   Restrição:  Para quem não gosta de dramas familiares.

   Princípios ativos:  Família, Esperança, Tragédia, Preconceito, Liberdade


Dois Rios, de T. Greenwood

Após quase doze anos, Harper Montgomery se muda da casa de amigos e vai morar em um apartamento com sua filha Shelly. Harper é um homem que esconde um segredo obscuro, e vive as sombras da tragédia que levou sua esposa diretamente para a morte, deixando a pequena Shelly recém nascida para criar.

No dia do aniversário de 12 anos de sua filha, Harper vai para seu trabalho, e lá recebe a notícia que um trem descarrilhou em uma curva no rio e estavam precisando de pessoas para socorrer os feridos.

Mas, o que Harper não sabia era que nessa prestação de socorro, sua vida mudaria completamente. Enquanto ele esta ajudando a resgatar os feridos, ele é surpreendido por uma adolescente pedindo socorro.

Maggie é uma garota jovem e esta grávida, ela pede abrigo para Harper. Ele fica com receio de abrigar a jovem, mas acaba ajudando a garota. Após esse gesto coisas inimagináveis vão acontecer na vida de Harper Montgomery, coisas que mudarão sua vida para sempre.

O livro é diferente, não sei exatamente em que, mas sei que é. A escrita da autora é fácil, escreveu frases e personagens bem maduros. A história é intercalada entre o presente e o passado de Harper.

Não estava esperando muito desse livro mas conforme lia mais interessante e legal a historia ficava, me deixando completamente apaixonada pelos personagens.

Os personagens são maduros, Harper é adorável e teve uma vida bastante sofrida, sua filha Shelly esta passando por problemas na adolescência, Maggie é incrível, mesmo com pouca idade ela é muito madura!

Um livro que eu não estava com expectativa, e foi surpreendente! Recomendo a todos!

Resenhado por [Luana Beltramini].

432 páginas, Editora Rocco Novo Conceito, publicado em 2013.
Título original: Two rivers.
Tradução: Rafael Gustavo Spigel.

Nota do resenhista[rating=5]Nessa magnífica história, a trajetória de James e seu gato laranjinha chamado Bob continuam. Os dois são unidos pela amizade e cada um sustenta o outro em momentos complicados e difíceis. Não deixe de acompanhar essas aventuras de um homem e um bichano pra lá de esperto!



   Tempo: Para ler de uma tacada só.

   Finalidade: Para mostrar o quanto temos que correr atrás dos nossos sonhos, e que nada está perdido.

   Restrição:  Para quem não gosta de biografias ou gatos, ou de livros auto-ajuda.

   Princípios ativos: Lição de vida, Fé, Amor, Perseverança, Gatos.


O Mundo pelos Olhos de Bob, de James Bowen.

No primeiro volume da série do gato Bob e seu dono, vemos o quanto a vida de uma pessoa dominada pelas drogas e moradora de rua é difícil. Muitas complicações, momentos difíceis que se passam despercebidos por praticamente toda a sociedade. Nada nem ninguém se dão conta de que essas pessoas são extremamente necessitadas de uma ajuda, uma força, de uma oportunidade para mudar. A sociedade só os julga e os deixa a beira de um precipício. James passou por tudo isso e muito mais, e continua a nos contar no livro “O mundo pelos olhos de Bob”. A amizade dos dois continua mais forte do que nunca, e o laço do amor cada vez maior. Bob resgatou a vida de James do fundo do poço, e encontrou no seu dono um amor especial, que supera todas as barreiras.

O segundo volume da série continua tão bem quanto o primeiro. Ao contrário do primeiro, em que se foca na vida de James e seu passado conturbado, “O mundo pelos olhos de Bob” como o próprio título já diz, vai focar em como Bob ver o mundo. O autor então passa essa experiência para nós não no sentido literal de expor a história como Bob, mas de maneira que nos faça questionar em como Bob vê o mundo. Muitas características pessoais do gato são descritas através de situações que vão de engraçadas a perigosas. O que será que se passa na cabecinha do Bob? O segundo volume complementa o primeiro, pois é necessário a antropomorfização do gato para que possamos perceber o quão importante ele é na vida de James e seu impacto para a recuperação completa e uma mudança de vida radical. O autor nos passa as dúvidas e perguntas que ele tem do quanto Bob é esperto e até que ponto o gato pode fazer mostrando sua inteligência.

É muito notório que ambos possuem uma ligação quase que psíquica, pois em diversos pontos do livro percebemos que um sabe o que o outro passa no momento certo. Esses pequenos momentos nos emocionam a ponto de lágrimas, e quem tem um animalzinho de estimação sabe muito melhor do que ninguém compartilhar essa espécie de ligação. Muitos não dão valor, mas a pureza de um animal na vida de alguém necessitado faz toda diferença, e vemos isso cada vez mais na vida de James, e como tudo mudou depois do gato ter chegado na vida dele. As aventuras continuam, e a vida de James continua a mudar drasticamente para melhor. Os relacionamentos com a família melhoram, a qualidade de vida dele melhora e até mesmo sua situação financeira também, após uma proposta surpreendente feita por certas pessoas. O segundo volume continua tão bom quanto o primeiro, e nos deixa cada vez mais felizes em ver que os dois vãos cada vez melhor, saindo então da difícil vida que é morar e trabalhar nas ruas.

Resenhado por Jnio Almeida.

220 páginas, Editora Novo Conceito, publicado em ano 2014.
*Título Original: The world according to Bob.
Tradução: O mundo pelos olhos de Bob.

Nota do resenhista[rating=5]Helena ama Demétrio, que ama Hérmia, que ama Lisandro. Quando esses quatro jovens apaixonados se encontram na floresta, o rei dos duendes decide ajudá-los, mas o que deveria ser o final feliz se transforma em uma grande confusão de desilusões e descobertas amorosas.



   Tempo: Para ler de um tiro só no final de semana.

   Finalidade: Para se divertir.

   Restrição: Para quem não gosta de triângulos amorosos.

   Princípios ativos:  Romance, Shakespeare, Triângulo amoroso, Feitiço, Flor.


Sonho de uma noite de verão, de William Shakespeare.

Hérmia e Helena sao grandes amigas, mas Demétrio, por quem Helena está apaixonada, ama Hérmia. Esta, por sua vez, ama Lisandro. Outro “fator” contra o romance de Hérmia e Lisandro é o pai dela, que não aprova. Ele queria que ela casasse com Demétrio. Lisandro quer viver o romance, então sugere que eles fujam, mas Hérnia acaba contando sobre sua fuga para Helena, que conta para Demétrio. Assim, os quatro jovens, de maneira tortuosa, acabam se encontrando na floresta, onde habitam seres encantados. Mas a hora é péssima, pois as fadas e os duendes estão em discórdia, e os jovens acabam sofrendo as conseqüências disso. O rei dos Duendes, vendo o amor não correspondido de Helena por Demétrio, manda seu servo usar nele a essência do Amor-Perfeito, uma flor que tinha o poder de fazer a pessoa se apaixonar pela primeira criatura que visse. A confusão começa quando o servo coloca a essência nos olhos da pessoa errada…

Nunca fui fã de Shakespeare. Todas as resenhas de livros do autor que fiz até hoje foram para desafios literários, ou seja, leitura obrigatória. No entanto, sempre tive curiosidade sobre essa história. Nunca havia lido, então foi uma bela surpresa. Na verdade, a primeira vez que soube sobre essa história foi quando lia uma versão dela adaptada para um gibi do Tio Patinhas (Brigitte, apaixonada pelo pão-duro, estava cansada de tentar conquistá-lo. Até Maga Patológica aparecer no caminho dela para lhe entregar a flor poderosa, tudo em um plano para conseguir pegar a moeda número Um do pato milionário). Como tudo relacionado a Disney, eu adorei e procurei saber mais sobre a história. Então adorei o livro. Apesar de estar enjoada de livros com confusões sentimentais, esse estranho triângulo amoroso faz com que o leitor acabe torcendo para todo mundo ficar feliz (o que não é comum em situações como essa…) Recomendo.

Resenhado por Natallie Alcantara.

143 paginas, Editora Martin Claret, publicado em 2005.
*Titulo original: A midsummer night’s dream

Nota do resenhista[rating=5]Depois de uma vida muito sofrida com decepções vindas de todos os lados, Madora Welles acredita que algumas garotas têm sorte, mas ela não. Depois de uma revira volta em sua vida ela sente que precisa se libertar, tanto das pessoas que a cercam, quanto dela mesma.



   Tempo: Para ler e dois dias no máximo.

   Finalidade: Mostrar uma realidade que muitas vezes não enxergamos.

   Restrição: Para quem não gosta de romances trágicos.

   Princípios ativos:  Drama, Romance, Aventura, Tragédias, Suspense.


Adeus à inocência, de Drusilla Campbell.

Madora Welles tinha apenas 12 anos quando seu pai morreu de uma forma bem desagradável, após isso, sua mãe se trancou em seu próprio mundo e esqueceu que tinha uma filha. Sua vida mudou de uma forma radical, até ela conhecer Willis aos 17 anos, um sociopata, que depois do que aconteceu a sua irmã, queria salvar todas as adolescentes perdidas, que viviam no mundo das drogas, porém de um jeito muito estranho. Ela o viu pela primeira vez numa festa, e ele praticamente a salvou. Aparentemente Willis foi o anjo que a resgatou, apesar de algumas objeções de sua mãe, ela se entregou a Willis de corpo e alma, transformando-o na pessoa mais importante da sua vida.

Madora viveu 5 anos com Willis numa casinha no meio do nada, tinha esperança de se casar e ter filhos, no entanto ela descobriu que as coisas não iriam ser bem assim. Ele a deixava sozinha o dia todo e suas únicas companhias era um cachorro pitbul que ela havia salvado chamado Foo, um coelho, e um coiote. Ela perdeu o contato com sua mãe, não tinha mais amigos, seu namorado não a deixava sair de casa sozinha, tinha uma vida solitária, mas nada importava se ela estava com Willis e ele a amava. Um dia Willis levou uma jovem de 16 anos, grávida para sua casa, alegando que estava salvando-a, assim como a salvou, fazendo Madora submeter-se aos caprichos da menina. Nesta mesma época Madora conheceu Django, um menino de 12 anos que apareceu misteriosamente nos arredores de sua casa e tornou-se a única companhia enquanto Willis estava fora. Django acabara de perder seus pais em um acidente de carro, seu pai era um famoso guitarrista que tinha lhe deixado uma grande fortuna, no entanto ela tinha que morar com sua tia, pois seus pais a haviam nomeado tutora.

Assim eles começam uma amizade, Django a faz enxergar o quão vazia é sua vida, e ver o monstro que Willis é, Madora começa a vê-lo com outros olhos. Ela planeja abandoná-lo, mas descobrirá que não vai ser tão fácil se livrar do sociopata que até então ela jurava ser o homem mais perfeito do mundo.

Adeus à inocência é uma história fascinante, com romance, suspense, e um pouco de aventura. Drusilla Campbell, narra uma história que te prende do começo ao fim, mostrando partes de uma realidade, com uma pitada de ficção. Com personagens intrigantes, que perderam sua inocência, de formas tão diferentes, Madora, Willis e Django, são apenas vítimas das circunstâncias, que endureceram e os amadureceram para a vida, e tão cedo, deixando “crescer uma pele que não sangrava tão facilmente como outrora”.

Resenhado por [Luana Laise]

270 páginas, Editora Novo conceito, publicado 2013.
*Título Original: Little Girl Gone.
Tradução: Robson Falcheti Peixoto.

Nota do resenhista[rating=5]Fadas sempre povoaram nossa imaginação. Em parte graças aos contos infantis que nos são contados. Quantas vezes não nos imaginamos entrando no mundo mágico das fadas, vivendo aventuras ao lado dos seres encantados? Quando Bianca resolve mexer com o desconhecido, sua amiga desaparece. Para resgatá-la, ela embarca em uma viagem pelo mundo dos seres encantados, sem saber que o destino lhe reserva uma bela surpresa. O problema é que a viagem pode não ter volta…



   Tempo: Para ler e um tiro só no final de semana.

   Finalidade: Para se emocionar.

   Restrição: Para quem não gosta de perder tempo com coisas moderninhas.

   Princípios ativos: Fadas, Anjos, Esoterismo, Mundo Encantado.


Lua das fadas, de Eddie Van Feu.

Bianca e Analice resolvem brincar com o desconhecido. Em uma bela tarde de primavera, as duas amigas tentam desvendar os mistérios do tabuleiro oui-já. Elas conseguem se comunicar com seres do mundo encantado, mas Bianca só percebe que alguma coisa saiu errada quando ela procura Analice e não a encontra. A polícia é chamada, mas a investigação não resultada em nada, já que até mesmo Bianca não sabe explicar o que aconteceu. Ela pede ajuda aos anjos para encontrar sua amiga. E seu pedido é atendido. Pistas começam a aparecer e um anjo chamado Zacariel aparece para ajudá-la. Ele a instrui e a leva para o mundo dos seres encantados, mas antes de começar a busca, eles precisam encontrar um elixir que fará com que ela volte para casa sem que o tempo tenha passado (o tempo do mundo real é diferente do tempo no mundo encantado). Assim, a busca começa. Zacariel e Bianca passam por vários perigos, ao mesmo tempo em que a menina precisa constantemente ser lembrada que não pertence aquele lugar. Os dias passam e as aventuras constantes acabam aproximando o casal. Bianca descobre a verdadeira identidade do anjo e encontra sua amiga, mas nada sai como o planejado.

Eddie Van Feu é conhecedora de magia, já escreveu vários livros sobre o assunto, e isso está latente na obra. O livro é muito bom e prende a atenção, já que a curiosidade em saber se Bianca vai conseguir voltar pra casa é muita (existem muitas tentações no caminho dela). Além disso, as ilustrações de Caroline Mylius também contribuem pra isso. Duas surpresas boas: a primeira, com a identidade do anjo Zacariel (ou Zac), a segunda com Analice (já que o objeitvo é encontrar a menina e voltar pra casa). O final da história pode não ser o esperado, mas não prejudica o enredo. Uma história muito boa e uma leitura que prende a atenção fazem deste livro uma excelente escolha para os interessados em conhecer o mundo dos seres encantados.

Resenhado por Natallie Alcantara.

271 páginas, Editora Escala, publicado em 2011.

Nota do resenhista[rating=5]

Quem diria que as princesas dos contos de fadas mantinham correspondência entre si… Branca de Neve, Aurora (mais conhecida como Bela Adormecida) e Cinderela se escrevem mutuamente, contando sobre as rotinhas em suas vidas e sobre o futuro que esperam ter ao lado de seus príncipes encantados.



   Tempo: Para ler e um tiro só no final de semana.

   Finalidade: Para rir.

   Restrição: Para quem não gosta e perder tempo com coisas moderninhas.

   Princípios ativos: Princesas, Contos e fadas, Cartas, Leitura brasileira.


O Livro das Cartas Encantadas, de Índigo

Uma fada chamada Gwenhyfar guardou consigo durante séculos a correspondência trocada entre Bela Adormecida, Cinderela e Branca de Neve. Bella (a Bela Adormecida) vive confinada no palácio para que a maldição da fada má não se realize, Cindy vive em um sótão poeirento e é obrigada a virar empregada da madrasta, e Branca foge da própria mãe que queria matá-la por ser a mais bela do reino. Com as datas e localidades de onde foram escritas, as cartas trocadas entre elas (cujos mensageiros eram animais) revelam toda sua intimidade: Bella estava frustrada por viver presa dentro do próprio palácio, Cindy não agüentava mais a vida de criada e Branca passou a viver com os anões depois que aprendeu a lavar e cozinhar para pagar sua “estadia”. Longe do romantismo da Disney, cada uma delas faz de um tudo para buscar seu final feliz.

Um livro impagável. Logo de cara, já existe uma observação da fada guardiã acerca do conteúdo das cartas e do motivo que a levou a guardar. Tais observações são entremeadas com as cartas no intuito de explicar alguns acontecimentos. As princesas que se correspondem, Bela Adormecida, Cinderela e Branca de Neve estão bem longe de serem as mesmas que conhecemos (pintadas na nossa imaginação por Walt Disney). No entanto, a despeito de algumas mudanças bem visíveis, as vidas delas não mudaram nada do que nós já conhecemos. O que chama atenção são as datações e localizações fornecidas em cada carta. Um paralelo legal: todos os locais onde as princesas vivem se encontram na Alemanha, não por acaso, país dos irmãos Grimm. Uma leitura leve e divertida.

Resenhado por Natallie Alcantara

*159 páginas, Editora Brinque-Book, publicado em 2007.

Nota do resenhista[rating=5]

Um homem de meia-idade desenterrando suas memórias de infâncias. De um lado estão às lembranças da doce amiga Lettie Hempstock. Do outro, coisas estranhas que aconteceram quando era criança. “Uma fábula que nos lembra como nossa vida é ditada pelas experiências de infância. O que ganhamos com elas e o preço que pagamos.” Kirkus Rewiews



   Tempo: Para ler de uma sentada só.

   Finalidade: Ter a experiência de entrar na história.

   Restrição: Para quem não gosta de uma boa leitura.

   Princípios ativos: Mistério, Aventura, Elementos fantásticos, Relações familiares.


O Oceano no Fim do Caminho, de Neil Gaiman

O livro traz a história de um homem de meia-idade que retorna ao lugar onde passou sua infância para um funeral, o que acaba trazendo de volta as lembranças de uma série de coisas que aconteceram no período em que ele tinha sete anos. Essa série de acontecimentos tem início quando um homem que alugava um quarto na casa dos pais desse garoto comete suicídio dentro do carro da família. O carro é encontrado numa fazenda que ficava no fim da estrada, próximo a casa da família do garoto, e é nessas circunstâncias que ele conhece Lettie Hempstock, sua mãe e sua avó. O oceano no fim do caminho é uma fábula sobre as experiências da infância e sobre a descoberta da amizade.

Quando me deparei com este livro no expositor de uma livraria, julguei se tratar de um livro sério demais, e no momento não era o tipo de leitura que eu procurava. Ainda assim, a capa desse livro me chamava muito atenção e resolvi lê-lo sem muita expectativa. Mas na verdade, acabei me surpreendendo muito com essa leitura, por quê: 1) Eu não imaginava que o livro fosse conter elementos fantásticos; 2) O livro fala das relações familiares, e em grande parte da amizade; 3) É uma leitura imersiva. O autor te joga pra dentro da trama, ele te coloca como experienciador das situações pelas quais o garoto atravessa.

Uma coisa interessante sobre “O oceano no fim do caminho” é o fato de que o personagem principal não tem nome, dando ao livro um traço autobiográfico. Não é muito difícil identificar-se com essa obra. Trata-se de um livro curto, com uma narrativa fluída. Embora seja um livro adulto, o autor faz uso de elementos fantásticos. O que agrada, e muito, leitores de literatura fantástica, assim como eu, e acredito que também agradará a muitos de vocês.

 

Resenhado por [Aurélio Muniz]

 

208 p., Editora Intrínsica, publicado em 2013.
Título Original: The Ocean at the End of the Lane.

Nota do resenhista[rating=5] Eva, Sharon, Shelley e Alyssa. Quatro gerações de mulheres cuidando de uma loja de vestidos de noivas. Quatro histórias de vida diferentes, que contribuíram para que a loja se tornasse o que é: um local onde as noivas podem encontrar o vestido perfeito para seu momento perfeito.



   Tempo: para ler de um tiro só no fim de semana.

   Finalidade: para se emocionar.

   Restrição: não gosta de histórias de vda.

   Princípios ativos: Noivas, Casamento, Vestido, Amor, Sala Mágica.


O Momento Mágico, de Jeffrey Zaslow

Jeefrey Zaslow pesquisava uma forma de escrever um livro sobre a melhor maneira de pais demonstrarem o amor que sentem por suas filhas. A escolha de ambientar o livro em uma loja de noivas surgiu de uma lembrança de sua mulher, Sherry. A loja escolhida foi a Becker’s Bridal, uma loja popular entre as noivas de Michigan, e sua Sala Mágica, onde as noivas se admiram de todos os ângulos, pois a sala é completamente espelhada. Mais do que uma sala, um local onde a momento mágico de decisão por um vestido acontece.
Ao longo do livro, o autor narra histórias de vida: histórias de noivas e suas famílias, alternando com dados sobre divórcio e casamento. Ele narra a história da loja, de como ela passou de mulher para mulher, ao longo das gerações em uma mesma família, e como essas mulheres transformaram a loja no sucesso que é hoje, além de comentários sobre as mudanças referentes a moda dos vestidos de noiva e sobre a trajetória da experiência feminina, desde o início da loja até hoje.

Um livro emocionante. As histórias de vida de cada uma das oito noivas e suas famílias tocam fundo aquele cantinho emocional. Como são histórias de vida diferentes, é provável que toda mulher consiga se identificar com alguma noiva, com alguma mãe de noiva, com algum pai de noiva… Mesmo o livro se concentrando nessas oito noivas, é através da ligação com outras pessoas que se percebem as histórias de vida das quais se podem tirar lições. Um relato comovente, muito indicado.

Resenhado por Natallie Alcantara

*Título original: The Magical Room
319 páginas, Editora Novo Conceito, publicado em 2013.

Nota do resenhista[rating=5] Quem diria, casamentos arranjados existem até no mundo dos vampiros. Um príncipe vampiro e uma garota americana têm que se casar para manter um pacto que sela a paz entre duas famílias poderosas. O que a garota em questão não sabe é que ela também é uma vampira, uma princesa vampira. E o amor, onde fica? Leiam para descobrir.



   Tempo: para ler de um tiro só no fim de semana.

   Finalidade: para pensar.

   Restrição: não gosta de perder tempo com coisas moderninhas.

   Princípios ativos: Realeza, Vampiros, Adolescentes, Romance, Aliança.


Como se livrar de um vampiro apaixonado (Beth Fantaskey)

Jessica Packwood é uma adolescente normal que vive uma vida normal no interior da Pensilvânia e cujos objetivos eram vencer a olimpíada de matemática, se formar na escola e ganhar uma bolsa pra faculdade. Ah, Jéssica também queria muito namorar seu colega Jake Zinn. Em mais um dia de escola, no que ela achava que seria uma aula normal de Literatura Inglesa, ela conhece o aluno novo, Lucius Vladescu. Alto, com uma voz profunda, lindo de morrer e muito bem vestido, Lucius, no entanto, não é um jovem comum. Nascido na Romênia foi criado para ser o príncipe de sua raça. E de repente, a vida de Jéssica vira de ponta cabeça. Por quê? Simplesmente pelo fato de Lucius reclamá-la como sua princesa prometida em casamento. Para união de seu povo… vampírico.
A partir daí, Jéssica descobre ser na verdade, Antanasia Dragomir, última de um clã muito poderoso de vampiros. Lucius, descendente do clã Vladescus, deve ser seu marido para que a paz finalmente reine entre os clãs, em guerra há muito tempo. Decidido a conquistá-la e contando com a “compreensão” dos Packwood, pais adotivos de Jéssica, Lucius hospeda-se na casa dela como um estudante de intercâmbio e gruda-se a ela na escola, humilhando todos que a maltratam e a defendendo sempre que preciso.
A convivência entre ambos evolui. Jéssica passa a entender melhor Lucius, mesmo ainda duvidando sobre a “questão dos vampiros”, enquanto ele começa a se encantar com o estilo de vida local. Sempre insistindo no tal pacto de unificação dos clãs, Lucius interrompe o quanto pode os flertes de Jéssica e Jake, mas quando percebe que sua viagem pode ter sido em vão e considerando a felicidade dela, Lucius desiste do pacto. Ao mesmo tempo, Jéssica sofre uma transformação e se auto descobre, passando a aceitar sua própria história e começando a entender que ser esposa de Lucius não seria o pior dos destinos. E agora?
Nesse momento, as coisas começam a acontecer muito rápido: Lucius comunica aos vampiros anciões sua decisão de não mais cumprir o pacto e os adolescentes da escola de Jéssica começam a tomar conhecimento do quão estranho Lucius pode ser. Após um breve confronto, Jéssica, com a ajuda de seu tio vampiro, vai para a Romênia em busca de Lucius na esperança de fazê-lo cumprir o pacto. Nem mesmo a frieza dele a dissuade de seu objetivo. Será que Jéssica, agora princesa Antanasia, conseguirá fazer com que o lado bom de seu príncipe aflore? Ou será que Lucius está irremediavelmente destruído pelas armações de seu ambicioso tio?

Um livro muito legal de se ler. À primeira vista, pode parecer mais um Crepúsculo, mas não, apesar de algumas semelhanças. Jéssica ou Antanasia é muito engraçada. O estresse dela com Lucius e sua descrença são bastante divertidos. Já Lucius… Desde o primeiro momento, um personagem cativante. Ele é romântico e cavalheiro sem ser piegas. Sua tentativa de salvá-la, seu alívio por reencontrá-la, querendo e ao mesmo tempo evitando esse reencontro, e sua entrega total à Jéssica fazem o leitor se apaixonar por esse casal.

P.S.: A autora escreveu 21 capítulos e um epílogo extras desse livro. Para ler os capítulos, traduzidos pela editora Sextante, é só clicar aqui:
http://www.sextante.com.br/vampiroapaixonado/casamento/casamento1.php

Resenhado por Natallie Alcantara

*Título original: Jessica’s guide to dating on the dark side
304 páginas, Editora Sextante, publicado em 2010.

Nota do resenhista[rating=3] Para quem viu o filme vai se assustar ao ler o livro. Totalmente diferente mas mantendo a linha de ser fofo e bonitinho e não deixou de ser uma história lindíssima ,porém, com pontos cruciais para ser um livro que não entre nos top 10.



   Tempo: 1 dia

   Finalidade: quem gosta de romance

   Restrição: para quem não curte muito romance

   Princípios ativos: Biografia, Carpenter, Krickitt, saúde, romance.


Para sempre, de Kim e Krickitt Carpenter.

Para Sempre conta a história verídica de Kim e Kim e Krickitt Carpenter. No primeiro capítulo ficamos sabendo como eles se conheceram. kim Carpenter é treinador de beisebol da universidade Highlands. Ao telefonar para Jammin Sportswear para saber mais sobre as jaquetas de treinador, conhece Krickitt e logo se encanta com sua voz. Nos próximos capítulos, vemos como eles chegam a um nível de amizade e marcam um encontro. Então Kim se apaixona por Krickitt
Nos capítulos seguintes, iremos chegar ao casamento e logo após 2 meses de casados se envolvem num acidente de carro aonde Krikitt tem sérios ferimentos cerebrais e perde a memória. Não se lembrando da parte da sua vida recente. Nesse momento passamos a sentir o desespero e tristeza de Kim ao saber que sua esposa não se lembra que ele é seu marido.
O único jeito de ter uma vida feliz ao lado da mulher que ama é conquistando-a novamente. E então percebemos o poder que o amor verdadeiro tem.
Uma história lindíssima, porém super mal contada. O livro tem a pegada de ser fofo e bonito por falar de uma história deste tipo, mas não te prende e também não te faz suspirar. O bom que é super fino e pela primeira vez o filme me encantou muito mais do que o livro.

Resenhado por [Mariana Bittencourt].

144 paginas, Editora Novo Conceito, publicado em ano 2013.
*Título Original: The vow
Tradução: Ivar Panazzolo Júnior


Resenhas

Nota do resenhista[rating=5]Com uma história comovente, incrível e diferente. Dois Rios é um livro incrivelmente bem e feito e muito bom.



   Tempo: Para ler durante a semana.

   Finalidade: Para sempre pensar em suas escolhas.

   Restrição:  Para quem não gosta de dramas familiares.

   Princípios ativos:  Família, Esperança, Tragédia, Preconceito, Liberdade


Dois Rios, de T. Greenwood

Após quase doze anos, Harper Montgomery se muda da casa de amigos e vai morar em um apartamento com sua filha Shelly. Harper é um homem que esconde um segredo obscuro, e vive as sombras da tragédia que levou sua esposa diretamente para a morte, deixando a pequena Shelly recém nascida para criar.

No dia do aniversário de 12 anos de sua filha, Harper vai para seu trabalho, e lá recebe a notícia que um trem descarrilhou em uma curva no rio e estavam precisando de pessoas para socorrer os feridos.

Mas, o que Harper não sabia era que nessa prestação de socorro, sua vida mudaria completamente. Enquanto ele esta ajudando a resgatar os feridos, ele é surpreendido por uma adolescente pedindo socorro.

Maggie é uma garota jovem e esta grávida, ela pede abrigo para Harper. Ele fica com receio de abrigar a jovem, mas acaba ajudando a garota. Após esse gesto coisas inimagináveis vão acontecer na vida de Harper Montgomery, coisas que mudarão sua vida para sempre.

O livro é diferente, não sei exatamente em que, mas sei que é. A escrita da autora é fácil, escreveu frases e personagens bem maduros. A história é intercalada entre o presente e o passado de Harper.

Não estava esperando muito desse livro mas conforme lia mais interessante e legal a historia ficava, me deixando completamente apaixonada pelos personagens.

Os personagens são maduros, Harper é adorável e teve uma vida bastante sofrida, sua filha Shelly esta passando por problemas na adolescência, Maggie é incrível, mesmo com pouca idade ela é muito madura!

Um livro que eu não estava com expectativa, e foi surpreendente! Recomendo a todos!

Resenhado por [Luana Beltramini].

432 páginas, Editora Rocco Novo Conceito, publicado em 2013.
Título original: Two rivers.
Tradução: Rafael Gustavo Spigel.

Nota do resenhista[rating=5]Nessa magnífica história, a trajetória de James e seu gato laranjinha chamado Bob continuam. Os dois são unidos pela amizade e cada um sustenta o outro em momentos complicados e difíceis. Não deixe de acompanhar essas aventuras de um homem e um bichano pra lá de esperto!



   Tempo: Para ler de uma tacada só.

   Finalidade: Para mostrar o quanto temos que correr atrás dos nossos sonhos, e que nada está perdido.

   Restrição:  Para quem não gosta de biografias ou gatos, ou de livros auto-ajuda.

   Princípios ativos: Lição de vida, Fé, Amor, Perseverança, Gatos.


O Mundo pelos Olhos de Bob, de James Bowen.

No primeiro volume da série do gato Bob e seu dono, vemos o quanto a vida de uma pessoa dominada pelas drogas e moradora de rua é difícil. Muitas complicações, momentos difíceis que se passam despercebidos por praticamente toda a sociedade. Nada nem ninguém se dão conta de que essas pessoas são extremamente necessitadas de uma ajuda, uma força, de uma oportunidade para mudar. A sociedade só os julga e os deixa a beira de um precipício. James passou por tudo isso e muito mais, e continua a nos contar no livro “O mundo pelos olhos de Bob”. A amizade dos dois continua mais forte do que nunca, e o laço do amor cada vez maior. Bob resgatou a vida de James do fundo do poço, e encontrou no seu dono um amor especial, que supera todas as barreiras.

O segundo volume da série continua tão bem quanto o primeiro. Ao contrário do primeiro, em que se foca na vida de James e seu passado conturbado, “O mundo pelos olhos de Bob” como o próprio título já diz, vai focar em como Bob ver o mundo. O autor então passa essa experiência para nós não no sentido literal de expor a história como Bob, mas de maneira que nos faça questionar em como Bob vê o mundo. Muitas características pessoais do gato são descritas através de situações que vão de engraçadas a perigosas. O que será que se passa na cabecinha do Bob? O segundo volume complementa o primeiro, pois é necessário a antropomorfização do gato para que possamos perceber o quão importante ele é na vida de James e seu impacto para a recuperação completa e uma mudança de vida radical. O autor nos passa as dúvidas e perguntas que ele tem do quanto Bob é esperto e até que ponto o gato pode fazer mostrando sua inteligência.

É muito notório que ambos possuem uma ligação quase que psíquica, pois em diversos pontos do livro percebemos que um sabe o que o outro passa no momento certo. Esses pequenos momentos nos emocionam a ponto de lágrimas, e quem tem um animalzinho de estimação sabe muito melhor do que ninguém compartilhar essa espécie de ligação. Muitos não dão valor, mas a pureza de um animal na vida de alguém necessitado faz toda diferença, e vemos isso cada vez mais na vida de James, e como tudo mudou depois do gato ter chegado na vida dele. As aventuras continuam, e a vida de James continua a mudar drasticamente para melhor. Os relacionamentos com a família melhoram, a qualidade de vida dele melhora e até mesmo sua situação financeira também, após uma proposta surpreendente feita por certas pessoas. O segundo volume continua tão bom quanto o primeiro, e nos deixa cada vez mais felizes em ver que os dois vãos cada vez melhor, saindo então da difícil vida que é morar e trabalhar nas ruas.

Resenhado por Jnio Almeida.

220 páginas, Editora Novo Conceito, publicado em ano 2014.
*Título Original: The world according to Bob.
Tradução: O mundo pelos olhos de Bob.

Nota do resenhista[rating=5]Helena ama Demétrio, que ama Hérmia, que ama Lisandro. Quando esses quatro jovens apaixonados se encontram na floresta, o rei dos duendes decide ajudá-los, mas o que deveria ser o final feliz se transforma em uma grande confusão de desilusões e descobertas amorosas.



   Tempo: Para ler de um tiro só no final de semana.

   Finalidade: Para se divertir.

   Restrição: Para quem não gosta de triângulos amorosos.

   Princípios ativos:  Romance, Shakespeare, Triângulo amoroso, Feitiço, Flor.


Sonho de uma noite de verão, de William Shakespeare.

Hérmia e Helena sao grandes amigas, mas Demétrio, por quem Helena está apaixonada, ama Hérmia. Esta, por sua vez, ama Lisandro. Outro “fator” contra o romance de Hérmia e Lisandro é o pai dela, que não aprova. Ele queria que ela casasse com Demétrio. Lisandro quer viver o romance, então sugere que eles fujam, mas Hérnia acaba contando sobre sua fuga para Helena, que conta para Demétrio. Assim, os quatro jovens, de maneira tortuosa, acabam se encontrando na floresta, onde habitam seres encantados. Mas a hora é péssima, pois as fadas e os duendes estão em discórdia, e os jovens acabam sofrendo as conseqüências disso. O rei dos Duendes, vendo o amor não correspondido de Helena por Demétrio, manda seu servo usar nele a essência do Amor-Perfeito, uma flor que tinha o poder de fazer a pessoa se apaixonar pela primeira criatura que visse. A confusão começa quando o servo coloca a essência nos olhos da pessoa errada…

Nunca fui fã de Shakespeare. Todas as resenhas de livros do autor que fiz até hoje foram para desafios literários, ou seja, leitura obrigatória. No entanto, sempre tive curiosidade sobre essa história. Nunca havia lido, então foi uma bela surpresa. Na verdade, a primeira vez que soube sobre essa história foi quando lia uma versão dela adaptada para um gibi do Tio Patinhas (Brigitte, apaixonada pelo pão-duro, estava cansada de tentar conquistá-lo. Até Maga Patológica aparecer no caminho dela para lhe entregar a flor poderosa, tudo em um plano para conseguir pegar a moeda número Um do pato milionário). Como tudo relacionado a Disney, eu adorei e procurei saber mais sobre a história. Então adorei o livro. Apesar de estar enjoada de livros com confusões sentimentais, esse estranho triângulo amoroso faz com que o leitor acabe torcendo para todo mundo ficar feliz (o que não é comum em situações como essa…) Recomendo.

Resenhado por Natallie Alcantara.

143 paginas, Editora Martin Claret, publicado em 2005.
*Titulo original: A midsummer night’s dream

Nota do resenhista[rating=5]Depois de uma vida muito sofrida com decepções vindas de todos os lados, Madora Welles acredita que algumas garotas têm sorte, mas ela não. Depois de uma revira volta em sua vida ela sente que precisa se libertar, tanto das pessoas que a cercam, quanto dela mesma.



   Tempo: Para ler e dois dias no máximo.

   Finalidade: Mostrar uma realidade que muitas vezes não enxergamos.

   Restrição: Para quem não gosta de romances trágicos.

   Princípios ativos:  Drama, Romance, Aventura, Tragédias, Suspense.


Adeus à inocência, de Drusilla Campbell.

Madora Welles tinha apenas 12 anos quando seu pai morreu de uma forma bem desagradável, após isso, sua mãe se trancou em seu próprio mundo e esqueceu que tinha uma filha. Sua vida mudou de uma forma radical, até ela conhecer Willis aos 17 anos, um sociopata, que depois do que aconteceu a sua irmã, queria salvar todas as adolescentes perdidas, que viviam no mundo das drogas, porém de um jeito muito estranho. Ela o viu pela primeira vez numa festa, e ele praticamente a salvou. Aparentemente Willis foi o anjo que a resgatou, apesar de algumas objeções de sua mãe, ela se entregou a Willis de corpo e alma, transformando-o na pessoa mais importante da sua vida.

Madora viveu 5 anos com Willis numa casinha no meio do nada, tinha esperança de se casar e ter filhos, no entanto ela descobriu que as coisas não iriam ser bem assim. Ele a deixava sozinha o dia todo e suas únicas companhias era um cachorro pitbul que ela havia salvado chamado Foo, um coelho, e um coiote. Ela perdeu o contato com sua mãe, não tinha mais amigos, seu namorado não a deixava sair de casa sozinha, tinha uma vida solitária, mas nada importava se ela estava com Willis e ele a amava. Um dia Willis levou uma jovem de 16 anos, grávida para sua casa, alegando que estava salvando-a, assim como a salvou, fazendo Madora submeter-se aos caprichos da menina. Nesta mesma época Madora conheceu Django, um menino de 12 anos que apareceu misteriosamente nos arredores de sua casa e tornou-se a única companhia enquanto Willis estava fora. Django acabara de perder seus pais em um acidente de carro, seu pai era um famoso guitarrista que tinha lhe deixado uma grande fortuna, no entanto ela tinha que morar com sua tia, pois seus pais a haviam nomeado tutora.

Assim eles começam uma amizade, Django a faz enxergar o quão vazia é sua vida, e ver o monstro que Willis é, Madora começa a vê-lo com outros olhos. Ela planeja abandoná-lo, mas descobrirá que não vai ser tão fácil se livrar do sociopata que até então ela jurava ser o homem mais perfeito do mundo.

Adeus à inocência é uma história fascinante, com romance, suspense, e um pouco de aventura. Drusilla Campbell, narra uma história que te prende do começo ao fim, mostrando partes de uma realidade, com uma pitada de ficção. Com personagens intrigantes, que perderam sua inocência, de formas tão diferentes, Madora, Willis e Django, são apenas vítimas das circunstâncias, que endureceram e os amadureceram para a vida, e tão cedo, deixando “crescer uma pele que não sangrava tão facilmente como outrora”.

Resenhado por [Luana Laise]

270 páginas, Editora Novo conceito, publicado 2013.
*Título Original: Little Girl Gone.
Tradução: Robson Falcheti Peixoto.

Nota do resenhista[rating=5]Fadas sempre povoaram nossa imaginação. Em parte graças aos contos infantis que nos são contados. Quantas vezes não nos imaginamos entrando no mundo mágico das fadas, vivendo aventuras ao lado dos seres encantados? Quando Bianca resolve mexer com o desconhecido, sua amiga desaparece. Para resgatá-la, ela embarca em uma viagem pelo mundo dos seres encantados, sem saber que o destino lhe reserva uma bela surpresa. O problema é que a viagem pode não ter volta…



   Tempo: Para ler e um tiro só no final de semana.

   Finalidade: Para se emocionar.

   Restrição: Para quem não gosta de perder tempo com coisas moderninhas.

   Princípios ativos: Fadas, Anjos, Esoterismo, Mundo Encantado.


Lua das fadas, de Eddie Van Feu.

Bianca e Analice resolvem brincar com o desconhecido. Em uma bela tarde de primavera, as duas amigas tentam desvendar os mistérios do tabuleiro oui-já. Elas conseguem se comunicar com seres do mundo encantado, mas Bianca só percebe que alguma coisa saiu errada quando ela procura Analice e não a encontra. A polícia é chamada, mas a investigação não resultada em nada, já que até mesmo Bianca não sabe explicar o que aconteceu. Ela pede ajuda aos anjos para encontrar sua amiga. E seu pedido é atendido. Pistas começam a aparecer e um anjo chamado Zacariel aparece para ajudá-la. Ele a instrui e a leva para o mundo dos seres encantados, mas antes de começar a busca, eles precisam encontrar um elixir que fará com que ela volte para casa sem que o tempo tenha passado (o tempo do mundo real é diferente do tempo no mundo encantado). Assim, a busca começa. Zacariel e Bianca passam por vários perigos, ao mesmo tempo em que a menina precisa constantemente ser lembrada que não pertence aquele lugar. Os dias passam e as aventuras constantes acabam aproximando o casal. Bianca descobre a verdadeira identidade do anjo e encontra sua amiga, mas nada sai como o planejado.

Eddie Van Feu é conhecedora de magia, já escreveu vários livros sobre o assunto, e isso está latente na obra. O livro é muito bom e prende a atenção, já que a curiosidade em saber se Bianca vai conseguir voltar pra casa é muita (existem muitas tentações no caminho dela). Além disso, as ilustrações de Caroline Mylius também contribuem pra isso. Duas surpresas boas: a primeira, com a identidade do anjo Zacariel (ou Zac), a segunda com Analice (já que o objeitvo é encontrar a menina e voltar pra casa). O final da história pode não ser o esperado, mas não prejudica o enredo. Uma história muito boa e uma leitura que prende a atenção fazem deste livro uma excelente escolha para os interessados em conhecer o mundo dos seres encantados.

Resenhado por Natallie Alcantara.

271 páginas, Editora Escala, publicado em 2011.

Nota do resenhista[rating=5]

Quem diria que as princesas dos contos de fadas mantinham correspondência entre si… Branca de Neve, Aurora (mais conhecida como Bela Adormecida) e Cinderela se escrevem mutuamente, contando sobre as rotinhas em suas vidas e sobre o futuro que esperam ter ao lado de seus príncipes encantados.



   Tempo: Para ler e um tiro só no final de semana.

   Finalidade: Para rir.

   Restrição: Para quem não gosta e perder tempo com coisas moderninhas.

   Princípios ativos: Princesas, Contos e fadas, Cartas, Leitura brasileira.


O Livro das Cartas Encantadas, de Índigo

Uma fada chamada Gwenhyfar guardou consigo durante séculos a correspondência trocada entre Bela Adormecida, Cinderela e Branca de Neve. Bella (a Bela Adormecida) vive confinada no palácio para que a maldição da fada má não se realize, Cindy vive em um sótão poeirento e é obrigada a virar empregada da madrasta, e Branca foge da própria mãe que queria matá-la por ser a mais bela do reino. Com as datas e localidades de onde foram escritas, as cartas trocadas entre elas (cujos mensageiros eram animais) revelam toda sua intimidade: Bella estava frustrada por viver presa dentro do próprio palácio, Cindy não agüentava mais a vida de criada e Branca passou a viver com os anões depois que aprendeu a lavar e cozinhar para pagar sua “estadia”. Longe do romantismo da Disney, cada uma delas faz de um tudo para buscar seu final feliz.

Um livro impagável. Logo de cara, já existe uma observação da fada guardiã acerca do conteúdo das cartas e do motivo que a levou a guardar. Tais observações são entremeadas com as cartas no intuito de explicar alguns acontecimentos. As princesas que se correspondem, Bela Adormecida, Cinderela e Branca de Neve estão bem longe de serem as mesmas que conhecemos (pintadas na nossa imaginação por Walt Disney). No entanto, a despeito de algumas mudanças bem visíveis, as vidas delas não mudaram nada do que nós já conhecemos. O que chama atenção são as datações e localizações fornecidas em cada carta. Um paralelo legal: todos os locais onde as princesas vivem se encontram na Alemanha, não por acaso, país dos irmãos Grimm. Uma leitura leve e divertida.

Resenhado por Natallie Alcantara

*159 páginas, Editora Brinque-Book, publicado em 2007.

Nota do resenhista[rating=5]

Um homem de meia-idade desenterrando suas memórias de infâncias. De um lado estão às lembranças da doce amiga Lettie Hempstock. Do outro, coisas estranhas que aconteceram quando era criança. “Uma fábula que nos lembra como nossa vida é ditada pelas experiências de infância. O que ganhamos com elas e o preço que pagamos.” Kirkus Rewiews



   Tempo: Para ler de uma sentada só.

   Finalidade: Ter a experiência de entrar na história.

   Restrição: Para quem não gosta de uma boa leitura.

   Princípios ativos: Mistério, Aventura, Elementos fantásticos, Relações familiares.


O Oceano no Fim do Caminho, de Neil Gaiman

O livro traz a história de um homem de meia-idade que retorna ao lugar onde passou sua infância para um funeral, o que acaba trazendo de volta as lembranças de uma série de coisas que aconteceram no período em que ele tinha sete anos. Essa série de acontecimentos tem início quando um homem que alugava um quarto na casa dos pais desse garoto comete suicídio dentro do carro da família. O carro é encontrado numa fazenda que ficava no fim da estrada, próximo a casa da família do garoto, e é nessas circunstâncias que ele conhece Lettie Hempstock, sua mãe e sua avó. O oceano no fim do caminho é uma fábula sobre as experiências da infância e sobre a descoberta da amizade.

Quando me deparei com este livro no expositor de uma livraria, julguei se tratar de um livro sério demais, e no momento não era o tipo de leitura que eu procurava. Ainda assim, a capa desse livro me chamava muito atenção e resolvi lê-lo sem muita expectativa. Mas na verdade, acabei me surpreendendo muito com essa leitura, por quê: 1) Eu não imaginava que o livro fosse conter elementos fantásticos; 2) O livro fala das relações familiares, e em grande parte da amizade; 3) É uma leitura imersiva. O autor te joga pra dentro da trama, ele te coloca como experienciador das situações pelas quais o garoto atravessa.

Uma coisa interessante sobre “O oceano no fim do caminho” é o fato de que o personagem principal não tem nome, dando ao livro um traço autobiográfico. Não é muito difícil identificar-se com essa obra. Trata-se de um livro curto, com uma narrativa fluída. Embora seja um livro adulto, o autor faz uso de elementos fantásticos. O que agrada, e muito, leitores de literatura fantástica, assim como eu, e acredito que também agradará a muitos de vocês.

 

Resenhado por [Aurélio Muniz]

 

208 p., Editora Intrínsica, publicado em 2013.
Título Original: The Ocean at the End of the Lane.

Nota do resenhista[rating=5] Eva, Sharon, Shelley e Alyssa. Quatro gerações de mulheres cuidando de uma loja de vestidos de noivas. Quatro histórias de vida diferentes, que contribuíram para que a loja se tornasse o que é: um local onde as noivas podem encontrar o vestido perfeito para seu momento perfeito.



   Tempo: para ler de um tiro só no fim de semana.

   Finalidade: para se emocionar.

   Restrição: não gosta de histórias de vda.

   Princípios ativos: Noivas, Casamento, Vestido, Amor, Sala Mágica.


O Momento Mágico, de Jeffrey Zaslow

Jeefrey Zaslow pesquisava uma forma de escrever um livro sobre a melhor maneira de pais demonstrarem o amor que sentem por suas filhas. A escolha de ambientar o livro em uma loja de noivas surgiu de uma lembrança de sua mulher, Sherry. A loja escolhida foi a Becker’s Bridal, uma loja popular entre as noivas de Michigan, e sua Sala Mágica, onde as noivas se admiram de todos os ângulos, pois a sala é completamente espelhada. Mais do que uma sala, um local onde a momento mágico de decisão por um vestido acontece.
Ao longo do livro, o autor narra histórias de vida: histórias de noivas e suas famílias, alternando com dados sobre divórcio e casamento. Ele narra a história da loja, de como ela passou de mulher para mulher, ao longo das gerações em uma mesma família, e como essas mulheres transformaram a loja no sucesso que é hoje, além de comentários sobre as mudanças referentes a moda dos vestidos de noiva e sobre a trajetória da experiência feminina, desde o início da loja até hoje.

Um livro emocionante. As histórias de vida de cada uma das oito noivas e suas famílias tocam fundo aquele cantinho emocional. Como são histórias de vida diferentes, é provável que toda mulher consiga se identificar com alguma noiva, com alguma mãe de noiva, com algum pai de noiva… Mesmo o livro se concentrando nessas oito noivas, é através da ligação com outras pessoas que se percebem as histórias de vida das quais se podem tirar lições. Um relato comovente, muito indicado.

Resenhado por Natallie Alcantara

*Título original: The Magical Room
319 páginas, Editora Novo Conceito, publicado em 2013.

Nota do resenhista[rating=5] Quem diria, casamentos arranjados existem até no mundo dos vampiros. Um príncipe vampiro e uma garota americana têm que se casar para manter um pacto que sela a paz entre duas famílias poderosas. O que a garota em questão não sabe é que ela também é uma vampira, uma princesa vampira. E o amor, onde fica? Leiam para descobrir.



   Tempo: para ler de um tiro só no fim de semana.

   Finalidade: para pensar.

   Restrição: não gosta de perder tempo com coisas moderninhas.

   Princípios ativos: Realeza, Vampiros, Adolescentes, Romance, Aliança.


Como se livrar de um vampiro apaixonado (Beth Fantaskey)

Jessica Packwood é uma adolescente normal que vive uma vida normal no interior da Pensilvânia e cujos objetivos eram vencer a olimpíada de matemática, se formar na escola e ganhar uma bolsa pra faculdade. Ah, Jéssica também queria muito namorar seu colega Jake Zinn. Em mais um dia de escola, no que ela achava que seria uma aula normal de Literatura Inglesa, ela conhece o aluno novo, Lucius Vladescu. Alto, com uma voz profunda, lindo de morrer e muito bem vestido, Lucius, no entanto, não é um jovem comum. Nascido na Romênia foi criado para ser o príncipe de sua raça. E de repente, a vida de Jéssica vira de ponta cabeça. Por quê? Simplesmente pelo fato de Lucius reclamá-la como sua princesa prometida em casamento. Para união de seu povo… vampírico.
A partir daí, Jéssica descobre ser na verdade, Antanasia Dragomir, última de um clã muito poderoso de vampiros. Lucius, descendente do clã Vladescus, deve ser seu marido para que a paz finalmente reine entre os clãs, em guerra há muito tempo. Decidido a conquistá-la e contando com a “compreensão” dos Packwood, pais adotivos de Jéssica, Lucius hospeda-se na casa dela como um estudante de intercâmbio e gruda-se a ela na escola, humilhando todos que a maltratam e a defendendo sempre que preciso.
A convivência entre ambos evolui. Jéssica passa a entender melhor Lucius, mesmo ainda duvidando sobre a “questão dos vampiros”, enquanto ele começa a se encantar com o estilo de vida local. Sempre insistindo no tal pacto de unificação dos clãs, Lucius interrompe o quanto pode os flertes de Jéssica e Jake, mas quando percebe que sua viagem pode ter sido em vão e considerando a felicidade dela, Lucius desiste do pacto. Ao mesmo tempo, Jéssica sofre uma transformação e se auto descobre, passando a aceitar sua própria história e começando a entender que ser esposa de Lucius não seria o pior dos destinos. E agora?
Nesse momento, as coisas começam a acontecer muito rápido: Lucius comunica aos vampiros anciões sua decisão de não mais cumprir o pacto e os adolescentes da escola de Jéssica começam a tomar conhecimento do quão estranho Lucius pode ser. Após um breve confronto, Jéssica, com a ajuda de seu tio vampiro, vai para a Romênia em busca de Lucius na esperança de fazê-lo cumprir o pacto. Nem mesmo a frieza dele a dissuade de seu objetivo. Será que Jéssica, agora princesa Antanasia, conseguirá fazer com que o lado bom de seu príncipe aflore? Ou será que Lucius está irremediavelmente destruído pelas armações de seu ambicioso tio?

Um livro muito legal de se ler. À primeira vista, pode parecer mais um Crepúsculo, mas não, apesar de algumas semelhanças. Jéssica ou Antanasia é muito engraçada. O estresse dela com Lucius e sua descrença são bastante divertidos. Já Lucius… Desde o primeiro momento, um personagem cativante. Ele é romântico e cavalheiro sem ser piegas. Sua tentativa de salvá-la, seu alívio por reencontrá-la, querendo e ao mesmo tempo evitando esse reencontro, e sua entrega total à Jéssica fazem o leitor se apaixonar por esse casal.

P.S.: A autora escreveu 21 capítulos e um epílogo extras desse livro. Para ler os capítulos, traduzidos pela editora Sextante, é só clicar aqui:
http://www.sextante.com.br/vampiroapaixonado/casamento/casamento1.php

Resenhado por Natallie Alcantara

*Título original: Jessica’s guide to dating on the dark side
304 páginas, Editora Sextante, publicado em 2010.

Nota do resenhista[rating=3] Para quem viu o filme vai se assustar ao ler o livro. Totalmente diferente mas mantendo a linha de ser fofo e bonitinho e não deixou de ser uma história lindíssima ,porém, com pontos cruciais para ser um livro que não entre nos top 10.



   Tempo: 1 dia

   Finalidade: quem gosta de romance

   Restrição: para quem não curte muito romance

   Princípios ativos: Biografia, Carpenter, Krickitt, saúde, romance.


Para sempre, de Kim e Krickitt Carpenter.

Para Sempre conta a história verídica de Kim e Kim e Krickitt Carpenter. No primeiro capítulo ficamos sabendo como eles se conheceram. kim Carpenter é treinador de beisebol da universidade Highlands. Ao telefonar para Jammin Sportswear para saber mais sobre as jaquetas de treinador, conhece Krickitt e logo se encanta com sua voz. Nos próximos capítulos, vemos como eles chegam a um nível de amizade e marcam um encontro. Então Kim se apaixona por Krickitt
Nos capítulos seguintes, iremos chegar ao casamento e logo após 2 meses de casados se envolvem num acidente de carro aonde Krikitt tem sérios ferimentos cerebrais e perde a memória. Não se lembrando da parte da sua vida recente. Nesse momento passamos a sentir o desespero e tristeza de Kim ao saber que sua esposa não se lembra que ele é seu marido.
O único jeito de ter uma vida feliz ao lado da mulher que ama é conquistando-a novamente. E então percebemos o poder que o amor verdadeiro tem.
Uma história lindíssima, porém super mal contada. O livro tem a pegada de ser fofo e bonito por falar de uma história deste tipo, mas não te prende e também não te faz suspirar. O bom que é super fino e pela primeira vez o filme me encantou muito mais do que o livro.

Resenhado por [Mariana Bittencourt].

144 paginas, Editora Novo Conceito, publicado em ano 2013.
*Título Original: The vow
Tradução: Ivar Panazzolo Júnior


Sorteios

Nota do resenhista[rating=5]Com uma história comovente, incrível e diferente. Dois Rios é um livro incrivelmente bem e feito e muito bom.



   Tempo: Para ler durante a semana.

   Finalidade: Para sempre pensar em suas escolhas.

   Restrição:  Para quem não gosta de dramas familiares.

   Princípios ativos:  Família, Esperança, Tragédia, Preconceito, Liberdade


Dois Rios, de T. Greenwood

Após quase doze anos, Harper Montgomery se muda da casa de amigos e vai morar em um apartamento com sua filha Shelly. Harper é um homem que esconde um segredo obscuro, e vive as sombras da tragédia que levou sua esposa diretamente para a morte, deixando a pequena Shelly recém nascida para criar.

No dia do aniversário de 12 anos de sua filha, Harper vai para seu trabalho, e lá recebe a notícia que um trem descarrilhou em uma curva no rio e estavam precisando de pessoas para socorrer os feridos.

Mas, o que Harper não sabia era que nessa prestação de socorro, sua vida mudaria completamente. Enquanto ele esta ajudando a resgatar os feridos, ele é surpreendido por uma adolescente pedindo socorro.

Maggie é uma garota jovem e esta grávida, ela pede abrigo para Harper. Ele fica com receio de abrigar a jovem, mas acaba ajudando a garota. Após esse gesto coisas inimagináveis vão acontecer na vida de Harper Montgomery, coisas que mudarão sua vida para sempre.

O livro é diferente, não sei exatamente em que, mas sei que é. A escrita da autora é fácil, escreveu frases e personagens bem maduros. A história é intercalada entre o presente e o passado de Harper.

Não estava esperando muito desse livro mas conforme lia mais interessante e legal a historia ficava, me deixando completamente apaixonada pelos personagens.

Os personagens são maduros, Harper é adorável e teve uma vida bastante sofrida, sua filha Shelly esta passando por problemas na adolescência, Maggie é incrível, mesmo com pouca idade ela é muito madura!

Um livro que eu não estava com expectativa, e foi surpreendente! Recomendo a todos!

Resenhado por [Luana Beltramini].

432 páginas, Editora Rocco Novo Conceito, publicado em 2013.
Título original: Two rivers.
Tradução: Rafael Gustavo Spigel.

Nota do resenhista[rating=5]Nessa magnífica história, a trajetória de James e seu gato laranjinha chamado Bob continuam. Os dois são unidos pela amizade e cada um sustenta o outro em momentos complicados e difíceis. Não deixe de acompanhar essas aventuras de um homem e um bichano pra lá de esperto!



   Tempo: Para ler de uma tacada só.

   Finalidade: Para mostrar o quanto temos que correr atrás dos nossos sonhos, e que nada está perdido.

   Restrição:  Para quem não gosta de biografias ou gatos, ou de livros auto-ajuda.

   Princípios ativos: Lição de vida, Fé, Amor, Perseverança, Gatos.


O Mundo pelos Olhos de Bob, de James Bowen.

No primeiro volume da série do gato Bob e seu dono, vemos o quanto a vida de uma pessoa dominada pelas drogas e moradora de rua é difícil. Muitas complicações, momentos difíceis que se passam despercebidos por praticamente toda a sociedade. Nada nem ninguém se dão conta de que essas pessoas são extremamente necessitadas de uma ajuda, uma força, de uma oportunidade para mudar. A sociedade só os julga e os deixa a beira de um precipício. James passou por tudo isso e muito mais, e continua a nos contar no livro “O mundo pelos olhos de Bob”. A amizade dos dois continua mais forte do que nunca, e o laço do amor cada vez maior. Bob resgatou a vida de James do fundo do poço, e encontrou no seu dono um amor especial, que supera todas as barreiras.

O segundo volume da série continua tão bem quanto o primeiro. Ao contrário do primeiro, em que se foca na vida de James e seu passado conturbado, “O mundo pelos olhos de Bob” como o próprio título já diz, vai focar em como Bob ver o mundo. O autor então passa essa experiência para nós não no sentido literal de expor a história como Bob, mas de maneira que nos faça questionar em como Bob vê o mundo. Muitas características pessoais do gato são descritas através de situações que vão de engraçadas a perigosas. O que será que se passa na cabecinha do Bob? O segundo volume complementa o primeiro, pois é necessário a antropomorfização do gato para que possamos perceber o quão importante ele é na vida de James e seu impacto para a recuperação completa e uma mudança de vida radical. O autor nos passa as dúvidas e perguntas que ele tem do quanto Bob é esperto e até que ponto o gato pode fazer mostrando sua inteligência.

É muito notório que ambos possuem uma ligação quase que psíquica, pois em diversos pontos do livro percebemos que um sabe o que o outro passa no momento certo. Esses pequenos momentos nos emocionam a ponto de lágrimas, e quem tem um animalzinho de estimação sabe muito melhor do que ninguém compartilhar essa espécie de ligação. Muitos não dão valor, mas a pureza de um animal na vida de alguém necessitado faz toda diferença, e vemos isso cada vez mais na vida de James, e como tudo mudou depois do gato ter chegado na vida dele. As aventuras continuam, e a vida de James continua a mudar drasticamente para melhor. Os relacionamentos com a família melhoram, a qualidade de vida dele melhora e até mesmo sua situação financeira também, após uma proposta surpreendente feita por certas pessoas. O segundo volume continua tão bom quanto o primeiro, e nos deixa cada vez mais felizes em ver que os dois vãos cada vez melhor, saindo então da difícil vida que é morar e trabalhar nas ruas.

Resenhado por Jnio Almeida.

220 páginas, Editora Novo Conceito, publicado em ano 2014.
*Título Original: The world according to Bob.
Tradução: O mundo pelos olhos de Bob.

Nota do resenhista[rating=5]Helena ama Demétrio, que ama Hérmia, que ama Lisandro. Quando esses quatro jovens apaixonados se encontram na floresta, o rei dos duendes decide ajudá-los, mas o que deveria ser o final feliz se transforma em uma grande confusão de desilusões e descobertas amorosas.



   Tempo: Para ler de um tiro só no final de semana.

   Finalidade: Para se divertir.

   Restrição: Para quem não gosta de triângulos amorosos.

   Princípios ativos:  Romance, Shakespeare, Triângulo amoroso, Feitiço, Flor.


Sonho de uma noite de verão, de William Shakespeare.

Hérmia e Helena sao grandes amigas, mas Demétrio, por quem Helena está apaixonada, ama Hérmia. Esta, por sua vez, ama Lisandro. Outro “fator” contra o romance de Hérmia e Lisandro é o pai dela, que não aprova. Ele queria que ela casasse com Demétrio. Lisandro quer viver o romance, então sugere que eles fujam, mas Hérnia acaba contando sobre sua fuga para Helena, que conta para Demétrio. Assim, os quatro jovens, de maneira tortuosa, acabam se encontrando na floresta, onde habitam seres encantados. Mas a hora é péssima, pois as fadas e os duendes estão em discórdia, e os jovens acabam sofrendo as conseqüências disso. O rei dos Duendes, vendo o amor não correspondido de Helena por Demétrio, manda seu servo usar nele a essência do Amor-Perfeito, uma flor que tinha o poder de fazer a pessoa se apaixonar pela primeira criatura que visse. A confusão começa quando o servo coloca a essência nos olhos da pessoa errada…

Nunca fui fã de Shakespeare. Todas as resenhas de livros do autor que fiz até hoje foram para desafios literários, ou seja, leitura obrigatória. No entanto, sempre tive curiosidade sobre essa história. Nunca havia lido, então foi uma bela surpresa. Na verdade, a primeira vez que soube sobre essa história foi quando lia uma versão dela adaptada para um gibi do Tio Patinhas (Brigitte, apaixonada pelo pão-duro, estava cansada de tentar conquistá-lo. Até Maga Patológica aparecer no caminho dela para lhe entregar a flor poderosa, tudo em um plano para conseguir pegar a moeda número Um do pato milionário). Como tudo relacionado a Disney, eu adorei e procurei saber mais sobre a história. Então adorei o livro. Apesar de estar enjoada de livros com confusões sentimentais, esse estranho triângulo amoroso faz com que o leitor acabe torcendo para todo mundo ficar feliz (o que não é comum em situações como essa…) Recomendo.

Resenhado por Natallie Alcantara.

143 paginas, Editora Martin Claret, publicado em 2005.
*Titulo original: A midsummer night’s dream

Nota do resenhista[rating=5]Depois de uma vida muito sofrida com decepções vindas de todos os lados, Madora Welles acredita que algumas garotas têm sorte, mas ela não. Depois de uma revira volta em sua vida ela sente que precisa se libertar, tanto das pessoas que a cercam, quanto dela mesma.



   Tempo: Para ler e dois dias no máximo.

   Finalidade: Mostrar uma realidade que muitas vezes não enxergamos.

   Restrição: Para quem não gosta de romances trágicos.

   Princípios ativos:  Drama, Romance, Aventura, Tragédias, Suspense.


Adeus à inocência, de Drusilla Campbell.

Madora Welles tinha apenas 12 anos quando seu pai morreu de uma forma bem desagradável, após isso, sua mãe se trancou em seu próprio mundo e esqueceu que tinha uma filha. Sua vida mudou de uma forma radical, até ela conhecer Willis aos 17 anos, um sociopata, que depois do que aconteceu a sua irmã, queria salvar todas as adolescentes perdidas, que viviam no mundo das drogas, porém de um jeito muito estranho. Ela o viu pela primeira vez numa festa, e ele praticamente a salvou. Aparentemente Willis foi o anjo que a resgatou, apesar de algumas objeções de sua mãe, ela se entregou a Willis de corpo e alma, transformando-o na pessoa mais importante da sua vida.

Madora viveu 5 anos com Willis numa casinha no meio do nada, tinha esperança de se casar e ter filhos, no entanto ela descobriu que as coisas não iriam ser bem assim. Ele a deixava sozinha o dia todo e suas únicas companhias era um cachorro pitbul que ela havia salvado chamado Foo, um coelho, e um coiote. Ela perdeu o contato com sua mãe, não tinha mais amigos, seu namorado não a deixava sair de casa sozinha, tinha uma vida solitária, mas nada importava se ela estava com Willis e ele a amava. Um dia Willis levou uma jovem de 16 anos, grávida para sua casa, alegando que estava salvando-a, assim como a salvou, fazendo Madora submeter-se aos caprichos da menina. Nesta mesma época Madora conheceu Django, um menino de 12 anos que apareceu misteriosamente nos arredores de sua casa e tornou-se a única companhia enquanto Willis estava fora. Django acabara de perder seus pais em um acidente de carro, seu pai era um famoso guitarrista que tinha lhe deixado uma grande fortuna, no entanto ela tinha que morar com sua tia, pois seus pais a haviam nomeado tutora.

Assim eles começam uma amizade, Django a faz enxergar o quão vazia é sua vida, e ver o monstro que Willis é, Madora começa a vê-lo com outros olhos. Ela planeja abandoná-lo, mas descobrirá que não vai ser tão fácil se livrar do sociopata que até então ela jurava ser o homem mais perfeito do mundo.

Adeus à inocência é uma história fascinante, com romance, suspense, e um pouco de aventura. Drusilla Campbell, narra uma história que te prende do começo ao fim, mostrando partes de uma realidade, com uma pitada de ficção. Com personagens intrigantes, que perderam sua inocência, de formas tão diferentes, Madora, Willis e Django, são apenas vítimas das circunstâncias, que endureceram e os amadureceram para a vida, e tão cedo, deixando “crescer uma pele que não sangrava tão facilmente como outrora”.

Resenhado por [Luana Laise]

270 páginas, Editora Novo conceito, publicado 2013.
*Título Original: Little Girl Gone.
Tradução: Robson Falcheti Peixoto.

Nota do resenhista[rating=5]Fadas sempre povoaram nossa imaginação. Em parte graças aos contos infantis que nos são contados. Quantas vezes não nos imaginamos entrando no mundo mágico das fadas, vivendo aventuras ao lado dos seres encantados? Quando Bianca resolve mexer com o desconhecido, sua amiga desaparece. Para resgatá-la, ela embarca em uma viagem pelo mundo dos seres encantados, sem saber que o destino lhe reserva uma bela surpresa. O problema é que a viagem pode não ter volta…



   Tempo: Para ler e um tiro só no final de semana.

   Finalidade: Para se emocionar.

   Restrição: Para quem não gosta de perder tempo com coisas moderninhas.

   Princípios ativos: Fadas, Anjos, Esoterismo, Mundo Encantado.


Lua das fadas, de Eddie Van Feu.

Bianca e Analice resolvem brincar com o desconhecido. Em uma bela tarde de primavera, as duas amigas tentam desvendar os mistérios do tabuleiro oui-já. Elas conseguem se comunicar com seres do mundo encantado, mas Bianca só percebe que alguma coisa saiu errada quando ela procura Analice e não a encontra. A polícia é chamada, mas a investigação não resultada em nada, já que até mesmo Bianca não sabe explicar o que aconteceu. Ela pede ajuda aos anjos para encontrar sua amiga. E seu pedido é atendido. Pistas começam a aparecer e um anjo chamado Zacariel aparece para ajudá-la. Ele a instrui e a leva para o mundo dos seres encantados, mas antes de começar a busca, eles precisam encontrar um elixir que fará com que ela volte para casa sem que o tempo tenha passado (o tempo do mundo real é diferente do tempo no mundo encantado). Assim, a busca começa. Zacariel e Bianca passam por vários perigos, ao mesmo tempo em que a menina precisa constantemente ser lembrada que não pertence aquele lugar. Os dias passam e as aventuras constantes acabam aproximando o casal. Bianca descobre a verdadeira identidade do anjo e encontra sua amiga, mas nada sai como o planejado.

Eddie Van Feu é conhecedora de magia, já escreveu vários livros sobre o assunto, e isso está latente na obra. O livro é muito bom e prende a atenção, já que a curiosidade em saber se Bianca vai conseguir voltar pra casa é muita (existem muitas tentações no caminho dela). Além disso, as ilustrações de Caroline Mylius também contribuem pra isso. Duas surpresas boas: a primeira, com a identidade do anjo Zacariel (ou Zac), a segunda com Analice (já que o objeitvo é encontrar a menina e voltar pra casa). O final da história pode não ser o esperado, mas não prejudica o enredo. Uma história muito boa e uma leitura que prende a atenção fazem deste livro uma excelente escolha para os interessados em conhecer o mundo dos seres encantados.

Resenhado por Natallie Alcantara.

271 páginas, Editora Escala, publicado em 2011.

Nota do resenhista[rating=5]

Quem diria que as princesas dos contos de fadas mantinham correspondência entre si… Branca de Neve, Aurora (mais conhecida como Bela Adormecida) e Cinderela se escrevem mutuamente, contando sobre as rotinhas em suas vidas e sobre o futuro que esperam ter ao lado de seus príncipes encantados.



   Tempo: Para ler e um tiro só no final de semana.

   Finalidade: Para rir.

   Restrição: Para quem não gosta e perder tempo com coisas moderninhas.

   Princípios ativos: Princesas, Contos e fadas, Cartas, Leitura brasileira.


O Livro das Cartas Encantadas, de Índigo

Uma fada chamada Gwenhyfar guardou consigo durante séculos a correspondência trocada entre Bela Adormecida, Cinderela e Branca de Neve. Bella (a Bela Adormecida) vive confinada no palácio para que a maldição da fada má não se realize, Cindy vive em um sótão poeirento e é obrigada a virar empregada da madrasta, e Branca foge da própria mãe que queria matá-la por ser a mais bela do reino. Com as datas e localidades de onde foram escritas, as cartas trocadas entre elas (cujos mensageiros eram animais) revelam toda sua intimidade: Bella estava frustrada por viver presa dentro do próprio palácio, Cindy não agüentava mais a vida de criada e Branca passou a viver com os anões depois que aprendeu a lavar e cozinhar para pagar sua “estadia”. Longe do romantismo da Disney, cada uma delas faz de um tudo para buscar seu final feliz.

Um livro impagável. Logo de cara, já existe uma observação da fada guardiã acerca do conteúdo das cartas e do motivo que a levou a guardar. Tais observações são entremeadas com as cartas no intuito de explicar alguns acontecimentos. As princesas que se correspondem, Bela Adormecida, Cinderela e Branca de Neve estão bem longe de serem as mesmas que conhecemos (pintadas na nossa imaginação por Walt Disney). No entanto, a despeito de algumas mudanças bem visíveis, as vidas delas não mudaram nada do que nós já conhecemos. O que chama atenção são as datações e localizações fornecidas em cada carta. Um paralelo legal: todos os locais onde as princesas vivem se encontram na Alemanha, não por acaso, país dos irmãos Grimm. Uma leitura leve e divertida.

Resenhado por Natallie Alcantara

*159 páginas, Editora Brinque-Book, publicado em 2007.

Nota do resenhista[rating=5]

Um homem de meia-idade desenterrando suas memórias de infâncias. De um lado estão às lembranças da doce amiga Lettie Hempstock. Do outro, coisas estranhas que aconteceram quando era criança. “Uma fábula que nos lembra como nossa vida é ditada pelas experiências de infância. O que ganhamos com elas e o preço que pagamos.” Kirkus Rewiews



   Tempo: Para ler de uma sentada só.

   Finalidade: Ter a experiência de entrar na história.

   Restrição: Para quem não gosta de uma boa leitura.

   Princípios ativos: Mistério, Aventura, Elementos fantásticos, Relações familiares.


O Oceano no Fim do Caminho, de Neil Gaiman

O livro traz a história de um homem de meia-idade que retorna ao lugar onde passou sua infância para um funeral, o que acaba trazendo de volta as lembranças de uma série de coisas que aconteceram no período em que ele tinha sete anos. Essa série de acontecimentos tem início quando um homem que alugava um quarto na casa dos pais desse garoto comete suicídio dentro do carro da família. O carro é encontrado numa fazenda que ficava no fim da estrada, próximo a casa da família do garoto, e é nessas circunstâncias que ele conhece Lettie Hempstock, sua mãe e sua avó. O oceano no fim do caminho é uma fábula sobre as experiências da infância e sobre a descoberta da amizade.

Quando me deparei com este livro no expositor de uma livraria, julguei se tratar de um livro sério demais, e no momento não era o tipo de leitura que eu procurava. Ainda assim, a capa desse livro me chamava muito atenção e resolvi lê-lo sem muita expectativa. Mas na verdade, acabei me surpreendendo muito com essa leitura, por quê: 1) Eu não imaginava que o livro fosse conter elementos fantásticos; 2) O livro fala das relações familiares, e em grande parte da amizade; 3) É uma leitura imersiva. O autor te joga pra dentro da trama, ele te coloca como experienciador das situações pelas quais o garoto atravessa.

Uma coisa interessante sobre “O oceano no fim do caminho” é o fato de que o personagem principal não tem nome, dando ao livro um traço autobiográfico. Não é muito difícil identificar-se com essa obra. Trata-se de um livro curto, com uma narrativa fluída. Embora seja um livro adulto, o autor faz uso de elementos fantásticos. O que agrada, e muito, leitores de literatura fantástica, assim como eu, e acredito que também agradará a muitos de vocês.

 

Resenhado por [Aurélio Muniz]

 

208 p., Editora Intrínsica, publicado em 2013.
Título Original: The Ocean at the End of the Lane.

Nota do resenhista[rating=5] Eva, Sharon, Shelley e Alyssa. Quatro gerações de mulheres cuidando de uma loja de vestidos de noivas. Quatro histórias de vida diferentes, que contribuíram para que a loja se tornasse o que é: um local onde as noivas podem encontrar o vestido perfeito para seu momento perfeito.



   Tempo: para ler de um tiro só no fim de semana.

   Finalidade: para se emocionar.

   Restrição: não gosta de histórias de vda.

   Princípios ativos: Noivas, Casamento, Vestido, Amor, Sala Mágica.


O Momento Mágico, de Jeffrey Zaslow

Jeefrey Zaslow pesquisava uma forma de escrever um livro sobre a melhor maneira de pais demonstrarem o amor que sentem por suas filhas. A escolha de ambientar o livro em uma loja de noivas surgiu de uma lembrança de sua mulher, Sherry. A loja escolhida foi a Becker’s Bridal, uma loja popular entre as noivas de Michigan, e sua Sala Mágica, onde as noivas se admiram de todos os ângulos, pois a sala é completamente espelhada. Mais do que uma sala, um local onde a momento mágico de decisão por um vestido acontece.
Ao longo do livro, o autor narra histórias de vida: histórias de noivas e suas famílias, alternando com dados sobre divórcio e casamento. Ele narra a história da loja, de como ela passou de mulher para mulher, ao longo das gerações em uma mesma família, e como essas mulheres transformaram a loja no sucesso que é hoje, além de comentários sobre as mudanças referentes a moda dos vestidos de noiva e sobre a trajetória da experiência feminina, desde o início da loja até hoje.

Um livro emocionante. As histórias de vida de cada uma das oito noivas e suas famílias tocam fundo aquele cantinho emocional. Como são histórias de vida diferentes, é provável que toda mulher consiga se identificar com alguma noiva, com alguma mãe de noiva, com algum pai de noiva… Mesmo o livro se concentrando nessas oito noivas, é através da ligação com outras pessoas que se percebem as histórias de vida das quais se podem tirar lições. Um relato comovente, muito indicado.

Resenhado por Natallie Alcantara

*Título original: The Magical Room
319 páginas, Editora Novo Conceito, publicado em 2013.

Nota do resenhista[rating=5] Quem diria, casamentos arranjados existem até no mundo dos vampiros. Um príncipe vampiro e uma garota americana têm que se casar para manter um pacto que sela a paz entre duas famílias poderosas. O que a garota em questão não sabe é que ela também é uma vampira, uma princesa vampira. E o amor, onde fica? Leiam para descobrir.



   Tempo: para ler de um tiro só no fim de semana.

   Finalidade: para pensar.

   Restrição: não gosta de perder tempo com coisas moderninhas.

   Princípios ativos: Realeza, Vampiros, Adolescentes, Romance, Aliança.


Como se livrar de um vampiro apaixonado (Beth Fantaskey)

Jessica Packwood é uma adolescente normal que vive uma vida normal no interior da Pensilvânia e cujos objetivos eram vencer a olimpíada de matemática, se formar na escola e ganhar uma bolsa pra faculdade. Ah, Jéssica também queria muito namorar seu colega Jake Zinn. Em mais um dia de escola, no que ela achava que seria uma aula normal de Literatura Inglesa, ela conhece o aluno novo, Lucius Vladescu. Alto, com uma voz profunda, lindo de morrer e muito bem vestido, Lucius, no entanto, não é um jovem comum. Nascido na Romênia foi criado para ser o príncipe de sua raça. E de repente, a vida de Jéssica vira de ponta cabeça. Por quê? Simplesmente pelo fato de Lucius reclamá-la como sua princesa prometida em casamento. Para união de seu povo… vampírico.
A partir daí, Jéssica descobre ser na verdade, Antanasia Dragomir, última de um clã muito poderoso de vampiros. Lucius, descendente do clã Vladescus, deve ser seu marido para que a paz finalmente reine entre os clãs, em guerra há muito tempo. Decidido a conquistá-la e contando com a “compreensão” dos Packwood, pais adotivos de Jéssica, Lucius hospeda-se na casa dela como um estudante de intercâmbio e gruda-se a ela na escola, humilhando todos que a maltratam e a defendendo sempre que preciso.
A convivência entre ambos evolui. Jéssica passa a entender melhor Lucius, mesmo ainda duvidando sobre a “questão dos vampiros”, enquanto ele começa a se encantar com o estilo de vida local. Sempre insistindo no tal pacto de unificação dos clãs, Lucius interrompe o quanto pode os flertes de Jéssica e Jake, mas quando percebe que sua viagem pode ter sido em vão e considerando a felicidade dela, Lucius desiste do pacto. Ao mesmo tempo, Jéssica sofre uma transformação e se auto descobre, passando a aceitar sua própria história e começando a entender que ser esposa de Lucius não seria o pior dos destinos. E agora?
Nesse momento, as coisas começam a acontecer muito rápido: Lucius comunica aos vampiros anciões sua decisão de não mais cumprir o pacto e os adolescentes da escola de Jéssica começam a tomar conhecimento do quão estranho Lucius pode ser. Após um breve confronto, Jéssica, com a ajuda de seu tio vampiro, vai para a Romênia em busca de Lucius na esperança de fazê-lo cumprir o pacto. Nem mesmo a frieza dele a dissuade de seu objetivo. Será que Jéssica, agora princesa Antanasia, conseguirá fazer com que o lado bom de seu príncipe aflore? Ou será que Lucius está irremediavelmente destruído pelas armações de seu ambicioso tio?

Um livro muito legal de se ler. À primeira vista, pode parecer mais um Crepúsculo, mas não, apesar de algumas semelhanças. Jéssica ou Antanasia é muito engraçada. O estresse dela com Lucius e sua descrença são bastante divertidos. Já Lucius… Desde o primeiro momento, um personagem cativante. Ele é romântico e cavalheiro sem ser piegas. Sua tentativa de salvá-la, seu alívio por reencontrá-la, querendo e ao mesmo tempo evitando esse reencontro, e sua entrega total à Jéssica fazem o leitor se apaixonar por esse casal.

P.S.: A autora escreveu 21 capítulos e um epílogo extras desse livro. Para ler os capítulos, traduzidos pela editora Sextante, é só clicar aqui:
http://www.sextante.com.br/vampiroapaixonado/casamento/casamento1.php

Resenhado por Natallie Alcantara

*Título original: Jessica’s guide to dating on the dark side
304 páginas, Editora Sextante, publicado em 2010.

Nota do resenhista[rating=3] Para quem viu o filme vai se assustar ao ler o livro. Totalmente diferente mas mantendo a linha de ser fofo e bonitinho e não deixou de ser uma história lindíssima ,porém, com pontos cruciais para ser um livro que não entre nos top 10.



   Tempo: 1 dia

   Finalidade: quem gosta de romance

   Restrição: para quem não curte muito romance

   Princípios ativos: Biografia, Carpenter, Krickitt, saúde, romance.


Para sempre, de Kim e Krickitt Carpenter.

Para Sempre conta a história verídica de Kim e Kim e Krickitt Carpenter. No primeiro capítulo ficamos sabendo como eles se conheceram. kim Carpenter é treinador de beisebol da universidade Highlands. Ao telefonar para Jammin Sportswear para saber mais sobre as jaquetas de treinador, conhece Krickitt e logo se encanta com sua voz. Nos próximos capítulos, vemos como eles chegam a um nível de amizade e marcam um encontro. Então Kim se apaixona por Krickitt
Nos capítulos seguintes, iremos chegar ao casamento e logo após 2 meses de casados se envolvem num acidente de carro aonde Krikitt tem sérios ferimentos cerebrais e perde a memória. Não se lembrando da parte da sua vida recente. Nesse momento passamos a sentir o desespero e tristeza de Kim ao saber que sua esposa não se lembra que ele é seu marido.
O único jeito de ter uma vida feliz ao lado da mulher que ama é conquistando-a novamente. E então percebemos o poder que o amor verdadeiro tem.
Uma história lindíssima, porém super mal contada. O livro tem a pegada de ser fofo e bonito por falar de uma história deste tipo, mas não te prende e também não te faz suspirar. O bom que é super fino e pela primeira vez o filme me encantou muito mais do que o livro.

Resenhado por [Mariana Bittencourt].

144 paginas, Editora Novo Conceito, publicado em ano 2013.
*Título Original: The vow
Tradução: Ivar Panazzolo Júnior


Arena dos Livros

Nota do resenhista[rating=5]Com uma história comovente, incrível e diferente. Dois Rios é um livro incrivelmente bem e feito e muito bom.



   Tempo: Para ler durante a semana.

   Finalidade: Para sempre pensar em suas escolhas.

   Restrição:  Para quem não gosta de dramas familiares.

   Princípios ativos:  Família, Esperança, Tragédia, Preconceito, Liberdade


Dois Rios, de T. Greenwood

Após quase doze anos, Harper Montgomery se muda da casa de amigos e vai morar em um apartamento com sua filha Shelly. Harper é um homem que esconde um segredo obscuro, e vive as sombras da tragédia que levou sua esposa diretamente para a morte, deixando a pequena Shelly recém nascida para criar.

No dia do aniversário de 12 anos de sua filha, Harper vai para seu trabalho, e lá recebe a notícia que um trem descarrilhou em uma curva no rio e estavam precisando de pessoas para socorrer os feridos.

Mas, o que Harper não sabia era que nessa prestação de socorro, sua vida mudaria completamente. Enquanto ele esta ajudando a resgatar os feridos, ele é surpreendido por uma adolescente pedindo socorro.

Maggie é uma garota jovem e esta grávida, ela pede abrigo para Harper. Ele fica com receio de abrigar a jovem, mas acaba ajudando a garota. Após esse gesto coisas inimagináveis vão acontecer na vida de Harper Montgomery, coisas que mudarão sua vida para sempre.

O livro é diferente, não sei exatamente em que, mas sei que é. A escrita da autora é fácil, escreveu frases e personagens bem maduros. A história é intercalada entre o presente e o passado de Harper.

Não estava esperando muito desse livro mas conforme lia mais interessante e legal a historia ficava, me deixando completamente apaixonada pelos personagens.

Os personagens são maduros, Harper é adorável e teve uma vida bastante sofrida, sua filha Shelly esta passando por problemas na adolescência, Maggie é incrível, mesmo com pouca idade ela é muito madura!

Um livro que eu não estava com expectativa, e foi surpreendente! Recomendo a todos!

Resenhado por [Luana Beltramini].

432 páginas, Editora Rocco Novo Conceito, publicado em 2013.
Título original: Two rivers.
Tradução: Rafael Gustavo Spigel.

Nota do resenhista[rating=5]Nessa magnífica história, a trajetória de James e seu gato laranjinha chamado Bob continuam. Os dois são unidos pela amizade e cada um sustenta o outro em momentos complicados e difíceis. Não deixe de acompanhar essas aventuras de um homem e um bichano pra lá de esperto!



   Tempo: Para ler de uma tacada só.

   Finalidade: Para mostrar o quanto temos que correr atrás dos nossos sonhos, e que nada está perdido.

   Restrição:  Para quem não gosta de biografias ou gatos, ou de livros auto-ajuda.

   Princípios ativos: Lição de vida, Fé, Amor, Perseverança, Gatos.


O Mundo pelos Olhos de Bob, de James Bowen.

No primeiro volume da série do gato Bob e seu dono, vemos o quanto a vida de uma pessoa dominada pelas drogas e moradora de rua é difícil. Muitas complicações, momentos difíceis que se passam despercebidos por praticamente toda a sociedade. Nada nem ninguém se dão conta de que essas pessoas são extremamente necessitadas de uma ajuda, uma força, de uma oportunidade para mudar. A sociedade só os julga e os deixa a beira de um precipício. James passou por tudo isso e muito mais, e continua a nos contar no livro “O mundo pelos olhos de Bob”. A amizade dos dois continua mais forte do que nunca, e o laço do amor cada vez maior. Bob resgatou a vida de James do fundo do poço, e encontrou no seu dono um amor especial, que supera todas as barreiras.

O segundo volume da série continua tão bem quanto o primeiro. Ao contrário do primeiro, em que se foca na vida de James e seu passado conturbado, “O mundo pelos olhos de Bob” como o próprio título já diz, vai focar em como Bob ver o mundo. O autor então passa essa experiência para nós não no sentido literal de expor a história como Bob, mas de maneira que nos faça questionar em como Bob vê o mundo. Muitas características pessoais do gato são descritas através de situações que vão de engraçadas a perigosas. O que será que se passa na cabecinha do Bob? O segundo volume complementa o primeiro, pois é necessário a antropomorfização do gato para que possamos perceber o quão importante ele é na vida de James e seu impacto para a recuperação completa e uma mudança de vida radical. O autor nos passa as dúvidas e perguntas que ele tem do quanto Bob é esperto e até que ponto o gato pode fazer mostrando sua inteligência.

É muito notório que ambos possuem uma ligação quase que psíquica, pois em diversos pontos do livro percebemos que um sabe o que o outro passa no momento certo. Esses pequenos momentos nos emocionam a ponto de lágrimas, e quem tem um animalzinho de estimação sabe muito melhor do que ninguém compartilhar essa espécie de ligação. Muitos não dão valor, mas a pureza de um animal na vida de alguém necessitado faz toda diferença, e vemos isso cada vez mais na vida de James, e como tudo mudou depois do gato ter chegado na vida dele. As aventuras continuam, e a vida de James continua a mudar drasticamente para melhor. Os relacionamentos com a família melhoram, a qualidade de vida dele melhora e até mesmo sua situação financeira também, após uma proposta surpreendente feita por certas pessoas. O segundo volume continua tão bom quanto o primeiro, e nos deixa cada vez mais felizes em ver que os dois vãos cada vez melhor, saindo então da difícil vida que é morar e trabalhar nas ruas.

Resenhado por Jnio Almeida.

220 páginas, Editora Novo Conceito, publicado em ano 2014.
*Título Original: The world according to Bob.
Tradução: O mundo pelos olhos de Bob.

Nota do resenhista[rating=5]Helena ama Demétrio, que ama Hérmia, que ama Lisandro. Quando esses quatro jovens apaixonados se encontram na floresta, o rei dos duendes decide ajudá-los, mas o que deveria ser o final feliz se transforma em uma grande confusão de desilusões e descobertas amorosas.



   Tempo: Para ler de um tiro só no final de semana.

   Finalidade: Para se divertir.

   Restrição: Para quem não gosta de triângulos amorosos.

   Princípios ativos:  Romance, Shakespeare, Triângulo amoroso, Feitiço, Flor.


Sonho de uma noite de verão, de William Shakespeare.

Hérmia e Helena sao grandes amigas, mas Demétrio, por quem Helena está apaixonada, ama Hérmia. Esta, por sua vez, ama Lisandro. Outro “fator” contra o romance de Hérmia e Lisandro é o pai dela, que não aprova. Ele queria que ela casasse com Demétrio. Lisandro quer viver o romance, então sugere que eles fujam, mas Hérnia acaba contando sobre sua fuga para Helena, que conta para Demétrio. Assim, os quatro jovens, de maneira tortuosa, acabam se encontrando na floresta, onde habitam seres encantados. Mas a hora é péssima, pois as fadas e os duendes estão em discórdia, e os jovens acabam sofrendo as conseqüências disso. O rei dos Duendes, vendo o amor não correspondido de Helena por Demétrio, manda seu servo usar nele a essência do Amor-Perfeito, uma flor que tinha o poder de fazer a pessoa se apaixonar pela primeira criatura que visse. A confusão começa quando o servo coloca a essência nos olhos da pessoa errada…

Nunca fui fã de Shakespeare. Todas as resenhas de livros do autor que fiz até hoje foram para desafios literários, ou seja, leitura obrigatória. No entanto, sempre tive curiosidade sobre essa história. Nunca havia lido, então foi uma bela surpresa. Na verdade, a primeira vez que soube sobre essa história foi quando lia uma versão dela adaptada para um gibi do Tio Patinhas (Brigitte, apaixonada pelo pão-duro, estava cansada de tentar conquistá-lo. Até Maga Patológica aparecer no caminho dela para lhe entregar a flor poderosa, tudo em um plano para conseguir pegar a moeda número Um do pato milionário). Como tudo relacionado a Disney, eu adorei e procurei saber mais sobre a história. Então adorei o livro. Apesar de estar enjoada de livros com confusões sentimentais, esse estranho triângulo amoroso faz com que o leitor acabe torcendo para todo mundo ficar feliz (o que não é comum em situações como essa…) Recomendo.

Resenhado por Natallie Alcantara.

143 paginas, Editora Martin Claret, publicado em 2005.
*Titulo original: A midsummer night’s dream

Nota do resenhista[rating=5]Depois de uma vida muito sofrida com decepções vindas de todos os lados, Madora Welles acredita que algumas garotas têm sorte, mas ela não. Depois de uma revira volta em sua vida ela sente que precisa se libertar, tanto das pessoas que a cercam, quanto dela mesma.



   Tempo: Para ler e dois dias no máximo.

   Finalidade: Mostrar uma realidade que muitas vezes não enxergamos.

   Restrição: Para quem não gosta de romances trágicos.

   Princípios ativos:  Drama, Romance, Aventura, Tragédias, Suspense.


Adeus à inocência, de Drusilla Campbell.

Madora Welles tinha apenas 12 anos quando seu pai morreu de uma forma bem desagradável, após isso, sua mãe se trancou em seu próprio mundo e esqueceu que tinha uma filha. Sua vida mudou de uma forma radical, até ela conhecer Willis aos 17 anos, um sociopata, que depois do que aconteceu a sua irmã, queria salvar todas as adolescentes perdidas, que viviam no mundo das drogas, porém de um jeito muito estranho. Ela o viu pela primeira vez numa festa, e ele praticamente a salvou. Aparentemente Willis foi o anjo que a resgatou, apesar de algumas objeções de sua mãe, ela se entregou a Willis de corpo e alma, transformando-o na pessoa mais importante da sua vida.

Madora viveu 5 anos com Willis numa casinha no meio do nada, tinha esperança de se casar e ter filhos, no entanto ela descobriu que as coisas não iriam ser bem assim. Ele a deixava sozinha o dia todo e suas únicas companhias era um cachorro pitbul que ela havia salvado chamado Foo, um coelho, e um coiote. Ela perdeu o contato com sua mãe, não tinha mais amigos, seu namorado não a deixava sair de casa sozinha, tinha uma vida solitária, mas nada importava se ela estava com Willis e ele a amava. Um dia Willis levou uma jovem de 16 anos, grávida para sua casa, alegando que estava salvando-a, assim como a salvou, fazendo Madora submeter-se aos caprichos da menina. Nesta mesma época Madora conheceu Django, um menino de 12 anos que apareceu misteriosamente nos arredores de sua casa e tornou-se a única companhia enquanto Willis estava fora. Django acabara de perder seus pais em um acidente de carro, seu pai era um famoso guitarrista que tinha lhe deixado uma grande fortuna, no entanto ela tinha que morar com sua tia, pois seus pais a haviam nomeado tutora.

Assim eles começam uma amizade, Django a faz enxergar o quão vazia é sua vida, e ver o monstro que Willis é, Madora começa a vê-lo com outros olhos. Ela planeja abandoná-lo, mas descobrirá que não vai ser tão fácil se livrar do sociopata que até então ela jurava ser o homem mais perfeito do mundo.

Adeus à inocência é uma história fascinante, com romance, suspense, e um pouco de aventura. Drusilla Campbell, narra uma história que te prende do começo ao fim, mostrando partes de uma realidade, com uma pitada de ficção. Com personagens intrigantes, que perderam sua inocência, de formas tão diferentes, Madora, Willis e Django, são apenas vítimas das circunstâncias, que endureceram e os amadureceram para a vida, e tão cedo, deixando “crescer uma pele que não sangrava tão facilmente como outrora”.

Resenhado por [Luana Laise]

270 páginas, Editora Novo conceito, publicado 2013.
*Título Original: Little Girl Gone.
Tradução: Robson Falcheti Peixoto.

Nota do resenhista[rating=5]Fadas sempre povoaram nossa imaginação. Em parte graças aos contos infantis que nos são contados. Quantas vezes não nos imaginamos entrando no mundo mágico das fadas, vivendo aventuras ao lado dos seres encantados? Quando Bianca resolve mexer com o desconhecido, sua amiga desaparece. Para resgatá-la, ela embarca em uma viagem pelo mundo dos seres encantados, sem saber que o destino lhe reserva uma bela surpresa. O problema é que a viagem pode não ter volta…



   Tempo: Para ler e um tiro só no final de semana.

   Finalidade: Para se emocionar.

   Restrição: Para quem não gosta de perder tempo com coisas moderninhas.

   Princípios ativos: Fadas, Anjos, Esoterismo, Mundo Encantado.


Lua das fadas, de Eddie Van Feu.

Bianca e Analice resolvem brincar com o desconhecido. Em uma bela tarde de primavera, as duas amigas tentam desvendar os mistérios do tabuleiro oui-já. Elas conseguem se comunicar com seres do mundo encantado, mas Bianca só percebe que alguma coisa saiu errada quando ela procura Analice e não a encontra. A polícia é chamada, mas a investigação não resultada em nada, já que até mesmo Bianca não sabe explicar o que aconteceu. Ela pede ajuda aos anjos para encontrar sua amiga. E seu pedido é atendido. Pistas começam a aparecer e um anjo chamado Zacariel aparece para ajudá-la. Ele a instrui e a leva para o mundo dos seres encantados, mas antes de começar a busca, eles precisam encontrar um elixir que fará com que ela volte para casa sem que o tempo tenha passado (o tempo do mundo real é diferente do tempo no mundo encantado). Assim, a busca começa. Zacariel e Bianca passam por vários perigos, ao mesmo tempo em que a menina precisa constantemente ser lembrada que não pertence aquele lugar. Os dias passam e as aventuras constantes acabam aproximando o casal. Bianca descobre a verdadeira identidade do anjo e encontra sua amiga, mas nada sai como o planejado.

Eddie Van Feu é conhecedora de magia, já escreveu vários livros sobre o assunto, e isso está latente na obra. O livro é muito bom e prende a atenção, já que a curiosidade em saber se Bianca vai conseguir voltar pra casa é muita (existem muitas tentações no caminho dela). Além disso, as ilustrações de Caroline Mylius também contribuem pra isso. Duas surpresas boas: a primeira, com a identidade do anjo Zacariel (ou Zac), a segunda com Analice (já que o objeitvo é encontrar a menina e voltar pra casa). O final da história pode não ser o esperado, mas não prejudica o enredo. Uma história muito boa e uma leitura que prende a atenção fazem deste livro uma excelente escolha para os interessados em conhecer o mundo dos seres encantados.

Resenhado por Natallie Alcantara.

271 páginas, Editora Escala, publicado em 2011.

Nota do resenhista[rating=5]

Quem diria que as princesas dos contos de fadas mantinham correspondência entre si… Branca de Neve, Aurora (mais conhecida como Bela Adormecida) e Cinderela se escrevem mutuamente, contando sobre as rotinhas em suas vidas e sobre o futuro que esperam ter ao lado de seus príncipes encantados.



   Tempo: Para ler e um tiro só no final de semana.

   Finalidade: Para rir.

   Restrição: Para quem não gosta e perder tempo com coisas moderninhas.

   Princípios ativos: Princesas, Contos e fadas, Cartas, Leitura brasileira.


O Livro das Cartas Encantadas, de Índigo

Uma fada chamada Gwenhyfar guardou consigo durante séculos a correspondência trocada entre Bela Adormecida, Cinderela e Branca de Neve. Bella (a Bela Adormecida) vive confinada no palácio para que a maldição da fada má não se realize, Cindy vive em um sótão poeirento e é obrigada a virar empregada da madrasta, e Branca foge da própria mãe que queria matá-la por ser a mais bela do reino. Com as datas e localidades de onde foram escritas, as cartas trocadas entre elas (cujos mensageiros eram animais) revelam toda sua intimidade: Bella estava frustrada por viver presa dentro do próprio palácio, Cindy não agüentava mais a vida de criada e Branca passou a viver com os anões depois que aprendeu a lavar e cozinhar para pagar sua “estadia”. Longe do romantismo da Disney, cada uma delas faz de um tudo para buscar seu final feliz.

Um livro impagável. Logo de cara, já existe uma observação da fada guardiã acerca do conteúdo das cartas e do motivo que a levou a guardar. Tais observações são entremeadas com as cartas no intuito de explicar alguns acontecimentos. As princesas que se correspondem, Bela Adormecida, Cinderela e Branca de Neve estão bem longe de serem as mesmas que conhecemos (pintadas na nossa imaginação por Walt Disney). No entanto, a despeito de algumas mudanças bem visíveis, as vidas delas não mudaram nada do que nós já conhecemos. O que chama atenção são as datações e localizações fornecidas em cada carta. Um paralelo legal: todos os locais onde as princesas vivem se encontram na Alemanha, não por acaso, país dos irmãos Grimm. Uma leitura leve e divertida.

Resenhado por Natallie Alcantara

*159 páginas, Editora Brinque-Book, publicado em 2007.

Nota do resenhista[rating=5]

Um homem de meia-idade desenterrando suas memórias de infâncias. De um lado estão às lembranças da doce amiga Lettie Hempstock. Do outro, coisas estranhas que aconteceram quando era criança. “Uma fábula que nos lembra como nossa vida é ditada pelas experiências de infância. O que ganhamos com elas e o preço que pagamos.” Kirkus Rewiews



   Tempo: Para ler de uma sentada só.

   Finalidade: Ter a experiência de entrar na história.

   Restrição: Para quem não gosta de uma boa leitura.

   Princípios ativos: Mistério, Aventura, Elementos fantásticos, Relações familiares.


O Oceano no Fim do Caminho, de Neil Gaiman

O livro traz a história de um homem de meia-idade que retorna ao lugar onde passou sua infância para um funeral, o que acaba trazendo de volta as lembranças de uma série de coisas que aconteceram no período em que ele tinha sete anos. Essa série de acontecimentos tem início quando um homem que alugava um quarto na casa dos pais desse garoto comete suicídio dentro do carro da família. O carro é encontrado numa fazenda que ficava no fim da estrada, próximo a casa da família do garoto, e é nessas circunstâncias que ele conhece Lettie Hempstock, sua mãe e sua avó. O oceano no fim do caminho é uma fábula sobre as experiências da infância e sobre a descoberta da amizade.

Quando me deparei com este livro no expositor de uma livraria, julguei se tratar de um livro sério demais, e no momento não era o tipo de leitura que eu procurava. Ainda assim, a capa desse livro me chamava muito atenção e resolvi lê-lo sem muita expectativa. Mas na verdade, acabei me surpreendendo muito com essa leitura, por quê: 1) Eu não imaginava que o livro fosse conter elementos fantásticos; 2) O livro fala das relações familiares, e em grande parte da amizade; 3) É uma leitura imersiva. O autor te joga pra dentro da trama, ele te coloca como experienciador das situações pelas quais o garoto atravessa.

Uma coisa interessante sobre “O oceano no fim do caminho” é o fato de que o personagem principal não tem nome, dando ao livro um traço autobiográfico. Não é muito difícil identificar-se com essa obra. Trata-se de um livro curto, com uma narrativa fluída. Embora seja um livro adulto, o autor faz uso de elementos fantásticos. O que agrada, e muito, leitores de literatura fantástica, assim como eu, e acredito que também agradará a muitos de vocês.

 

Resenhado por [Aurélio Muniz]

 

208 p., Editora Intrínsica, publicado em 2013.
Título Original: The Ocean at the End of the Lane.

Nota do resenhista[rating=5] Eva, Sharon, Shelley e Alyssa. Quatro gerações de mulheres cuidando de uma loja de vestidos de noivas. Quatro histórias de vida diferentes, que contribuíram para que a loja se tornasse o que é: um local onde as noivas podem encontrar o vestido perfeito para seu momento perfeito.



   Tempo: para ler de um tiro só no fim de semana.

   Finalidade: para se emocionar.

   Restrição: não gosta de histórias de vda.

   Princípios ativos: Noivas, Casamento, Vestido, Amor, Sala Mágica.


O Momento Mágico, de Jeffrey Zaslow

Jeefrey Zaslow pesquisava uma forma de escrever um livro sobre a melhor maneira de pais demonstrarem o amor que sentem por suas filhas. A escolha de ambientar o livro em uma loja de noivas surgiu de uma lembrança de sua mulher, Sherry. A loja escolhida foi a Becker’s Bridal, uma loja popular entre as noivas de Michigan, e sua Sala Mágica, onde as noivas se admiram de todos os ângulos, pois a sala é completamente espelhada. Mais do que uma sala, um local onde a momento mágico de decisão por um vestido acontece.
Ao longo do livro, o autor narra histórias de vida: histórias de noivas e suas famílias, alternando com dados sobre divórcio e casamento. Ele narra a história da loja, de como ela passou de mulher para mulher, ao longo das gerações em uma mesma família, e como essas mulheres transformaram a loja no sucesso que é hoje, além de comentários sobre as mudanças referentes a moda dos vestidos de noiva e sobre a trajetória da experiência feminina, desde o início da loja até hoje.

Um livro emocionante. As histórias de vida de cada uma das oito noivas e suas famílias tocam fundo aquele cantinho emocional. Como são histórias de vida diferentes, é provável que toda mulher consiga se identificar com alguma noiva, com alguma mãe de noiva, com algum pai de noiva… Mesmo o livro se concentrando nessas oito noivas, é através da ligação com outras pessoas que se percebem as histórias de vida das quais se podem tirar lições. Um relato comovente, muito indicado.

Resenhado por Natallie Alcantara

*Título original: The Magical Room
319 páginas, Editora Novo Conceito, publicado em 2013.

Nota do resenhista[rating=5] Quem diria, casamentos arranjados existem até no mundo dos vampiros. Um príncipe vampiro e uma garota americana têm que se casar para manter um pacto que sela a paz entre duas famílias poderosas. O que a garota em questão não sabe é que ela também é uma vampira, uma princesa vampira. E o amor, onde fica? Leiam para descobrir.



   Tempo: para ler de um tiro só no fim de semana.

   Finalidade: para pensar.

   Restrição: não gosta de perder tempo com coisas moderninhas.

   Princípios ativos: Realeza, Vampiros, Adolescentes, Romance, Aliança.


Como se livrar de um vampiro apaixonado (Beth Fantaskey)

Jessica Packwood é uma adolescente normal que vive uma vida normal no interior da Pensilvânia e cujos objetivos eram vencer a olimpíada de matemática, se formar na escola e ganhar uma bolsa pra faculdade. Ah, Jéssica também queria muito namorar seu colega Jake Zinn. Em mais um dia de escola, no que ela achava que seria uma aula normal de Literatura Inglesa, ela conhece o aluno novo, Lucius Vladescu. Alto, com uma voz profunda, lindo de morrer e muito bem vestido, Lucius, no entanto, não é um jovem comum. Nascido na Romênia foi criado para ser o príncipe de sua raça. E de repente, a vida de Jéssica vira de ponta cabeça. Por quê? Simplesmente pelo fato de Lucius reclamá-la como sua princesa prometida em casamento. Para união de seu povo… vampírico.
A partir daí, Jéssica descobre ser na verdade, Antanasia Dragomir, última de um clã muito poderoso de vampiros. Lucius, descendente do clã Vladescus, deve ser seu marido para que a paz finalmente reine entre os clãs, em guerra há muito tempo. Decidido a conquistá-la e contando com a “compreensão” dos Packwood, pais adotivos de Jéssica, Lucius hospeda-se na casa dela como um estudante de intercâmbio e gruda-se a ela na escola, humilhando todos que a maltratam e a defendendo sempre que preciso.
A convivência entre ambos evolui. Jéssica passa a entender melhor Lucius, mesmo ainda duvidando sobre a “questão dos vampiros”, enquanto ele começa a se encantar com o estilo de vida local. Sempre insistindo no tal pacto de unificação dos clãs, Lucius interrompe o quanto pode os flertes de Jéssica e Jake, mas quando percebe que sua viagem pode ter sido em vão e considerando a felicidade dela, Lucius desiste do pacto. Ao mesmo tempo, Jéssica sofre uma transformação e se auto descobre, passando a aceitar sua própria história e começando a entender que ser esposa de Lucius não seria o pior dos destinos. E agora?
Nesse momento, as coisas começam a acontecer muito rápido: Lucius comunica aos vampiros anciões sua decisão de não mais cumprir o pacto e os adolescentes da escola de Jéssica começam a tomar conhecimento do quão estranho Lucius pode ser. Após um breve confronto, Jéssica, com a ajuda de seu tio vampiro, vai para a Romênia em busca de Lucius na esperança de fazê-lo cumprir o pacto. Nem mesmo a frieza dele a dissuade de seu objetivo. Será que Jéssica, agora princesa Antanasia, conseguirá fazer com que o lado bom de seu príncipe aflore? Ou será que Lucius está irremediavelmente destruído pelas armações de seu ambicioso tio?

Um livro muito legal de se ler. À primeira vista, pode parecer mais um Crepúsculo, mas não, apesar de algumas semelhanças. Jéssica ou Antanasia é muito engraçada. O estresse dela com Lucius e sua descrença são bastante divertidos. Já Lucius… Desde o primeiro momento, um personagem cativante. Ele é romântico e cavalheiro sem ser piegas. Sua tentativa de salvá-la, seu alívio por reencontrá-la, querendo e ao mesmo tempo evitando esse reencontro, e sua entrega total à Jéssica fazem o leitor se apaixonar por esse casal.

P.S.: A autora escreveu 21 capítulos e um epílogo extras desse livro. Para ler os capítulos, traduzidos pela editora Sextante, é só clicar aqui:
http://www.sextante.com.br/vampiroapaixonado/casamento/casamento1.php

Resenhado por Natallie Alcantara

*Título original: Jessica’s guide to dating on the dark side
304 páginas, Editora Sextante, publicado em 2010.

Nota do resenhista[rating=3] Para quem viu o filme vai se assustar ao ler o livro. Totalmente diferente mas mantendo a linha de ser fofo e bonitinho e não deixou de ser uma história lindíssima ,porém, com pontos cruciais para ser um livro que não entre nos top 10.



   Tempo: 1 dia

   Finalidade: quem gosta de romance

   Restrição: para quem não curte muito romance

   Princípios ativos: Biografia, Carpenter, Krickitt, saúde, romance.


Para sempre, de Kim e Krickitt Carpenter.

Para Sempre conta a história verídica de Kim e Kim e Krickitt Carpenter. No primeiro capítulo ficamos sabendo como eles se conheceram. kim Carpenter é treinador de beisebol da universidade Highlands. Ao telefonar para Jammin Sportswear para saber mais sobre as jaquetas de treinador, conhece Krickitt e logo se encanta com sua voz. Nos próximos capítulos, vemos como eles chegam a um nível de amizade e marcam um encontro. Então Kim se apaixona por Krickitt
Nos capítulos seguintes, iremos chegar ao casamento e logo após 2 meses de casados se envolvem num acidente de carro aonde Krikitt tem sérios ferimentos cerebrais e perde a memória. Não se lembrando da parte da sua vida recente. Nesse momento passamos a sentir o desespero e tristeza de Kim ao saber que sua esposa não se lembra que ele é seu marido.
O único jeito de ter uma vida feliz ao lado da mulher que ama é conquistando-a novamente. E então percebemos o poder que o amor verdadeiro tem.
Uma história lindíssima, porém super mal contada. O livro tem a pegada de ser fofo e bonito por falar de uma história deste tipo, mas não te prende e também não te faz suspirar. O bom que é super fino e pela primeira vez o filme me encantou muito mais do que o livro.

Resenhado por [Mariana Bittencourt].

144 paginas, Editora Novo Conceito, publicado em ano 2013.
*Título Original: The vow
Tradução: Ivar Panazzolo Júnior

[Resenha] Um amor, um segredo e as surpresas que a vida reserva

Nota do resenhista[rating=5]Com uma história comovente, incrível e diferente. Dois Rios é um livro incrivelmente bem e feito e muito bom.    Tempo: Para ler durante a semana.    Finalidade: Para sempre pensar em suas escolhas.    Restrição:  Para quem não gosta de dramas familiares.    Princípios ativos:  Família,... leia mais

[Resenha] Bob e seus pensamentos

Nota do resenhista[rating=5]Nessa magnífica história, a trajetória de James e seu gato laranjinha chamado Bob continuam. Os dois são unidos pela amizade e cada um sustenta o outro em momentos complicados e difíceis. Não deixe de acompanhar essas aventuras de um homem e um bichano pra lá de esperto!    Tempo: Para ler de uma tacada só.    Finalidade: Para mostrar o... leia mais

[Resenha] A essência do amor perfeito.

Nota do resenhista[rating=5]Helena ama Demétrio, que ama Hérmia, que ama Lisandro. Quando esses quatro jovens apaixonados se encontram na floresta, o rei dos duendes decide ajudá-los, mas o que deveria ser o final feliz se transforma em uma grande confusão de desilusões e descobertas amorosas.    Tempo: Para ler de um tiro só no final de semana.    Finalidade: Para... leia mais

[Resenha] O que a vida espera da gente é um pouco de coragem…

Nota do resenhista[rating=5]Depois de uma vida muito sofrida com decepções vindas de todos os lados, Madora Welles acredita que algumas garotas têm sorte, mas ela não. Depois de uma revira volta em sua vida ela sente que precisa se libertar, tanto das pessoas que a cercam, quanto dela mesma.    Tempo: Para ler e dois dias no máximo.    Finalidade: Mostrar uma... leia mais

[Resenha] Viagem pelo mundo das fadas.

Nota do resenhista[rating=5]Fadas sempre povoaram nossa imaginação. Em parte graças aos contos infantis que nos são contados. Quantas vezes não nos imaginamos entrando no mundo mágico das fadas, vivendo aventuras ao lado dos seres encantados? Quando Bianca resolve mexer com o desconhecido, sua amiga desaparece. Para resgatá-la, ela embarca em uma viagem pelo mundo dos seres encantados, sem saber que... leia mais

[Resenha] A correspondência das princesas.

Nota do resenhista[rating=5] Quem diria que as princesas dos contos de fadas mantinham correspondência entre si… Branca de Neve, Aurora (mais conhecida como Bela Adormecida) e Cinderela se escrevem mutuamente, contando sobre as rotinhas em suas vidas e sobre o futuro que esperam ter ao lado de seus príncipes encantados.    Tempo: Para ler e um tiro só no final de... leia mais

[Resenha] Um livro sobre as experiências de infância.

Nota do resenhista[rating=5] Um homem de meia-idade desenterrando suas memórias de infâncias. De um lado estão às lembranças da doce amiga Lettie Hempstock. Do outro, coisas estranhas que aconteceram quando era criança. “Uma fábula que nos lembra como nossa vida é ditada pelas experiências de infância. O que ganhamos com elas e o preço que pagamos.” Kirkus Rewiews    Tempo: ... leia mais

[Resenha] A Sala Mágica

Nota do resenhista[rating=5] Eva, Sharon, Shelley e Alyssa. Quatro gerações de mulheres cuidando de uma loja de vestidos de noivas. Quatro histórias de vida diferentes, que contribuíram para que a loja se tornasse o que é: um local onde as noivas podem encontrar o vestido perfeito para seu momento perfeito.    Tempo: para ler de um tiro só no fim de... leia mais

[Resenha] Um pacto, uma aliança, amor e paz.

Nota do resenhista[rating=5] Quem diria, casamentos arranjados existem até no mundo dos vampiros. Um príncipe vampiro e uma garota americana têm que se casar para manter um pacto que sela a paz entre duas famílias poderosas. O que a garota em questão não sabe é que ela também é uma vampira, uma princesa vampira. E o amor, onde fica? Leiam para descobrir.    Tempo: para ler de um... leia mais

[Resenha] Para sempre

Nota do resenhista[rating=3] Para quem viu o filme vai se assustar ao ler o livro. Totalmente diferente mas mantendo a linha de ser fofo e bonitinho e não deixou de ser uma história lindíssima ,porém, com pontos cruciais para ser um livro que não entre nos top 10.    Tempo: 1 dia    Finalidade: quem gosta de romance    Restrição: para... leia mais

« Posts Anteriores

top