Selecione a página

Rivalidades à parte…

Este domingo foi um dia tenso entre os fãs de Harry Potter e Crepúsculo. O MTV Movie Awards motivou campanhas dos dois fã-clubes a favor de suas sagas favoritas. No entanto, há muitos leitores que gostam das duas. E o espaço de Resenhas deixará as diferenças de lado.

Gostando ou não da prosa de Stephenie Meyer, confira aqui a resenha de Luciana Zulpo sobre “Crepúsculo”, que fala sobre o estilo da autora e desconstrói alguns argumentos falhos contra a obra. Dê uma olhada e bote a boca no trombone!

Já fez sua sugestão para esta seção? Clique aqui e mande sua dica!

“Crepúsculo”, de Stephenie Meyer

tempo Tempo: para ler pouco a pouco em intervalos durante a semana
indicacao Finalidade: para se emocionar
restricao Restrição: para quem não suporta melodrama
principio Princípios ativos: vampirismo, romance, colegial, proibição.

Isabella Swan – ou Bella – é uma colegial desajeitada e sem graça. Querendo dar mais espaço para sua mãe e o novo marido dela, Bella resolve mudar-se para a casa de seu pai, na pequena e nublada cidade de Forks. Primeiro dia de aula. Escola nova. Essas duas palavras que causam arrepios em muitos adolescentes quando colocadas em uma mesma sentença. Até aqui, não temos nada de anormal na trama. Aliás, grande parte das pessoas já passaram por isso. Esse é um ponto fundamental que ajuda a entender o fenômeno Crepúsculo: sua protagonista é tão normal quanto aquela garota calada no canto da classe que você vê todos os dias. Talvez você mesma seja ou foi essa garota.

barra

crepsculo

Logo de cara, Bella percebe que não é a única deslocada naquele lugar. Extremamente belos, pálidos e bem vestidos – os Cullen não são exatamente o tipo de pessoas que você espera encontrar no refeitório da escola. O mais novo (e desacompanhado) Cullen – Edward – divide a bancada com ela nas aulas de biologia, onde começa uma amizade um pouco conturbada entre os dois. O que é um longo processo de investigação para Bella é entregue prontamente ao leitor logo na contra-capa do livro: Edward é um vampiro. Outra descoberta para Bella: ela está apaixonada por ele e, aparentemente, seu amor é correspondido.

Para deixar claro, esse texto trata apenas do volume um da saga. Há tantas diferenças nos defeitos e qualidades de cada livro que prefiro tratá-los separadamente, restringindo o foco dessa resenha.

Talvez mais interessante que a enorme onda de fãs que a saga conquistou seja a grande massa daqueles que detestam o livro. Se Crepúsculo é moda, odiar Crepúsculo é mais ainda. Sem entrar na questão de qualidade literária, que será abordada mais adiante, pode-se ver uma das grandes armadilhas na qual a obra caiu – publicidade equivocada. Crepúsculo acabou por atrair um público que não era o seu – aquele que estava sedento por uma boa história de vampiros à moda antiga, regada a muito sangue, estacas, caninos afiados e pescoços expostos. Quem leu o livro com essa expectativa, na certa se sentiu enganado. Não é disso que se trata o livro. É preciso, então, separar o que é de fato uma crítica à obra desse sentimento de expectativas quebradas.

A trama é essencialmente sobre os conflitos psicológicos de Bella, sobre os relacionamentos com aqueles que a rodeiam, sobre a força do primeiro amor. Stephenie Meyer, a autora, declarou não ter se baseado em livros como “Drácula”, de Bram Stoker ou “As Crônicas Vampirescas”, de Anne Rice. Sua fonte de inspiração foram livros como os de Jane Austen -“Orgulho e preconceito” e “Razão e Sensibilidade”, com um viés muito mais intimista. Stephenie acertadamente não aposta em seqüências de ação, mantendo sempre o conflito dentro da mente de cada personagem – o que combina perfeitamente com a proposta mais introspectiva do livro. O foco está nos sentimentos, que são passados ao leitor com detalhes e clareza pela narradora Bella, com um vocabulário apropriado para uma adolescente, sem se tornar pobre ou requintado demais.

No que diz respeito a críticas, a que mais se repete é a acusação do livro ter obtido sucesso abusando de idéias de consumo certo – que garota não quer ter alguém tão perfeito que literalmente brilha jurando seu amor eterno a ela? Que vai protegê-la para sempre? Embora isso certamente tenha contribuído, milhares de livros com essa premissa são lançados todos os anos e não viram um sucesso instantâneo. É um dos ingredientes, talvez até mesmo um facilitador, mas não é a receita toda.

Não se pode ignorar o elemento sobrenatural. O novo conceito de vampiros, sua adaptação aos tempos atuais (vampiros dirigindo um Monster Truck? Jogando baseball?), as novas regras – não morrem ao sair no sol, por exemplo- deram nova força a um dos seres mitológicos mais atraentes, bem como fizeram a obra abocanhar um outro perfil de público.

Apesar de não terem a mesma ferocidade dos vampiros tradicionais, o perigo está ali. Os Cullen são “vegetarianos”, isto é, se alimentam de sangue não humano. Ainda assim, Edward não arrisca chegar muito perto de Bella, temendo não resistir a um gole do seu sangue. Aquilo que é naturalmente perigoso sempre exerce uma atração e um fascínio próprio, que Bella sabe narrar tão bem.

Edward é cauteloso ao aproximar-se de Bella e tocá-la. Sua força pode facilmente quebrá-la ou sua sede pode fugir ao seu controle, a qualquer momento. Involuntariamente, a relação deles acaba adquirindo uma áurea de inocência. Não são colocados em discussão aspectos mais delicados da sexualidade. Há um certo conforto, tanto para o leitor quanto para a autora, adquirido ao desviar de assuntos mais espinhosos. Ainda assim, o erotismo delicado e com senso de oportunidade é um dos pontos altos (que, infelizmente, perde-se nos próximos livros). Meyer consegue articular com sensibilidade os rubores, sorrisos, leves toques e abraços compondo um belo jogo de cena.

A epígrafe, retirada do Gênesis (aliás, quem disse que vampiros e bíblia não combinam?), resume o espírito da obra: “Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: não comereis dele, nem nele tocareis para que não morrais”

Edward é a maçã de Bella, assim como Bella é a maçã de Edward.

Resenhado por Luciana Zulpo

390 páginas, Editora Intrínseca, publicado em 2008.
*Título original: “Twilight”. Publicado originalmente em 2005.

Onde Comprar

Sobre o autor

144 Comentários

  1. Luan

    2012 nunca esteve tão perto. 8O

    Responder
  2. Rafaela

    fico feliz de ver o potterish nao cair nessa guerrinha ridicula de twilight/HP tbm.
    nao há rivalidade. nao há comparaçao entre as series.

    crepusculo nunca teve pretensao de ser HP. como a resenha disse, isso é um romance com vampiros e nao um livro de vampiros com romance. o principal da historia é a relaçao dos personagens e nao o sobrenatural.

    sou fã das duas series. pra mim nenhuma é melhor que a outra. cada uma tem suas qualidades assim como seus defeitos.

    Responder
  3. Diana

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Responder
  4. Letícia

    Crepúsculo é uma leitura adolescente e tem toda a sua construção baseada nisso. Mas se for levado em conta o nível de literatura não há desculpa que releve a fraqueza da ‘saga’. Meyer é repetitiva e a Bella é insuportável. Ok, talvez pra mim. Mas seus personagens são claramente rasos e o caso da mocinha vai além, remontando aqueles estereótipos de burrinhas andantes, confiando cegamente em seu príncipe (coisa de alguns séculos atrás… Romantismo on*).
    A falta de personalidade da Bella é trágica e consegue piorar o livro. E a repetição ‘Edward e sua voz de veludo. Edward e sua pele de mármore. Edward e seus olhos cor de topázio’ definitivamente não ajudam. Mas o sucesso vem da leitura fácil e sem compromisso, caindo no colo das adolescentes sonhadoras como um presente. Acho tbm que vem do fato de termos meninas emos. E, na boa, Crepúsculo é emo. Mas ok, não dá pra discutir gosto. No entanto, tbm não dá pra engolir a Meyer como uma boa escritora. Além de não trazer nada de bom, ela conseguiu destruir algumas coisas legais.

    Responder
  5. MARIANA SEABRA

    Ficou excelente, concordo em todos os aspectos. Muita gente usa o argumento “Ah, vampiro virgem porpurinado de 109 anos”, e gente, por favor. COMPLETAMENTE NADA A VER comparar twilight com HP, que são sagas completamente opostas com mensagens muito diferentes. Aliás, nem tão diferentes assim… Twilight é o amor que supera tudo e Harry Potter, a AMIZADE, que também é amor. Fora que o objetivo do livro não é um conto de terror e sim mostrar o amor proibido e verdadeiro.

    Responder
  6. Marininha Potter

    Falou tanto, tanto, tanto… e não disse nada .-.
    Odiar Twilight é modinha? Nem sabia. Eu odeio, mas não por isso -q
    Acho muito escroto da Meyer ter se baseado em Orgulho e Preconceito e depois ter dito que Edward e Bella são melhores que Elizabeth e Mr. Darcy. Aham, Edward, brilha lá /lixa

    Só sei que não sou a Bella e nem pretendo ser. Bella é sem personalidade e guiada totalmente pelo Edinho. “Ai, mas ela foi atrás do Jacob em Eclipse sem o Ed querer/deixar” Só isso, né, amiga? ¬¬’ Isso já trás para o “machismo” nas entrelinhas da série. Enfim, não sei porque estou falando isso /z
    Goste de Twilight quem quiser, eu fui MUITO fã já, gostei por um tempo mesmo sabendo os defeitos e devido a alguns fatores agora odeio. Mas quem disse que isso importa? É um livro, assim como Harry Potter, e está aí para passarmos nosso tempo e nos divertimos ;)

    Responder
  7. Aaron

    Daqui a pouco veremos a resenha de “Bruna Surfistinha” aqui no site…

    Responder
  8. Marininha Potter

    P.S. Eu achando que tava abalando com meu comentário e vejo o da Lils acima, para acabar com meus sonhos :cry: -qn

    Responder
  9. Aaron

    Que credibilidade tem uma pessoa que escreve um romancinho meloso adolescente e diz ter superado Romeu e Julieta de Shakespeare?

    Responder
  10. Diana

    Eu sinceramente ainda estou pensando qual o objetivo dessa resenha. 8O

    falasério :!: :!: :!:

    Responder
  11. Gê

    Gostei da atitude do Potterish, mostrar que tem espaço para todos os fãs cada um com sua loucura (pq amar Crepúsculo, é loucura).

    Apesar de eu simplesmente ignorar a existência de Crepúsculo, e repudiar completamente comparações entre HP e Crepúsculo (até porque não tem comparação, HP é algo superior), gostei dessa atitude.
    E é esse tipo de atitude que falta na maioria dos fãs de Crepúsculo (maioria infantil),todos que eu conheço pessoalmente e a maioria que eu conheço na net, fala mal de HP sem ao menos conhecer. Não vi até agora algum fã site de Crepúsculo ter esse tipo de atitude. Eu ODEIO Crepúsculo, mas li os 4 livros, para ter argumentos sobre o que eu odeio e mais repudio na serie grotesca. Agora pergunta para aqueles que falam mal de HP se ele ao menos viram algum filme.

    Vejo essa atitude do Potterish digamos, “lavar as mãos”, kkk’ e eu gostei disso kk’

    Mas concordo com o Luan, 2012 nunca esteve tão perto +1
    E que HP não pode ser comparado com Crepúsculo isso é fato, HP é o tipo de livro único, que você não ver parecido em lugar nenhum, agora Crepúsculo, sinceramente, já li fanfics melhores que os 4 livros juntos.

    PS: Aqui eu expressei minha opinião, e quando digo fãs de Crepúsculo, quero dizer a MAIORIA, então não vem dá piti, pq se a carapuça serviu, não posso fazer nada :D

    Responder
  12. Nandagina

    Li Crepusculo, e pra quem tava carente de uma série, depois que Harry Potter acabou, vou ser sincera me encantei com o 1º livro, sofri um pouco com o segundo (tava mto carente naquela época) E pronto morreu meu momento admiradora da série. Pq depois de ler mais ou menos eclipse, e pular várias páginas do amanhecer eu notei que a série é fraca, assim como a autora que tem pouca criativida, e enche mtaaaaaa linguiça no eclipse e no amanhecer pq, a história já poderia ter acabado em lua nova… ela tirou uma guerra vampiresca não sei da onde, sinceramente deixou muito a desejar, a gente se motiva com alguma história nova, mas vai demorar pra uma conseguir alcançar com qualidade o que Harry Potter alcançou, realmente J.K criou um mundo, e não alguns “personagens do enredo” ela criou histórias de vida, laços, realmente nos tirou desta dimensão e nos lançou em outra, e fez isso de maneira única e com primor. Eu sinceramente fico boba, quando leio um fato de reliquias que se encaixa perfeitamente na pedra filosofal, e me pergunto: Como ela conseguiu fazer isto??? Não sei, ela é um genio…espero que ela coloque logo nas prateleiras algo novo, pq estamos orfãos de boas histórias…Nada contra, mas realmente Harry Potter é infinitamente melhor que Twilligth.

    Responder
  13. Gê

    Ah, mas uma coisa, para mim, os livros inteiros de Crepúsculo (não vou chamar isso de saga, não merece nem o titulo de serie) Poderiam ser resumidos em uma frase “A Bella está com hormonios a flor da pele e não consegue decidir com quem vai ficar (para não dizer outra coisa)”
    1 capitulo do livro a gente pode resumir em frases, nunca vi uma autora para enrolar tanto, minha amiga enrola mais que ela, e se isso é literatura, nao sem mais onde vivo e nao encontro mais razão para viver.

    Concordo plenamente com Stephen King:
    “Ambas Rowling e Meyer, estão falando diretamente a pessoas jovens… A real diferença é que Jo Rowling é uma fantástica escritora e Stephenie Meyer não consegue escrever nada que preste. “

    Responder
  14. Camila

    Essa sim é uma questão delicada (para não dizer simplesmente ‘chata’).
    Está na hora de pararmos de fomentar essa suposta “rivalidade”. Não foi o fandom de HP que começou, acredito. Nem acredito que tenha sido o de Twilight.
    Esse conflito surgiu, creio, através de comparações da mídia, sedenta por um novo ‘fenômeno’ para explorar e da publicidade de Crepúsculo que, muito inteligentemente, apoiou-se em uma série já consagrada para alavancar seu produto.
    A principal série das últimas décadas e o maior fenômeno literário da história logo, logo não renderia tanto. A história se aproximava de seu desfecho. Hora de encontrar um substituto para os leitores ávidos que ficariam “órfãos”. Afinal, quem não foi seduzido por aquelas frases killer nas contra-capas: “Maior sucesso desde Harry Potter”, “O livro que tirou Harry Potter do primeiro lugar”?
    Confesso que foi esse o chamariz que me atraiu a ler a saga. E como muitos, me senti decepcionada. Depois veio a revolta de todo amante e admirador fiel com as pérolas do tipo “A nova J.K. Rowling”. Com a cabeça quente lá foram os pottermaníacos em defesa de sua musa… 8)

    Não digo que a senhora Meyer não tenha seus méritos. Mas sua obra está looonge de ser o que a mídia e seus fãs mais ardorosos pregam.
    Como fã dos vampiros à la mode de Rice e Stoker, inicialmente também me senti um tanto ultrajada com os “sparkling vampires”. :)
    Quanto ao livro Crepúsculo: é, com certeza, o mais sólido e bem estruturado da série que, na minha visão, foi se desmazelando. Acho que esse foi o principal erro da autora na série (não li os outros livros dela): forçar uma história a ir além do que poderia render. Resultado: páginas e mais páginas de conteúdo desnecessário e cansativo (principalmente no último, Amanhecer). A escritora acaba se perdendo e contradizendo a própria obra, mostrando um certo amadorismo. Os motivos, se foram comerciais ou não, só imagino.
    No mais ela segue quase que uma receita de bolo. A história de amor impossível entre mortal e imortal mais que usada, gasta e sugada até a última gota por autores diversos desde Bram Stoker. Personagens baseados em estereótipos e praticamente unidimensionais. Uma ‘tentativa’ de se aventurar pelas histórias de lycans. Pouca originalidade e inventividade.
    Como você colocou na restrição, Luciana, o melodrama é mais do que explorado. À alguns agrada. Confesso que a mim não. ;)

    É algo para ler sem compromisso, sem grandes expectativas. Entretém e até emociona, sim. Mas não cave muito fundo, não vai encontrar muito.
    Para esse quesito, sou sincera, prefiro Meg Cabot (aqui não digo que uma é melhor que outra, é só a minha preferência, ok?).

    P.S.: Gostaria de deixar bem claro que não sou uma ‘anti-Twilight’. Nem nada do tipo.
    Não critico porque está na moda, mas por ser essa a minha opinião formada e estruturada, ok?

    Responder
  15. tali

    não tem uma pessoa em sã consciencia que ache os 2 ultimos livros de twi legais!!!!!!!!!!

    FATO

    Responder
  16. Anônimo

    —-

    resenha
    CREPÚSCULO:
    NÃO HÁ NADAA DIZER PQ NÃO É UM LIVRO, E SIM UMA BABOSEIRA AMERICANA :roll:

    Responder
  17. Camila

    “…já li fanfics melhores que os 4 livros juntos.”
    Pior que é verdade! :x

    Responder
  18. Camila

    ops, emoticon errado: 8)

    Responder
  19. Camila

    Mais um erro, dessa vez no primeiro coment: “um total amadorismo”. Estava escrevendo uma coisa, mudei de idéia e esqueci de trocar a palavra. :roll:

    Responder
  20. diana

    achei sensacional a atitude do ish em publicar isso, e acho que alguns comentários estão se deixando levar justamente pelo que o site tá tentando quebrar: essa rivalidade infundada.
    concordo plenamente com a Camila: quem criou essa guerra foi a mídia, fazendo comparações e instigando os fãs de ambas as sagas a defender o seu lado.
    não há rivalidade, não há conflito: HP é um clássico, é um legado que vai ficar pras futuras gerações e jamais será esquecido.
    Crepúsculo é uma série que explodiu pela sua história que, como bem apontou a resenha, é de fácil identificação, que mistura dois elementos de desejo de muita gente: o amor perfeito e o sobrenatural. Como todos os veículos de comunicação o chamam: é um fenômeno, e sendo assim, daqui a pouco passa.
    Mas o motivo pra essa distinção não está na trama. Não se trata de bruxos vs vampiros, de aventura vs romance, de Harry vs Edward. Cada um tem o direito de gostar mais de um ou de outro, e ninguém é melhor ou pior por isso. O motivo é simples e notório: HP foi escrito por uma ESCRITORA e tem, portanto, toda a qualidade narrativa necessária aos grandes clássicos, mantida ao longo dos 7 livros.
    Crepúsculo foi escrito por uma dona de casa que um dia acordou com um sonho na cabeça e resolveu colocar no papel. Tem, portanto, muitos aspectos a serem criticados e furos ao longo dos 4 livros. E não merece menos mérito por isso, aposto que milhares de donas de casa fazem o que ela fez todos dos dias e nem por isso viram sensação mundial.

    Eu acho que falta um pouco de seriedade ao falar do assunto, por parte dos dois lados. Não tem porque comparar as duas obras. Foram escritas por pessoas completamente diferentes, em momentos diferentes e com finalidades diferentes. E cada uma das duas serviu muito bem a sua finalidade.

    Responder
  21. Rafaela

    Eu acho que falta um pouco de seriedade ao falar do assunto, por parte dos dois lados. Não tem porque comparar as duas obras. Foram escritas por pessoas completamente diferentes, em momentos diferentes e com finalidades diferentes. E cada uma das duas serviu muito bem a sua finalidade. [2]

    Responder
  22. Alex Dinho HD

    peidinho na cara dos fans de Crepusculo Twilight e dos fans do bruxo… peidinho bem doce….
    :D :D :D :D :o :o :o :o

    Responder
  23. Daniel Mahlmann

    Bem pessoal, como a resenha aborda um livro que vem sendo repetidamente comparado com Harry Potter, me sinto na obrigação de dar uma palavrinha aqui.

    Antes de mais nada, essa resenha não representa a visão da equipe do Potterish; apenas da nossa resenhista Luciana Zulpo. No entanto, o Potterish não apoia nem promove tais brigas entre os fãs, e exatamente por isso não vimos um bom motivo para impedir que esta resenha fosse publicada.

    Conforme está escrito na página das resenhas, nós não resenhamos apenas clássicos, estamos abertos a vários estilos exatamente para dar aos fãs de HP a oportunidade de conhecer e, talvez, se interessar por outros tipos de leitura. Tirar Crepúsculo dessa lista seria, no mínimo, infantil.

    Caso você odeie Crepúsculo e tenha achado essa resenha sem fundamento, sinta-se livre para ler outros textos sobre outras obras nessa página:
    http://arquivo.potterish.com/resenhas/

    Abraços.

    Responder
  24. chutzki

    “Meyer é repetitiva e a Bella é insuportável.”

    sem mais, acho que a letícia falou tudo.

    Responder
  25. Gláucia Lidiane :D

    Bom, eu acho ridicula as comparações de HP com crepusculo, quem começou essas comparações como foi dito acima, foi a midia em especial a capricho que sempre faz essas guerrinhas pra provocar os fãs de ambas as séries afim de gerar polêmica e conflitos sem fundamento. Eu já li os 4 livros de crepusculo para poder ter argumentos ao falar mal, pq n adianta falar mal sem conhecer, do msm jeito, 70% dos fãs de Twilight metem o pau em Harry Potter agora pergunte se já leram a primeira pagina de pedra filosofal, NÃO. Na minha opinião crepusculo atrai o público feminino por causa de Edward e Jacob, principalmente Edward, porque Bella n faz nada nos livros a não ser dizer que Edward é, resumindo, ”o cara mais perfeito do mundo” ou seja, isso atrai as meninas, como foi citado na resenha, quem não quer um namorado lindo, carinhoso, tudo de bom, pra te defender e que te ame eternamente? Todas querem, e por na vida real não existir esse ser perfeito, elas se fixam num ser perfeito ficticio, somente digo que Edward não existe, e Robert Pattinson não é perfeito não, tem atores muito mais bonitos, talentosos e etc, só gostam dele porque ele interpreta o Edward, e o Edward não existe, essas meninas não caem na real. Falando em termos de qualidade não tem nem o que comparar com HP, Jk tem muito mais qualidade ao escrever do que a Meyer, e os fãs de crepusculo colocaram um fogo que nem preste naquele dia que a Evanna Lynch disse que HP era melhor, me polpe, eles colocaram no foforks: -Atriz de harry potter ESCULACHA crepusculo. Olha ai, cadê a maturidade pra diferenciar esculachar de dar a sua opiniao pessoal? E eu se fosse a evanna, tinha dito mt pior, tinha metido o pau sem dó nem piedade pq crepusculo n presta e xau. 8)

    Responder
  26. Bells

    Se odiar Twilight é modinha, GOSTAR (isto é, morrer pelo Edward) é o que? Um Fashion Tour completo, né? E olha, eu falo isso sem odiar Twilight, hein. Eu gosto, até, minimamente, porque acho a Bella insuportável e o Edward sádico. Mas, pelamor, gostar de uma série só porque ela aborda o cara perfeito (ou o que quer que essas menininhas de 13 anos julguem perfeito, porque nem nos meus 13 anos eu iria querer alguém como o Edward) é muito distante de AMADURECER, CRESCER com uma série que aborda assuntos SÉRIOS que envolvem valores ignorados pela sociedade hoje em dia.
    O sucesso de Meyer não provém de talento, e sim do estereótipo do carinha que toda menininha sonha em ter pra si. Enquanto que, cá entre nós, J.K. é a personificação da criatividade e do talento literário.

    Responder
  27. Rebecca

    O povo e essa mania de querer achar que duas sagas por serem famosas não podem coexistir! como tudo no mundo, as opiniões devem ser respeitadas, HP não será menos interessante para aqueles que gostam, só por causa de comentários, e o mesmo serve para Crepúsculo.Até parece que um deles vai deixar de existir por causa de discuções entre fans….
    o importante é todo mundo se respeitar :D

    Responder
  28. Letícia

    Esse assunto dá mto pano pra manga… não são séries comparáveis. A única coisa que têm em comum é que ambos são livros. É válido sim, mas para um público específico.
    E sem querer ser chata, o livro é ruim como literatura (eu li – infelizmente).

    Responder
  29. BARBOSA

    NAGINI É UM BASILISCO !!!

    Responder
  30. scarface

    Concordo com vc Barbosa, mas … o que isso tem a ver com esse tópico?

    Responder
  31. Camila

    diana, acho que o que falta é mais calma. Entendo a revolta do pessoal. Até sinto também quando leio coisas que saem como “Crepúsculo bate Harry Potter”, “Crepúsculo é o novo Harry Potter”, “Stephenie Meyer é a nova J.K. Rowling” e muito fãs de twilight acreditaram. Mas precisamos pensar que isso parte inicialmente de interessados em explorar e vender um produto. Harry Potter é, para estas pessoas, uma marca. Uma marca que rendeu e ainda rende bilhões. Colocar o nome de Harry Potter em alguma coisa é garantia de que vai chamar atenção, é garantia de lucro.
    Depois foram alimentando essa ‘rivalidade’ e o ruim é que alguns potterianos compram essa briga.
    Por que odiar Crepúsculo? Porque é uma história repetida? Porque é mal escrito? Por que tem personagens ruins? Olhando assim, parecem motivos bobos, não?
    Eu já escrevi o que penso aqui. Resumindo: não acho que Crepúsculo tenha real valor literário. Sendo sincera, não gosto do ideal de amor que Meyer passa pois vai contra meus preceitos e convicções. Acho que chega a beirar o doentio. Mas nem por isso odeio Crepúsculo ao a autora, apenas desaprovo e descordo de suas idéias.
    Leia, mastigue e digira. Se não gostar, deixa de lado e pronto, certo?

    Vamos acalmar os ânimos e usar a cabeça, pessoal. Fugimos da idéia aqui, que é a de analisar a obra objetivamente.

    Responder
  32. Paulinha

    eu já fui um pouco lover de Twilight o_O, mas hj não gosto nem um pouco.

    enfim , eu admiro a iniciativa do Ish em deixar um pouco as ‘rivalidades’ e trazer twilight pras resenhas.

    eu não gosto da série pelos varios motivos que as pessoas já falaram nos comentários e mais outros.
    discordo com alguns pontos pontos da resenha, não acho a Bella uma adolescente mt comum e nem que a série é sobre seus ‘conflitos’ (problemas) psicológicos.
    mas concordo com o fato de entre os 4 livros o primeiro ser o “menos pior”, era um bom ponto pra se ter parado, como isso não aconteceu o resultado foi um final de série fraco e vazio.
    Twilight faz sucesso pq é uma formula que sempre funciona, junte ‘garotos bonitos’, frases de efeito (“vc é minha vida”, “Vou te amar até morrer”) e um triangulo amororso. THARAM!

    eu já fui uma fã de HP que queria quebrar o pau com os Twilighters, mas hj não me importo mais tanto, apenas me decepciono x_x.
    não vou entrar no mérito de comparar com HP pq não é assunto da resenha e além de ser incomparavel. 8)

    Responder
  33. Camila

    Descordo foi péssimo, gente, desculpem.
    *dIscordo ^^

    Responder
  34. Luise

    Parabéns Potterish! A atitude de vocês só mostra como os fãs de Harry são maduros, muito mais que os infantis “twilighters”, que parecem ter como único objetivo destruir todas as outras séries de livros.
    Eu já li todos os livros de crepúsculo e, sinceramente, não tem o que comparar com Harry Potter. Além de os públicos serem diferentes, Harry Potter é mais bem escrito, tem uma história mais complexa e com as pontas bem atadas e dá de 10 a 0 em qualquer outro livro, principalmente em crepúsculo.
    Resumindo, eu concordo totalmente com Stephen King, e por Harry ter um nível superior, não tem porque brigar e comparar, né? :D

    Responder
  35. @carolfts

    Concordo super com a Luise. A iniciativa do Potterish de colocar essa resenha aqui mostra que não existe competição.
    Cara, são sagas COMPLETAMENTE diferentes.

    Não podemos negar, claro, a existência da rivalidade entre os fãs. Ela existe, mesmo sem motivo, e não tem o que fazer.

    Já li Crepúsculo, e o fato é que ele é voltado, como a maioria disse, para um público específico. Sou pottermâniaca desde sempre, mas, afinal, gosto é gosto. Cada um tem direito de gostar do que quiser.

    A única coisa que me irrita é essa modinha toda. Garotinhas estéeericas pelo Robert, meninas sonhando em ter um Edward…

    Quero ver se isso tudo vai continuar quando a “moda” passar. E, me desculpem as fãs, é moda sim. A maioria das “fanáticas” hoje, nem vão lembrar que isso existe daqui há alguns anos. Já Harry Potter, é eterno. Vou ler pros meus filhos, e eles vão ler pros netos… É uma coisa que NUNCA vai acabar. Harry Potter é eterno, e a genialidade de JK Rowling será transmitida de geração pra geração. <3

    Responder
  36. Sphynx

    Uhn… Credopúsculo.-.

    Responder
  37. Daniel

    A única coisa que me impede de dizer que me arrependi de abrir essa página foi o comentário do Barbosa.

    E eu queria que parassem de puxar o saco nas resenhas. No mínimo deveriam reconhecer aquilo que a Marina comentou da visão machista, fútil e encantada da personagem principal.

    Não sou twilight-hater mas não há como falar da série sem falar de defeito.

    Responder
  38. Rildo

    BEM… A RESENHA NÃO FALOU O QUE EU IMAGINEI QUE IA FALAR, ENTÃO EU VOU DIZER O QUE PENSO SOBRE CREPUSCULO:

    COLOCAM NA CONTRA CAPA DE LUA NOVA:

    STEPHENIE MEYER, A MAIS BADALADA AUTORA DE FANTASIA DO MUNDO.

    QUE FANTASIA? EU ME PERGUNTO…

    AH, E TEM MAIS, ALGUÉM JÁ OUVIU FALAR O NÚMERO DE LIVROS QUE HARRY POTTER JÁ VENDEU SE COMPARADO AO ROMANCE DOENTIO DE BELLA COM EDWARD?

    SE EU FOSSE O POTTERISH TERIA BARBARISADO GERAL COM CREPUSCULO… COMO DISSE UM CRITICO, VAMOS ESPERAR PELO QUARTO FILME, PRA VER SE, ALÉM DE LOBO OU VAMPIRO, BELLA VAI SE APAIXONAR PELO MONSTRO DO PANTANO, OU QUEM SABE PELO JASON E O ASSASSINO DE PÂNICO.

    PARA MUITAS MENINAS DESEQUILIBRADAS, BELLA É UM EXEMPLO A SE ESPELHAR, PARA MIM, UMA LESMA DOENTE QUE PRECISA SERIAMENTE DE UM PSIQUIATRA E TOMAR REMEDIOS CONTROLADOS.

    O QUE EU ACHO SOBRE A HISTÓRIA? ME DÁ SONO…! SEM~AÇÃO, PARADO E UMA PURA FUTILIDADE… ¬¬

    OH, EU COLOCARIA OS PÉS EM BRASA POR EDWARD… AHH ME POUPE, COMO É QUE AS MENINAS VIBRAM COM ISSO? SERIA BOM SE A JK LANÇASSE OUTRO LIVRO RELACIONADO A HP, QUE MOSTRARIA O SEU PODER E ACABARIA COM A RAÇA DESSA M… DO CREPUSCULO… ¬¬

    Responder
  39. Rildo

    SEI QUE NÃO É PRECISO RIVALIDADE ENTRE AS SÉRIES, MAS UMAS VERDADES PRECISAM SER DITAS, JÁ QUE, POS FÃS DE CP QUEREM ESMARGAR HP… ENTÃO PRONTO…!

    Responder
  40. denise

    Acredito não existir rivalidade nem comparações entre as obras, “crepusculo” não é um clássico, e sim uma literatura para atingir um público específico e concordo com alguns pontos altos apontados na resenha.
    Concordo com o comentario de Daniel M. e também que ficar comparando essas obras é muito infantil e com certeza a resenha iria colocar “pimenta” nos comentarios e acho que foi justamente o objetivo, pois é fato que a obra ” Crepúsculo” atingiu uma enorme audiência e merecia ser comentada sim!!!!
    Na minha opinião a ilustração da capa do livro chamou mais atenção dos leitores do que o seu conteúdo, que desapontou !!!!
    Abraços a todos !!!! :D :D :D :D

    Responder
  41. @gusmaili

    “criou um mundo, e não alguns “personagens do enredo” ela criou histórias de vida, laços, realmente nos tirou desta dimensão e nos lançou em outra, e fez isso de maneira única e com primor.” /chorey

    Enfim, acredito sim, que foi uma boa iniciativa do Ish, mas a questão é: pra que? Meu, independente dessa rivalidade existente, vocês postando isso ou não, nossas opniões seram as mesmas. E essa atitude pode até ser vista como hipócrita por terceiros, mas nós que somos fiéis ao Ish jamais suponhariamos tal atitude (espero).

    Crepúsculo é sim uma literatura CHULA, que não me venha com esse papinho de que “não tem compromisso” pqp, em pleno séc. 21 só faltam abreviações naquela b* e outra, o enredo é repetitivo, cansativo e morto.

    São ESFERAS completamente DIFERENTES, comparações são desnecessárias e acredito que nem o fã de HP e nem o fã de Opúsculo (fãs de verdade) comparam suas sagas.

    Responder
  42. Sandra

    Concordo plenamaente com a resenha,apesar de
    achar que cada obra teve a finalidade de atingir um publico especifico e com assuntos totalmente
    diferenciados,apesar de achar a magia muito mais envolvente.ABRAÇO A TODOS…..

    Responder
  43. Nessa Lovegood Lima²

    Se Crepúsculo é moda, odiar Crepúsculo é mais ainda. [2 votos]

    Anyway, eu nunca disse que Crepúsculo é um exemplo de bom livro, só é um bom livro pra se passar o tempo e melhor que muita coisa que tem por aí, mas que nem por isso o povo fica falando mal! É FATO que a modinha odiar Crepúsculo só existe porque Crepúsculo é modinha… E porque o filme está batendo Harry Potter no MTV Movie Awards (honestamente, gente, vocês torcem pelos filmes de Harry Potter??? Depois da vergonha que foi o sexto filme eu estava torcendo era pra ele ganhar o Framboesa de Ouro, pra ver se pelo menos assim os caras tomassem vergonha na cara e fizessem um filme decente! Porque até um prêmio tosco como o MMA, seria demais pra um filme tão podre! Por favor, fã fiel, sim, mas fã cego, não, né gente? =P), porque tem mais capas da Capricho com a cara do Robert Pattinson do que do Daniel Radcliffe, entre outras coisas…

    Agora eu penso… MMA, Capricho??? É piada né? Vocês se importarem tanto com coisinhas tão… superficiais, a ponto da simples menção da palavra Crepúsculo doer tanto em vocês e vocês já começarem a meter a boca! Olha, eu não perco tanto tempo da minha vida falando de coisas que eu não gosto não… Tá na hora de arrumar um cubo mágico, gente!

    Sim, eu gosto de Crepúsculo, sei de todos os defeitos que a série tem, não fico falando do “Rob” e da “Kris”, nem berrando “lindo, tesão, bonito e gostosão” a cada dois segundos (aff, isso até EU odeio! Que Crepúsculo tem muitas fãs toscas é FATO também), ainda acho que vampiros não viram purpurina no sol, mas ainda assim gosto do romance da série! Acho muito bonito sabe? E ainda não achei um livro que tivesse uma estória de amor tão intensa! Não, não vou comparar com Romeu e Julieta, ou algum clássico… Estou dizendo isso de acordo com o MEU ponto de vista. E gosto é gosto, cada um tem o seu!

    Estou longe de comparar Crepúsculo com Harry Potter… SEI que Harry Potter é milhões de vezes melhor… e eu mesma gosto muito mais de HP! (OS LIVROS, ok? Não puxo o saco de NENHUM dos filmes, mas nesse caso prefiro Crepúsculo!)

    Gosto de Crepúsculo pra passar o tempo… Não acho que seja um exemplo de literatura nem nada, mas eu gosto! É uma estória de amor bonita. (ponto)

    E não é indicada pra quem é fã de vampiros… Porque ESSES definitivamente vão odiar! Sabe, eu gosto de vampiros, mas não sou obcecada, por isso gostei de Crepúsculo, mas, ainda assim, não engulo o fato deles brilharem no sol… ¬¬’

    Ainda prefiro o bom e velho The Vampire Diaries… Que tem bastante romance também e vampiros mais reais!!! *-*

    E pra quem gosta de vampiros PONTO, leia Anne Rice… e não chegue nem perto de Crepúsculo!!! =P

    Responder
  44. Anônimo

    TODA ESSA BABOSEIRA É PRA DIZER QUE HARRY POTTER É MELHOR Q CREPUSCULO…..

    FATO!!!

    Responder
  45. LU

    HARRY POTTER TEM CONTEUDO GENTE!!!!!

    SE COMPARAR AS 2 SÉRIES, UMA NÃO TEM NADA A VER COM A OUTRA….FATO

    MAS…..QUE HP TEM CONTEUDO E CREPUSCULO É SÓ UMA BOBINHA Q NÃO SABE QUEM AMA…..ISSO É SÉRIO…..E TBM É UM FATO!

    Responder
  46. Priscilla

    Bom, em primeiro lugar gostaria de comentar a resenha. Luciana, o seu texto está bem escrito porém creio que você poderia ter se aprofundado mais nos assustos tratados. Cheguei ao final do texto e pensei “só isso?”
    Sobre a saga Crepúsculo, vou confessar que já li todos os livros, vi os dois primeiros filmes e vou ver o terceiro. Por que? Porque acho a saga um bom entretenimento. E só. Comparar Mayer a J.K. além de equivocado é ridículo. As duas sagas então, é o cúmulo. Analizando Crepusculo criticamente é possível perceber a tentativa de uma lavagem cerebral pela autora. Não é a toa que a saga tem na sua base de fans meninas de 12, 13 e 14 anos que tem a coragem de comparar o livro e os personagens com Romeu e Julieta de Shakespeare! Para quem não sabe a autora é da religião conhecida como morman (digo isso sem nenhum preconceito) e espalha os dogmas de sua religião em sua obra com metáforas pouco elaboradas. Alguém duvida que aquela história de “seu sangue é como uma droga para mim” ou “eu nunca posso perder o controle perto de você” não passam de metáforas para o celibado até o casamento? Outro absurdo é o fato de Edward ser considerado o cara perfeito quando não passa de um porco chauvinista que se aproveita de sua beleza e condição de vampiro para OBRIGAR uma jovem de 18 a se casar em pleno sculo XXI e assim ter-la só prara si. Na minha opinião não exister ser perfeito e se houvesse duvido que essa pessoa desligasse o motor do carro para empedir que a namorada fosse aonde tivesse vontade, just saying 8)
    Ah, sem falar que o fato de Edward ter cento e poucos anos e Bella ter 18 me traz lembranças de uma certa comunidade religiosa americana acusada de permitir que meninas menores de 14 anos se casassem com homens na faixa de 40. Fik dik.

    Responder
  47. Bárbara Sousa

    Eu não li a resenha, pois já li Crepúsculo e todas as possíveis resenhas, críticas e afins que poderia ter lido sobre os livros de Meyer. Fui direto para os comentários que, em sua maioria, demonstraram a maturidade e o senso crítico dos pottermaníacos, entretanto os últimos comentários foram infantis e tolos (salvo o da Denise, o da Nessa, o da Sandra e o do @gusmaili): desde quando vender milhões de livros pelo mundo é sinal de boa LITERATURA? Dan Brown vende milhões de livros ao redor do globo e eu não chamaria seus livros de clássicos literários (pelo contrário: são livros best-sellers com enredo polêmico feitos para serem vendidos aos borbotões e causarem polêmica e, consequentemente, marketing; são livros excelentes como entretenimento.), portanto, alta vendagem absolutamente NÃO é sinônimo de Literatura. Os livros de Stephenie são ótimos como entretenimento e diversão, mas, ao contrário dos de Brown, não servem nem para você se perguntar se aquela história poderia ser verdade… E não serve não porque é fantasia, mas porque poucas garotas podem ser tão doentias e ter tão baixa auto-estima como Bella o é nem existem garotos tão pacientes e “conformados” como o Edward pode ser ao ver, em “tempo real”, sua namorada beijar outro cara e ainda dizer: “Tudo bem! Eu sabia que isso ia acontecer!” e deixar para lá… Crepúsculo é bom para ser lido uma vez, a título de diversão, e, depois, ser guardado na estante. Já Harry Potter é para ser lido uma, duas e quantas vezes mais se sentir saudade; Harry Potter é para ser lido rapidamente (logo depois de se comprá-lo na livraria) e também para ser degustado, lenta e calmamente, tempos depois; Harry Potter é para ser repassado, comentado e contado para os primos e irmãos mais novos e, posteriormente, para os filhos; Harry Potter é para criar e cultivar o hábito da leitura, é para encantar gerações e se tornar eterno.

    Responder
  48. Alexandra

    Parece que leram a resenha e saiu tudo pelo ouvido. Não há comparação possivel entre Harry Potter e o Crepúsculo. Crepúsculo tem, se for preciso, tantos ou mais fãs que Harry Potter, foi um sucesso enorme, e várias pessoas adoram, bem como HP. CADA UM TEM O SEU ESTILO DE LEITURA. Eu, por exemplo, adoro livros de vamps. Vocês leram HP primeiro se for preciso e estão ai na defensiva porque não querem comparações cm a vossa adorada saga. O pior é que passama vida a atacar os fãs de Crepúsculo, como moi, enquanto que os do Crepúsculo NUNCA disseram uma palavra de ataque a respeito de Harry Potter, como eu tenho visto em tudo o que é site de Harry Potter.. Esse argumento de a Bella ser um “songamonga” e de ser muito repetitiva não cola.. se vos aparecesse á frente um Edward a única coisa que diziam é “eu amo-te, eu amo-te, eu amo-te..” ela está apaixonada, para ela tudo nele é perfeito, ela ama-o e não se cansa de o dizer. “Vocês tem um lado emocional do tamanho de uma colher de chá.”

    Responder
  49. Alexandra

    Esqueci-me de referir acima que também sou uma grande fã de Harry Potter. O que é importante e bom para vocês verem que devem ser imparciais e não se agarrarem ao livro e dizer “Nheciii o meé é’ mlhior qi o tehh” como um bando de crianças.

    Responder
  50. Maria Rodrigues

    A gente percebe que um escritor é bom quando, ao resenhar um livro ruim (na minha humilde opinião de jornalista), ele faz com que queiremos lê-lo.

    Parabéns, Luciana!

    Responder
  51. Alexandra

    @Bárbara Sousa: Há raparigas com auto-estima muito pior do que a Bella, raparigas que não saem de casa para não correrem o risco de verem o reflexo delas em algum lado.. o teu problema é não teres lido o Crepúsculo realmente, “lenta e calmamente” como fazes com o Harry Potter. Cada vez que lês, cada vez mais te apaixonas, e sim, não é possivel existir alguém como Edward mas é por isso que a saga tem tantos fãs.. ela faz-nos sonhar, faz-nos acreditar que alguém existe e que existe em algum lugar do mundo uma pessoa que gosta de nós desta menira, um verdadeiro principe encantado :) O Edward pensa primeiro na felicidade da Bella no que na sua própria felicidade e é por isso que ele compreende quando a Bella beija o Jake. Ele SABE que quando ele a deixou, no Lua Nova, a deixou muito ferida e foi o Jake que curou as feridas.. ele agora tinha de lidar com as consequências e, se a Bella ficaria feliz ao lado do Jake, ele iria aceitá-lo. Abram os ohos.. leiam antes de criticar.. :) Não comparem um livro de romance com um livro sobre a fantasia e o que mais há de fantástico. Não há comparação. São dois temas diferentes, ambos óptimos, eu AMO os dois, embora Crepúsculo seja mesmo a minha paixão, os dois são best-sellers, os dois têm uma legião de fãs enorme.. cada um tem os seus gostos e ninguém tem de se atacar por uma coisa estúpida como esta. Os fãs de HP são ‘egoístas’ parece-me Não querem concorrência, não querem que ninguém tire o protagonismo ao Harry Potter e principalmente que o vença numa cerimónia de prémios! Aceitem que enquanto o Crepúsculo estiver a concorrer, Harry Potter não leva nada.

    Responder
  52. Paty

    Sensacional o comentário do Barbosa, como sempre huahuahauahuh

    Primeiramente, se é um espaço para resenhas, qualquer livro deve ser resenhado, e o Ish não tinha mesmo motivos para não postar este. Segundo, Luciana é corajosa, por isso. kkk

    Uma coisa que me incomodou na resenha de cara, foi uma certa ”anti-definição”, Crepúsculo é moda e odiar também; é de vampiro, mas não daqueles vampiros; é amor, porém não aquele amor e por aí vai.

    Acho que isso é Crepúsculo, algo indefinido. Não sei se é correto dizer que é uma série vampiresca só porque tem vampiros (sim, isso é contraditório), mas se foge dos padrões, talvez nem seja. É como dizer que aquela série da Disney sobre bruxos é realmente sobre uma magia comparável aos ”clássicos”, é apenas moda, e as pessoas que preferem o estilo clássico tem direito de detestar. O fato de que tem pessoas que odeiam, não é porque é moda “ou você ama ou odeia”, mas simplesmente porque o livro vendeu uma imagem e conquistou fãs que não eram o alvo (como a autora colocou), mas é assim que funciona, você publica um trabalho para ser criticado e nem todas as críticas serão apaixonadas.

    [POSSÍVEIS SPOILERS SOBRE LIVROS DE JANE AUSTEN]

    Se tem algo que me incomoda nos argumentos de Meyer sobre a série, é a inspiração em Austen. Adoro o estilo de Austen e não tem nada a ver com Crepúsculo. As mulheres de Jane são fortes, guerreiras e avançadas para seu tempo. Elas discutem as questões da vida no mesmo nível de intelecto dos homens da época – coisa rara naquele momento – elas amam não pelas aparências, mas pelo que descobrem por trás dos homens complexos que existem nas obras e esses homens evoluem por amor, e se tornam mais felizes por isso.

    Bela não se posiciona sobre nada, vai para Volterra, vê as pessoas sendo devoradas pelos vampiros e apenas ”quase desmaia”, a Elizabeth de Austen enlouqueceria e tentaria mudar aquela situação, mesmo que não conseguisse, por sua posição social, ela teria vida e garra para se indignar. Bella apenas agarra em Edward como sempre faz.
    A Jane de ”Orgulho e Preconceito” vê seu amor indo embora e tenta prosseguir, mesmo que sofra, poucos percebem, e quando ele volta, ela não corre atrás de Bingley como um cãozinho. Bela, se tranca e deixa sua família desesperada, não tem amor próprio.
    Eu poderia ficar aqui citando mil exemplos que não fazem de Crepúsculo uma inspiração em Austen, nem um pingo da razão de Elinor ou a sensibilidade de Marianne os personagens tem.
    Acho que Meyer leu Austen com olhos de garota frustrada e solitária, não revolucionária como a própria Jane Austen era e por isso pensa que se inspirou nessas personagens, coisa que não fez, e no auge de sua arrogância diz ter Edward e Bella, superado Elizabeth e Darcy, o que só prova que ela não ama os clássicos que diz ter-lhe inspirado, e nem entrarei nos méritos de Romeu e Julieta, que segundo ela, são inferiores ao seu casal. #demente (Emerson mode on kkkk)

    Se Harry Potter é melhor que Crepúsculo é uma outra história, eu, particularmente, considero HP mais complexo e divertido, até pela ausência de melodrama huahau Mas são séries muito diferentes, HP nunca focou em relações amorosas, que é o tema-chave de Crepúsculo.
    Acho que se for para comparar, deve ser em relação aos romances que Meyer diz tê-la influenciado, ou aos romances atuais, ou ainda aos títulos vampirescos (dos quais até André Vianco emociona mais huahauahauh).

    Acho que o erro com Crepúsculo, foi tratá-lo como algo dentro de um padrão literário, o que não é de forma alguma. Bem como emo não é hard, Crepúsculo não é vampiresco. Encaixar a série entre outros foi o problema (marketing… kkk) e agora todo mundo fica revoltado. Acho que seria melhor tratá-lo por algo como Emo-vampírico, assim delimitaria seu público e não enganaria os outros. 8)

    Sobre uma coisa que a autora colocou: “que garota não quer ter alguém tão perfeito que literalmente brilha jurando seu amor eterno a ela?” Eu, por exemplo, não gostaria. Pessoas brilhantes não são legais huahauah E um cara meloso seria chato demais. Uma declaração de amor, com certeza é um sonho para a maioria das mulheres, mas a perfeição de Edward quebraria a graça.
    Um amor bom tem que ser perfeito em seus defeitos, conhecer o outro a ponto de ver o que ele tem de pior e não apenas ver sua aparência e cair de amores, como Meyer prega. O amor é o conhecimento pleno (ou a tentativa), não a ilusão, e um bom romance, ao meu ver, deve pregar exatamente isso, que a perfeição não existe, mas sendo bem brega ”está nos olhos de quem vê”, e não nos olhos de todo mundo – como acontece com Edward – mas no olhar apaixonado que supera os defeitos e cresce aprendendo com as diferenças.

    Posso citar tantos amores da ficção que melhor se encaixam nesse padrão… Já que estamos num site de Harry Potter, porque não o amor entre Rony e Hermione? Mais saudável e engraçado, ou quem sabe Han Solo e Léia, em Star Wars, seguindo o mesmo padrão e mostrando que o ”eu te amo” é raro e para momentos que mereçam mesmo algo assim.
    Em ”Orgulho e Preconceito”, eu preferiria Elizabeth e Darcy, um amor que não muda o outro, mas o salva, e acima de tudo, um casal que se conhece em defeitos e perfeições, como deve ser, talvez por isso seja, atualmente, meu casal preferido. E se é para deixar bem meloso mesmo, eu ficaria com Landon e Jamie de ” Um amor para recordar”, sobre quão eterno pode ser um amor momentâneo, pois a eternidade está no sentimento e não na materialidade de viver para sempre com o outro.

    Enfim, já escrevi demais (por isso que odeio vir comentar, não me controlo kkk), mas acho mesmo que as críticas a Crepúsculo vão além de ser melhor ou pior que HP, essa comparação é midiática e não deve ser considera, as que valem a pena estão no plano moral, filosófico, romântico ou do simples entreter, que não é um argumento válido para mim, mas é aceitável já que você pode sim amar algo só por entretenimento, mesmo que não te passe mensagem ou sensação alguma.

    Nem entrarei no mérito da covardia de Bella, do suicídio, virgindade, fuga, dor e outras coisas que Meyer ”tenta” passar em seu livro, pois é bem provável que os caracteres acabassem e como a resenha é apenas sobre o livro um, não é tão relevante. Mas acho que para quem leu Crepúsculo com olhos mais críticos, digamos assim, se indignou com a continuação, mas do que com o livro resenhado aqui, o primeiro volume é, por mais incrível que pareça, o melhor, depois a coisa só piora, desembocando num final vergonhoso onde TODOS os conceitos defendidos pela autora caem por terra. Nunca vi uma perda total de valores como a que ocorre em Amanhecer, fiquei, no mínimo, impressionado. 80

    De qualquer forma, parabéns pela resenha, interessante pela polêmica, mesmo eu discordando em alguns pontos. São assuntos assim que mantém o Ish sempre agradável para mim, onde posso expor algumas de minhas opiniões e ler outras muito inteligentes.

    E aproveitando, gostaria que as colunas voltassem a ter esse formato mais polêmico, sinto falta de discutir HP e não apenas lembrar de seu fim e sua importância emocional para mim, acho que já disse isso algumas vezes, mas vale repetir: HP não acabou, tem muito o que discutir, e o Ish tem colunistas geniais, que podem abordar muitos temas poucos discutidos sobre a série.

    Enfim… Parabéns pela resenha, Luciana. :D

    Responder
  53. Mik

    A Bella é uma garota sem um PINGO de amor-próprio, que vê a razão de sua vida representada por um garoto por quem ela se apaixonou no primeiro minuto! Sem ele, ela não é nada!

    Ele é um vampiro centenário que ainda vai ao colégio, é vegetariano e parece um palmito de tão sem graça, sendo sedutor apenas porque isso vem no pacote de ser vampiro!

    Os vilões são caricatos, não representam perigo, não instigam a leitura e nós nunca achamos que os dois protagonistas correm risco de morrer (ele, de novo), porque, dã, SABEMOS que isso não aconteceria!

    Não bastando isso, a leitura é rasteira, a Stephanie tem um vocabulário tão extenso quanto de uma criança da quarta série, os diálogos são muito melosos e pouco naturais, e pra piorar ela TRAIU algumas das concepções mais clássicas dos vampiros, como ao inventar que eles brilham feito purpurina (ui!) ao sol!

    Como amar e defender um livro desses, gente?

    Me desculpem, mas quem gosta disso tem um pé de alface no lugar do cérebro! =/

    Responder
  54. Alexandra

    @Priscilla: Outra influenciada pelas criticas, outra que só quer saber de HP porque tem de ser, não aceita nada novo :)

    ANALISEM O LIVRO, PORQUE TUDO TEM UMA EXPLICAÇÃO.

    Quantas vezes diz no livro que o Edward teme pela segurança de Bella (supostamente os lobisomens são uma cambada de miúdos com as hormonas aos saltos que não se conseguem controlar)? Quantas vezes o Edward diz que é demasiado egoísta? QUANTAS vezes o Edward diz que não lhe interessa a felicidade dos outros, só a da Bella, e que tenta ‘assegurá-la’ da forma que parece certa para ele mas que nem sempre é a mais correcta? QUANTAS vezes diz no livro que o Edward tem uma educação e mentalidade em parte de cem anos a trás? QUANTAS? QUANTAS?

    Responder
  55. Flavio Junior

    Bom, eu não tenho absolutamente mais nada para declarar, a não ser dar um [2] gigante e em neon na comentário da Paty.

    Paty, você é diva u_u

    Responder
  56. Alexandra

    @Mik: O sucesso de Crepúsculo também se deve a este novo lado dos vampiros. Os vampiros vegetarianos, que podem sair á rua de dia, que brilham, com dons sobrenaturais.. Toda a gente que anda por aqui a comentar é muito tendenciosa, e podem ter a certeza que quando um fã de CRepúsculo chega aqui e vê isto sente-se um bocado triste, ou talvez achem graça, porque quem tem um pé de alface na cabeça são a maior parte de vocês.. Crepúsculo é sim uma obra-prima, pela simplicidade do texto e pela complexidade das emoções. Fixem isso.

    Responder
  57. Camila

    Alexandra, acho sua reclamação válida sim. Mas fale por si própria, não tente falar pelos outros, ok?
    E fãs de Twilight (não todos, mas uma certa parte) já atacaram sim Harry Potter. O que não quer dizer que eu ache certo devolver na mesma moeda.

    Creio que as pessoas não entenderam que a proposta aqui não era fazer comparação. Muitos dizem não tem cabimento comparar, que são estilos diferentes e acabam por comparar mesmo assim. “Que HP é isso, que Crepúsculo é aquilo.”
    Às vezes as mesmas pessoas que reclamam dessa situação também a alimentam.

    HP ser literariamente melhor que Crepúsculo é um fato. Qualquer um que deixe de lado o fanatismo – seja por HP, seja por Crepúsculo – e use senso crítico percebe isso. Então porque ficar reafirmando isso toda hora? É redundância.

    Muitos, como falou a Nessa Lovegood, ‘se doem’ porque HP não está ganhando todas na MTV ou porque não está nas capas de revistas adolescentes. Mas isso realmente importa? Essas entidades por acaso se preocupam com a qualidade literária de algo antes de promovê-lo?
    HP já esteve na mesma situação que Crepúsculo, já foi modinha. E ainda temos por aí aqueles fãs que aparecem dizendo: “Harry Potter é perfeito, é maravilhoso, Daniel Radcliffe é lindooooooo!!”

    Então proponho o seguinte: sejamos maduros e acabemos com isso aqui, agora.

    Responder
  58. viviane

    crepusculo nao tem conteudo nenhum e é uma merda.

    Responder
  59. Marininha Potter

    “motivo é simples e notório: HP foi escrito por uma ESCRITORA e tem, portanto, toda a qualidade narrativa necessária aos grandes clássicos, mantida ao longo dos 7 livros.
    Crepúsculo foi escrito por uma dona de casa que um dia acordou com um sonho na cabeça e resolveu colocar no papel. Tem, portanto, muitos aspectos a serem criticados e furos ao longo dos 4 livros. E não merece menos mérito por isso, aposto que milhares de donas de casa fazem o que ela fez todos dos dias e nem por isso viram sensação mundial.” by Diana
    Sobre esse trecho, só tenho a comentar que a JK não era escritora. Que eu saiba, Meyer é formada em Literatura. Se você pegar Pedra Filosofal, perceberá a escrita de uma iniciante.
    A diferença entre Meyer e JK é que tia Jo evoluiu a partir do primeiro livro e Meyer só decaiu. Tirando o amor obsessivo da Bella pelo Edward e vice-e-versa, a enrolação básico e os milhões de “sua pele era frio”, “aquele lindo sorriso torto” ect, Twilight É um livro bom. Sério, é o meu livro preferido da série. Mas, como alguém aí que eu não lembro (sorry) disse, ela prolongou algo que não tinha nada mais para dar. Ficou algo cansativo, apelativo, repetitivo e com beeeem mais defeitos que Twilight.

    @Alexandra Uma das coisas que me “afasta” de Twilight é isso. Sabe, claro que há exceções, mas estamos aqui, mostrando pontos bons e ruins da série Luz e Escuridão e você, assim como muitos outros, não aceita as críticas. Eu fico put* quando falam mal de HP, mas paro, penso, reconsidero e algumas vezes concordo. Entendeu? É uma discussão saudável, quando criticamos Twilight não estamos te criticando, por Deus.

    Acho que parei -q

    Responder
  60. Marininha Potter

    *”sua pele era fria”
    ** etc
    Isso que dá postar sem revisar xD

    Responder
  61. Pagu Polkadots

    Tenho poucos comentários a fazer. Quem quiser saber mais sobre minha teoria Twilistica entre no link do meu blog.
    Mas por hora posso dizer que li os quatro livros, calmamente, e desde o primeiro o que mais me chamou a atenção foi a falta de talento de Stephenie Meyer. Eu li os livros em Inglês e então não tinha a velha desculpa de que a tradução que era ruim. Acabei lendo os livros porque ganhei os quatro de natal, e como ao passo que ia lendo, ia odiando, queria terminá-los para poder falar mal de algo que conheço.
    Acredito que Twilight seja esse sucesso todo, porque a maioria dos leitores nunca leram algo antes na vida, porque os filmes saíram pouco tempo depois que os livros (aqui no Brasil), e porque mostra o chichezissimo caso de amor pelo príncipe encantado.
    Uma coisa da resenha que me deixou intrigada… Odiar twilight é moda? Podemos dizer que sim caso estejamos lidando com aquele clássico tipo de gente que não conhece e critica, porém se quem critica é de alguém que leu, acho que não é moda, e sim que a pessoa tem pelo menos um bom senso de que só estória não faz um livro, assim como só uma boa narração não faz um livro, precisa-se ter os dois.
    Para mim Twilight é uma fanfiction.

    Responder
  62. Camila

    “Bom, eu não tenho absolutamente mais nada para declarar, a não ser dar um [2] gigante e em neon na comentário da Paty.

    Paty, você é diva u_u” [2]

    Pronto, acabou. XD
    Paty, tia Jo e Jane Austen rulez o/ rsrsrs

    Responder
  63. Camila

    Ah, tenho que dizer:
    Paty, também sou mais Han e Leia! rsrsrs

    Responder
  64. Alexandra

    @Marininha Potter: Sabes, eu acho que sim, eu eu as aceito. Mas deves saber que muita gente que está aqui ou não leu o livro ou não quer saber se quer de o ler por egoísmo pela saga Harry Potter. Portanto é insuportável para uma fã ver comentários destes, feitos por gente que nem lhe deu uma oportunidade :) Harry Potter é bom, mas há melhor. Depois desta frase, aposto que vai aparecer aqui gente com sete pedras na mão para me as atirar. Okay, é como eu fico quando isultam as coisas sem as conhecerem. Eu era uma dessas pessoas e arrependi-me.

    Responder
  65. Alexandra

    [+]

    @Marininha Potter: Parabéns pelo comentário. Há bom saber que existe alguém com bom senso.

    Responder
  66. Camila

    Claro que HP é muito bom Alexandra e mais claro ainda que existem melhores do que ele. Longe de nós vir afirmar que J.K. Rowling é a melhor escritora de todos os tempos. Pode ficar tranquila. ;)

    Responder
  67. Perônio

    Pelos comentários, a questão é comparar HP e Crepúsculo, mas a resenha nem fala de HP (exceto pela sugestão do título e pela abertura feita pela Sheila Vieira). Assim parece que a maioria dos comentadores não leu a resenha ou só está interessada em comentar outra coisa.
    Agora, se quiserem comparar coisas parecidas, leiam O ladrão de raios e me digam se esse, sim, não quer pegar carona no sucesso de HP!

    Responder
  68. Helena

    achei legal terem colocado essa resenha, afinal a série de crepusculo tambem são livros que estão ai pra serem lidos e entreter quem goste. Eu gostei dos livros quando li, e JAMAIS pensei em comprar com HP, isso é simplismente absurdo. A unica coisa que eu acho é que a série de crepusculo é algo superficial, uma historia que a gente lê pra passar o tempo e se distrair sem absorver nenhuma mensagem mais intensa…já HP (além de nos entreter, claro) passa mensagens importantes, mostra situações que podem ser vividas na vida real, passa uma moral e a historia é profunda, tem algo mais além de palavras escritas…o que Meyer não conseguiu fazer. Mas uma coisa não tem nada a ver com a outra, e acho que é possivel gostar de crepusculo e Harry Potter. (OBS- mas uma coisa eu não nego: crepusculo eu li, gostei e etc, e foi isso. HP é simplismente inexplicavel, me marcou pra vida toda e eu sempre vou amar *-*)

    Responder
  69. Fernanda

    Crepúsculo não me decepcionou porque eu odeio histórias de vampiros. Crepúsculo me decepcionou porque é puramente e simplesmente CHATO! É monótono, irritante… A Bella é uma personagem insuportável e passiva que, depois que conhece o Edward, não sabe mais se virar sozinha. Não vai mais a escola sozinha, não sai das burradas que entra sozinha, não faz mais nada sozinha… Nem dormir ela consegue mais sozinha! O garoto tem que ficar ali do lado, olhando ela babar sobre o travesseiro.
    A história é melosa demais! A menina é burra e precisa de alguém para protegê-la o tempo todo! Ela não sabe pensar! Ele pensa por ela! E ele é muito meloso tbm! Não desgruda dela por nada! Não a deixa fazer nada sozinha!
    Eu não sonho com um amor desse, como disse a resenha, não mesmo! Mas respeito quem sonhe e quem goste. Mas não concordo em colocar uma resenha sobre Crepúsculo em um site inteiramente dedicado a Harry Potter. Se fosse algo comparando os dois, ou criticando a guerrinha de fãs, ok! Mas só falando de Crepúsculo?
    E eu acho que, a única coisa em comum que as obras tem é o fato de terem se tornado fenômenos mundiais! Pq Harry Potter é totalmente diferente! Um livro mais agitado, com muito mais ação e menos romance! Mais engraçado e mais leve de se ler.
    Pra mim é incomparável! E, NA MINHA OPINIÃO, Crepúsculo é um lixo.

    Responder
  70. Marininha Potter

    @Perônio Acho Ladrão de Raios parecido, tipo, moreno de olhos verdes (:P), um trio formado de dois meninos e uma menina, sendo que a menina é muito inteligente e o menino que o não é o principal é “piadista” a la Ron. Mas isso não tira o mérito de Percy Jackson. Mesmo com esses pontos que podem até serem considerados por um radical como cópia, Percy Jackson não deixa de ser uma ótima série.

    @Fernanda “Mas não concordo em colocar uma resenha sobre Crepúsculo em um site inteiramente dedicado a Harry Potter. Se fosse algo comparando os dois, ou criticando a guerrinha de fãs, ok! Mas só falando de Crepúsculo?”
    É uma resenha. Resenhas costumam “resenhar” um só livro, uai ._. Como o Dan (Mahlmann) disse: “Tirar Crepúsculo dessa lista seria, no mínimo, infantil.” Comparação é desnecessário porque não há o que comparar. São gêneros diferente. É a mesma coisa que comer maçã e macarrão e dizer que prefere macarrão. Mas você só diz que prefere, não tem mais base pra falar nada, porque um é uma massa e outro é uma fruta *vai comer macarrão*

    Responder
  71. Camila

    Fernanda, talvez você seja uma visitante nova e não saiba que o Ish tem uma seção especial de Resenhas de livros com o objetivo de apresentar novas obras ao leitores de HP e promover o debate. E claro que não há distinções, você vai encontrar desde esta de Crepúsculo até Simone de Beauvoir.

    Responder
  72. Malu Rodrigues

    Faço minhas as palavras da Paty! *-* #orgulho UHSAUAHSHUAS’

    não há como falar da série sem falar de defeito. [2] Fatão, Dan!

    Responder
  73. Bncares

    Tenho certeza que todo mundo já disse TUDO e mais um pouco. Mas vou deixar minha opinião aqui: durante esses anos parece que fã de Harry Potter quando fala sobre Crepúsculo – ou vice-versa – causa tanta polêmica quanto os clipes da Lady Gaga! Acho que livros são feitos para entreter. Lê quem quiser e crítica quem puder! Eu gostei de ler a resenha. Harry Potter e Crepúsculo num mesmo texto sempre chamará atenção, é inevitável!

    Responder
  74. Anônimo

    BABOSEIRA TOTAL COISA MAIS PREVISIVEL DO MUNDO ISSO NAO É LIVRO É NOVELA PIOR Q MALHAÇÃO

    Responder
  75. Anônimo

    FALOU BEM: QUEM NAO SUPORTA MELODRAMA ODEIA CREPUSCULO
    ]MAS O Q É O MELODRAMA? OS MELODRAMATURGICOS SAO AQUELES Q TENTAM FAZER UM DRAMA BEM FEITO(O Q NAO É POSSIVEL, POIS OS LIVROS BEM FEITOS SEMPRE TEM UM POUCO DE CADA COISA, COMO HUMOR) MAS É TAAAAAO RUIM Q NAO CONSEGUE NEM ISSO PQ CONSEGUE FAZER ALGO MAAAAIS EXAGERADO DO Q O PROPRIO DRAMA

    Responder
  76. Eme

    Quanta perda de tempo…

    Responder
  77. Pedro Henrique

    Marianinha Potter:
    Falou tudo… Realmente, o primeiro livro da J.K. é BEM inferior a todos os outros da série, não pela história, mas pela maneira de contá-la… mas a evolução que a J.K. teve e ainda tem é surpreendente!! E tenho a absoluta certeza que ela ainda irá encantar muitas pessoas com os seus livros!! Agora, Meyer, não é possível comparar como autora. Sua narração e criatividade são bem limitadas, em que ela enrola o livro inteiro para mostrar o chatíssimo sofrimento de Bella, para nas últimas páginas (pelo menos nos dois primeiros livros, os únicos que li, depois, desisti… apenas conseguia ficar irritado) ACONTECER algo. E ainda usa de frases de efeito a torto e a direito: “E o lobo se apaixonou pelo cordeiro”, dentre outras. Edward é também extremamente repetitivo. Ele primeiramente diz que queria distancia de Bella, ela não o procura, e no dia seguinte ele apenas volta a falar com ela para mais uma vez dizer que quer distância, ou seja, ele é contraditório. O amor de Bella é também doentio, como citou Fernanda:
    “A Bella é uma personagem insuportável e passiva que, depois que conhece o Edward, não sabe mais se virar sozinha. Não vai mais a escola sozinha, não sai das burradas que entra sozinha, não faz mais nada sozinha… Nem dormir ela consegue mais sozinha! O garoto tem que ficar ali do lado, olhando ela babar sobre o travesseiro.
    A história é melosa demais! A menina é burra e precisa de alguém para protegê-la o tempo todo! Ela não sabe pensar! Ele pensa por ela! E ele é muito meloso tbm! Não desgruda dela por nada! Não a deixa fazer nada sozinha!”
    Por isso, e por outros, achei Crepúsculo insuportável, mas respeito quem pense o contrário, afinal, fazer o que se a pessoa não possuiu o mesmo gosto ou modo de pensar que eu (alguém que eu acharia extremamente chato…)
    Mas saibam, HP me marcou, será sempre eterno, afinal foi o meu primeiro livro, e apenas por ter me ensinado a gostar de ler, será, para mim, incomparável e insuperável por qualquer outro!!!

    OBS: Vampiro purpurinado, para mim, foi o fim… ¬¬

    Responder
  78. Renato

    Acho infantil a um ponto inimaginável quem vem ao Potterish, sabendo a história do site de se admirar e de receber muito reconhecimento na mídia, e simplesmente soltar baboseiras para o pobre resenhista que escreveu isso e, ah, claro, à Stephenie Meyer, a autora de Crepúsculo.
    Sinceramente? Eu sou fã de Twilight sim, e ao contrário do que muitos possam dizer, eu tenho consciência perfeita, sei que a escritora não é a melhor do mundo e amo Harry Potter. Claro, não devemos comparar duas obras completamente diferentes (pois é isso que elas são: completamente diferentes). Só vou começar a dizer sobre isso e não vou terminar: Crepúsculo e Harry Potter são ambientados em lugares diferentes, com histórias diferentes, narração diferente, e aí vai. As diferenças são inúmeras.
    Não é certo compararmos.
    Mas, me aprofundando um pouco mais aos indivíduos que escrevem gritando e não conseguem deixar de usar palavras chulas em uma crítica, a série tem erros, assim como Harry Potter não é uma obra com perfeição absoluta. Creio que todos os fãs têm a certeza disso, e se não tem são cegos ou posers.
    Só vou deixar aqui mais uma coisa, que acho de essencial importância: chega dessa rivalidade inútil entre duas séries muito boas (sim, eu ouso dizer que Crepúsculo é uma série muito boa). Se você não é fã de Crepúsculo, simplesmente feche a boca e não solte baboseiras nos comentários. Porque, afinal, não criticam Percy Jackson nos comentários? É uma série com tanta fama quanto! E porque não criticam os outras séries como “Vampire Diares”, “Série Imortal”, “Série Vampire Academy”, etc? São livros de vampiros, são como Crepúsculo, mas eu não sei, até hoje, qual a irritação dos fãs de Harry Potter quanto a Crepúsculo.
    Para quem xingou a série nos comentários apenas uma palavra: cresça.
    E para quem xingou a resenhista nos comentários apenas mais algumas palavras: aprenda a escrever como ela e depois venha criticar.
    E para quem criticou o Potterish dizendo que o site está em “decadência”, mais umas palavras: depois de conseguir fazer um site com o número de visitantes tão elevado que quebra o servidor, venha comentar novamente.
    E para a resenhista, o Potterish e aos fãs da saga Harry Potter que são bons o bastante para considerar Crepúsculo como uma saga como qualquer outra, com seus defeitos, mas sem precisar xingá-la e nem baixar o nível, meus sinceros parabéns, pois parece que somos poucos.

    Responder
  79. Pedro Henrique

    “…já li fanfics melhores que os 4 livros juntos.” [4]

    A mais pura verdade, em minha opinião…

    Responder
  80. Pedro Henrique

    Barbosa: ótimo comentário!!! ri horrores com ele!!

    Responder
  81. Pedro Henrique

    Stephen King:
    “Ambas Rowling e Meyer, estão falando diretamente a pessoas jovens… A real diferença é que Jo Rowling é uma fantástica escritora e Stephenie Meyer não consegue escrever nada que preste. Ela não é muito boa. […] Pessoas são atraídas por histórias, pelo ritmo, e no caso de Stephenie Meyer fica bem claro que ela está escrevendo para toda uma geração de garotas e abrindo algum tipo de clube seguro do amor e sexo nesses livros. É emocionante e agitado e não é particularmente ameaçador porque não é sexual demais.”

    Stephen King Rocks!!

    Ele resume muito bem a QUALIDADE da escrita entre as duas autoras!!

    Responder
  82. Daniel

    O que me incomoda aqui nos comentários é ver tanta gente que provavelmente nunca leu sobre Teoria Literária ou qualquer corrente crítica pregando que não se pode comparar as obras. Em tese, qualquer obra literária pode ser comparada, o que muda é a perspectiva, seja sincrônica, diacrônica, temática, histórica… enfim, há mil jeitos de se comparar.
    Principalmente HP e Crepúsculo, que tanto têm em comum. Ambos são livros de fantasia infanto-juvenil (por mais xiita que sejam alguns em negar, vampiro brilhando ou não, é fantasia ¬¬) de linguagem simples (embora em JK haja alguma evolução), escritos numa mesma época e para um vasto público.

    O que vcs temem não é comparação, é competição. É ver o livro que vc ama, que vc estufa o peito pra se dizer fã, perder pro outro. Imaturidade.

    Aprendam com o comentário da Paty M., pelo qual eu não pude deixar de vir aqui pagar pau.

    Responder
  83. clara wttr

    Acho isso totalmente ridículo! são séries totalmentes diferentes! não há comparação e msm
    assim cada um tem os eu gosto! Sou fã de crepusculo
    e li os cometários acima e não fico brava, pq cada um pode expressar sua opinião e respeito, não falo de HP primeiro pq não li ( nenhuma amiga empresta! aff ) e segundo pq tenho certeza absoluta que é tão boa quanto crepúsculo, E SIM ACHO QUE A CAPRICHO É UMA DAS RESPONSÁVEIS POR ISSO! EU TENHO CERTEZA QUE DAQUI A UM ANO VAI ESTOURAR ALGUMA COISA E ELES VÃO COMEÇAR BAJULAR ELES! bom eu só acho que brigas e discussões não vão levar a nada! vcs não vão mudar a opinião os fãs de crepusculo dificilmente vão mudar!

    Responder
  84. hallef@silma

    BARBOSA, tú bebeu!!!!

    Responder
  85. Daniel

    Eu não tinha lido isso, mas foi bem sacado:

    “as mesmas pessoas que reclamam dessa situação [comparar HP e crepúsculo] também a alimentam.” [2]

    É o que mais se vê aqui.

    Responder
  86. Paty

    “É a mesma coisa que comer maçã e macarrão e dizer que prefere macarrão. Mas você só diz que prefere, não tem mais base pra falar nada, porque um é uma massa e outro é uma fruta *vai comer macarrão* ”

    > HUAHAUHAUH Boa analogia, Marina.

    Concordo com o Dan sobre a questão da competição, é isso mesmo que incomoda. Além do fato de uma boa parte dos atuais fãs de Crepúsculo são ex-fãs de HP, que falam mal da série hoje em dia e isso nos deixa irritados mesmo, não tem jeito. =/

    Ah, e se for para comparar, sem dúvida, Percy Jackson tem bem mais o que dizer, façam uma resenha!!! o/ (adoro polêmica huahauh)

    Ah, e valeu ao Flávio e a todos os +1 no comentário deles, vocês são vida! :D

    Responder
  87. dannipel

    Gente, pelo amor de Merlim, isto está ficando até engraçado.
    Não tem como fazer comparações, pq as histórias são completamente diferentes. Tentar dizer quem é melhor não importa. Não tem como traçar parâmetros entre HP, Crepúsculo, SdA, Eragon ou outro qualquer. Tudo se resume a questão de gosto e apreciação.
    Cada um tem o seu.
    Cada qual tem seu nivél e aceitação, ou desgosto.
    Fora que vai ser perda de tempo, ninguém vai convencer o outro, não importa a arguentação que utilizar. Não importando o conhecimento ser literario ou não.
    MAs o lado bom disto tudo é que esquentou tanto o assunto, que estamos até derrubando o servidor.
    E uma coisa é certa. Funciona melhor que muito markting que já vi.
    E graças a Deus que gosto cada um tem o seu. :D

    Responder
  88. Archie

    Comparar a Meyer com Jane Austen é uma ofensa.

    Crepúsculo é um livro irritante sem qualidade literária alguma, que faz parte de uma série sustentada por meninas rejeitadas amorosamente que sonham que o Príncipe (Princesa?) Encantado(a) Edward vai aparecer em suas vidas.

    Mas tem gente que gosta, ok. Tem gente que vive escutando o Rebolation também. Vai entender.
    :D :D

    Responder
  89. Denise

    E aÍ Renato, Danipel, Daniel M., Paty, voces tem muita categoria e classe nos comentários, estou com voces… Parabéns !!!

    Responder
  90. Raissa Rochadel

    Sinceramente? Eu sou fã dos dois.
    Não entro em méritos de questionar qual o melhor. Não há necessidade disso. Quanto a qualidade da escrita realmente, a saga Crepúsculo deixa muito a desejar. Mas me completou em uma época em que eu realmente necessitava.
    Da mesma forma que em uma época em que sofria com o bullying aos nove anos, foi a série Harry Potter que me ajudou a não abaixar a cabeça.
    Acho que o maior problema disso tudo, é querer substituir modinhas. Não me entendam mal,HP já foi modinha e mesmo assim conquistou um número absurdo de fãs.
    O que rola é a ganância da mídia e a nossa hipocrisia em aceitar tudo pronto. :D

    Responder
  91. Livea

    Se a Meyer diz que se inspirou nos romances da Jane Austen…não consigo entender como ela criou uma figura feminina tão fraca. As personagens de Austen são mulheres fortes e que estavam à frente do seu tempo. A Bella é um retrocesso. Ela teve que se tornar vampira para se sentir à altura do seu princípe. E isso me deixa enojada. Relacionar uma obra tão esplêndida como a de Jane Austen a Crespúsculo é realmente uma ofensa.
    Não vou entrar nem na questão do ritmo da história porque né, faça-me o favor, vou acabar dormindo aqui.
    Me choca o sucesso que a série faz. Acho digno fazer um estudo sobre o fenômeno porque não me entra na cabeça o porquê de tanto alarde.

    Responder
  92. Renato

    Só não entendo as pessoas comentando “tanta perda de tempo” sendo que os comentários servem simplesmente para nos aprofundar mais no assunto da resenha… mas bom, sei lá. (UHSAHUSAH)

    Agora que fui ler o comentário da Paty, achei muuuuuuuito bom, mas acho que algumas coisas que ela fala sobre Crepúsculo não concordo totalmente. Claro, Bella é uma personagem fraca, mas acho que ela demonstra muita força. Obviamente não deve ser comparada a Elizabeth, que é extremamente feminista. Mas, não somente pela garra das personagens, acho que o amor nos dois livros é encarado de uma forma diferente. Elizabeth não se encaixa no “amor” do seu tempo, onde deveria ser submissa ao seu marido. Já Bella não tem algo que deva lutar, afinal não é submissa ao seu namorado (o que realmente demonstra, sorry todos, quando ela vive uma espécia de “affair” com Jacob). O amor em Crepúsculo é algo até bastante sobrenatural (hehehe, vampiros podem até não serem sobrenaturais, mas o amor retratado no livro é UHASHUSA). E Jane é uma mulher que mostra para a sociedade que elas (mulheres, não usei a palavra pra não ser repetitivo UHASHUSA) são muito importantes e mostra o amor real. Meyer apenas, digamos, disse que o todos querem ouvir ou sentir um dia. Claro, não pela parte de um vampiro se declarando para você e brilhando ao sol (isso seria extremamente gay -q) mas um amor eterno, um amor até “fantasioso”, mas eterno. Não retrata a realidade, por isso os professores de literatura hoje em dia dizem que o livro é um “temporão” do romantismo. No romantismo, o amor e a mulher (no caso de Crepúsculo, o homem) eram extremamente idealizados. E, aliás, se fosse tratar de realidade, Meyer não usaria vampiros (convenhamos hehehe) e por isso não devemos comparar com HP, porque aliás, como a Paty bem disse, o foco do livro não é o romance do qual os personagens vivem.

    Termino apenas dizendo (juro que é meu ultimo comentário aqui SUAHHUAS) que devemos parar com essa espécie de “briga”, pois isso é infantil. E não oprimam os fãs das duas séries, porque isso também é infantil. Afinal, livros foram feitos para serem lidos, se não gosta de um livro não leia e ponto.

    (e se o site do Ish tava quebrado quando o trailer saiu, não o critique por ter ido ver em outro, isso também é infantil U_U UHASHU)
    sério, fiquei bravo u.u UHASUHS

    me exaltei no outro comentário, mas espero que vocês me entendam, estava realmente bravo pelo tanto de baboseiras que li nos comentários de cima…

    beijos :)

    Responder
  93. Raissa Rochadel

    falou tudo renato, paty e tantos outros UIHFIUHFIUDASHF

    Responder
  94. Joanna

    Me dói ver Austen comparada a Meyer, isso simplesmente não existe. Bella é ridícula comparada a Lizzy Bennet, por exemplo, e NUNCA Edward será um Fitzwilliam Darcy. Até porque Elizabeth se apaixona por Darcy porque primeiro acreditou nos defeitos dele, para depois ver a qualidade de seus sentimentos; não é como a perfeição etérea de Edward, onde Bella vê um príncipe encantado montado num cavalo branco instantâneamente. A Paty já falou sobre isso incrívelmente lá em cima.

    E, pra mim, o único homem que pode brilhar é David Bowie. :D (não sei se conhecem, mas pra mim faz todo sentido 8) )

    Responder
  95. Mariana

    Leiam C.S. Lewis e J.R.R. Tolkien, eles vieram vem antes da Jo e ela se inspirou neles.

    Responder
  96. Paty

    Renato,
    Acho que Bella tem muito pelo que lutar, na verdade, mas ela se acomoda. Por exemplo, no início da saga, ela é uma garota que abandona a mãe para que esta tenha uma vida amorosa legal com o novo marido, é uma atitude bem digna, ao meu ver.
    Mas então, ela se apaixona e deixa tudo de lado, ela não se posiciona contra os horrores do mundo vampiresco ao final de Lua Nova, ela vê um bando de vampiros matando gente em cidades vizinhas em Amanhecer e não faz nada. Tudo bem, ela estava ocupada com uma guerra, mas é natural aos ”heróis”, se preocupar, e ela pensa apenas que enquanto seu pescoço e o do pai estiverem salvos tudo bem. Isso acontece com os Lobos também, que protegem os humanos, mas só aqueles humanos que tem ”nome” na série, é muito pouco para uma verdadeira defesa de valores.
    E, para mim, a eternidade do amor é enquanto se vive. Bella tem um medo imenso de perder Edward, ela não sente que o merece, que ele a ama, ela busca a eternidade porque não confia no amor entre eles, acho péssimo. De qualquer forma, é minha opinião, e respeito a sua.

    E concordo com a Joanna, especialmente em: “E, pra mim, o único homem que pode brilhar é David Bowie.” huahuahauahu Adorei!

    Responder
  97. thiago di angelo

    Resumindo: Bella é uma puta que fica com 2 ao mesmo tempo e o vampiro corno nem liga.

    Sem falar que o Jacob é um pedofelo ¬¬

    Responder
  98. Camila

    Parafraseando o Flavio Junior, mais um [2] gigante no comentário da Paty com muito néon e até purpurina e lantejoula! <<piada podre detectet!
    Especialmente no final. Muito bem observado Joanna. :D /rilitros

    Agora tchau, vou dormir.

    Responder
  99. Gláucia Lidiane :D

    Eu concordo que discutindo isso agente contribui para uma continuação dessa rivalidade ridicula, a midia nos induz a reagir assim e é verdade como citaram acima que agente ”se doi” ao ver que HP não tá ganhando prêmios que nós fãs julgamos que a série seja merecedora, mais analizemos os tais eventos, são premiações onde ganhará a modinha do momento, qm em juizo perfeito trocaria Paramore por Miley Cyrus? Ou seja, Harry Potter não precisa desses prêmios pebas pra mostrar que é bom, que tem conteúdo e tal, HP não precisa estar na capa de revistas para ficar famoso, Hp já foi modinha e hoje só restam os fãs fieis que eu me orgulho de dizer que sou um deles, Hp é clássico, vou ler pros meus filhos, netos e blabla, é algo que me ensinou mts lições e em como ser uma pessoa melhor a cada dia, então temos que parar mesmo com essas comparações porque quando a Capricho e o mundo twilightiano se cansar de Edward oi eu pisco no sol Cullen e companhia vão arranjar qualquer coisinha pra por no lugar e será esquecido, e Harry Potter não, fim de papo, abração pra vocês, adorei seu comentário Paty. Se liguem, RdM em Novembro, estamos mais perto que longe.

    Responder
  100. thiago di angelo

    O final do Amanhecer é um pouco… estranho (?). Cara, quando eles recrutaram mais de 20 vampiros eu achei que ia haver uma guerra lá (finalmente algo bom no livro que ACHEI que ia acontecer), mas não, apenas ele CONVERSARAM e FIM. Fala sério! O livro conta muita coisa mas no final acaba naquilo? Concerteza foi o que deixou a saga ainda mais para baixo.
    Agora falando do final de HP. Nem tenho palavras, quando li eu fiquei totalmente de boca aberta, foi muita ação, nunca vi tanta emoção num só livro! Jk conseguiu chegar a perfeição de um final, já que todos falam que sempre o final é ruim, mas dessa vez foi diferente, foi realmente extraordinário.

    “Cada qual acredita que o que tem a dizer é muito mais importante do que qualquer coisa que o outro tenha a contribuir”

    Responder
  101. Mareli

    NOSSA, POTTERISH EM DECADENCIA MESMO HEIM…. DEPOIS QUE ACABARAM OS LIVROS O SITE SE TORNOU APENAS FOFOCAS DA VIDA DOS ATORES E RESENHAS DE OUTROS LIVROS, LAMENTAVEL…

    Responder
  102. Eme

    Renato,

    Meu comentário sobre a perda de tempo, foi feito pq acho isso uma perda de tempo sim. O objetivo dos comentários dessa resenha é se aprofundar sobre a resenha, que não é sobre HP X Crepúsculo. Mas é sobre isso que todos estão falando.

    Fãs de HP, continuem amando HP.
    Fãs de Crepúsculo, continuem amando Crepúsculo.

    Vamos viver nossas vidas e parar de dar pitaco na dos outros.
    Como se com teorias, opiniões alheias, ou qualquer outra coisa alguém fosse capaz de fazer outro alguém parar de gostar de algo.

    A resenha está ótima, atendeu o objetivo.
    E para quem está dizendo que o Ish está em decadência, existe a área de Colunas e várias outras opções somente sobre Harry Potter. E só para constar, eu nunca li nenhuma fofoca no Ish.
    A área de Resenhas não atrapalhou em nada, pelo contrário. Foi feita para os fãs de HP amantes da leitura (A maioria, obviamente) que buscam mais cultura, conhecimento e possibilidade de novas obras em suas listas.

    E o Daniel Mahlmann tem razão, seria infantil tirar Crepúsculo dessa lista por causa de uma briguinha boba e sem sentido.

    Tudo isso me lembra duas crianças brigando por um jogo que pode ser jogado em dupla.

    Responder
  103. ananda martins

    eu acho que nunca, eu lugar nenhum(?), HP deveria ser comparado com Crepusculo. Fala sério, a série é totalmente sem noção(crepusculo). Harry Potter é um outro universo e situações totalmente diferentes, além do que, uma série MUITO mais inteligente. Agora, nada contra quem gosta.

    Responder
  104. dannipel

    “Tudo isso me lembra duas crianças brigando por um jogo que pode ser jogado em dupla.”

    Pronto. Isso é perfeito. 8)

    Responder
  105. Danielle

    Como as pessoas podem ser tão ridículas? :)
    Se a pessoa gosta ou deixa de gostar de alguma coisa problema é dela.
    Agora vir falar que a pessoa tem ‘pé de alface’ no lugar do cérebro pq leu algum livro que você ache ruim e gostou, é totalmente infantil.
    Eu leio muito. Adoro chick-lit, por exemplo. E sei de muita gente que odeia. E por isso eu to lá brigando com elas? :)
    Eu gosto de Crepúsculo, mas pode ter certeza que eu tenho um cérebro onde me dizem que eu tenho um pé de alface :)
    Não é pq eu gosto de Crepúsculo que eu sou seguidora da Bella, ou espero um vampiro brilhante. Muito pelo contrário. Gosto, acho um bom passatemp. Mas não, não gosto da Bella pelos motivos que todo mundo já descreveu acima. Vampiros que brilham? E daí? Os vampiros de Diários do Vampiro usam anéis e não torram no sol. Cada escritor faz o que quer com a informação que tem.
    Rowling é brilhante, pra mim nada vai substituir a nossa amada saga.
    Acontece que eu não vou ler só Harry Potter pro resto da vida.
    É muito infantil essa rivalidade.
    Não digo que as pessoas que não gostam não podem expor sua opinião, mas daí ofender quem gosta é demais né? :)
    Vou ser bem sincera. Eu parei de frequentar o Ish por causa dos comentários ridículos das pessoas quando postavam qualquer coisa relacionada a Crepúsculo. Eu não acreditava que as pessoas que seguiram Jo, que acompanharam Harry, estavam fazendo aquilo. Sério, achei que alguma lição eles tinham tirado dos livros. Mas pelo que percebi estava completamente enganada.
    Harry Potter me fez amar ler e eu agradeço isso todos os dias, me fez aprender a respeitar as diferenças. O que eu vejo que muita gente não aprendeu. E eu só sinto pena.
    Parabéns as pessoas que não gostam da saga mas souberam respeitar quem gosta.
    Parabéns ao Ish por não deixar essa saga de fora das resenhas. Como disse o Daniel, isso é um espaço para resenhas e acho que todos os livros tem o direito de aparecer por aqui.

    Responder
  106. Priscilla

    @Alexandra
    Como é que você me diz que eu só vivo de HP quando comecei o meu comentário dizendo que li os livros e vi os filmes Crepúsculo? Disse e repito, considero a saga um bom entretenimento e respeito quem gosta, mas nem por isso vou fechar os olhos para as falhas da saga e para as idéias ultrapassadas que a autora está tentanto transmitir através da obra. Da mesma forma crítica com a qual procuro analizar Crespúsculo e Meyer eu analizo HP, Shakespere, Jane Austen, Dan Brown e outros. Não estou dizendo que toda menina de 13 anos que lê Crepusculo vai se tornar uma tolinha cegamente apaixonada a espera de um vampiro e sem amor próprio como a Bella, cabe aos pais e outras influencias passar as suas filhas uma imagem de independência e auto-estima. Porém, é indiscultível que a cultura tem influencia sobre uma pessoa e não considero os filmes e livros Crepúsculo uma boa influencia para quem acaba de começar a adolescência e está definindo a sua personalidade. Ter Bella como molde de garota de 18 anos do Século 21 é, para dizer o mínimo, uma tristeza.

    P.S.: Só por curiosidade, você é de Portugal Alexandra?

    Responder
  107. Ian

    Parafraseando com Felipe Neto, do youtube:
    As pessoa se preocupam cada vez menos com o crecimento intelectual e cada vez mais com o que é divertido e futil. Explica o sucesso de crepúsculo e do Big Brother. ” A vida não é um parque de diversões”

    Responder
  108. Pooter king

    Concordo com o Mareli, fato.

    Responder
  109. Renato

    Jurei que era a ultima vez, mas cada vez que abro essa new, me choco mais :/

    Pra mim, só pelo fato de Crepúsculo ser um livro que, certo, tem uma história fraca (um romance até meio bobinho, vamos dizer assim), mas fez jovens garotas começarem a ler, já é válido. Pense, muitas garotas (e garotos, eu também li Crepúsculo, vou me adicionar aí) deixaram de usar a frase até bem gasta de “Não vou ler, prefiro ver o filme” pra realmente ler um livro grande e com alguma história… Hoje é Crepúsculo, quem sabe amanhã não é Shakespeare, Jane Austen e tantos outros clássicos que Stephenie Meyer diz ter “se inspirado” pra criar Crepúsculo? Afinal, os jovens vão ler esses romances “inspiradores” e vão criar uma opinião própria sobre o assunto…
    Afinal, como eu já disse, livros foram feitos para serem lidos, e qualquer tipo de leitura é válida. Aprendi a ler com revistinhas da Turma da Mônica -fato.
    Desde livros infantis, até livros de sociólogos, historiadores e doutores de Universidade, tudo se adquire conhecimento.
    Então, acho que devemos parar de criticar tanto assim a obra da Meyer.
    E sério, eu não vejo perda de tempo aqui, Eme, embora concorde com várias coisas do que disse.
    E Ian, pelo amor de Deus, nada pode ser comparado a um nível tão baixo quanto Big Brother. Crepúsculo pelo menos faz uma pessoa adquirir conhecimento da língua portuguesa. Já Big Brother só faz você adquirir conhecimento de… bem… nada, a não ser o quanto a Globo é manipuladora e o quanto a sociedade brasileira tem um déficit de inteligência.

    E agora, mesmo que alguém me xingue aqui (por favor, não ouse) eu vou parar de comentar porque estou flodando os comentários do Ish totalmente UAHSHUSA

    Responder
  110. Paty

    O número de comentários e a discussão proveitosa deixa algumas pessoas irritadas, pelo jeito… :roll:

    Desculpa, tive que comentar.

    Concordo, em partes, com o Renato. Acho que Crepúsculo é melhor do que leitura alguma, e por intermédio do livro, algumas fãs podem conhecer literaturas melhores, mas o fato de Crepúsculo poder ser um ponta-pé inicial na vida de alguns fãs, não deve limitar as críticas, você cresce e percebe os erros.
    Isso, na verdade, acontece com HP também, como a Marina citou lá em cima, é bem diferente ler PF hoje do que quando eu tinha 10 anos, porque cresci e percebo falhas, isso não muda o fato de que foi um livro que mudou a minha vida e me inseriu no mundo da literatura, mas conforme amadureço e estou apta a criticar, acho válido, desde que seja pertinente. Jo mesmo sempre critica sua obra e se tem noção de que HP tem falhas, porque os outros não podem ter também? Publicar um livro é isso, abrir espaço para criticas, mesmo sabendo que nem todas serão positivas.

    Na verdade – e falo agora por experiência pessoal – grande parte dos fãs de Crepúsculo que leram outras coisas depois, são os ex-fãs de HP, as menininhas emos só sonham com o Edward e esperam que ele apareça para elas, então não sei até que ponto Crepúsculo foi intermediário, mas partindo do principio que tenha sido – o que é discutível e digno de uma análise psicológica das fãs kkk – é sim uma obra válida, ao menos por isso, mas respeitar não é, de forma alguma, não criticar. Respeitar é criticar mostrando que você leu e entendeu a proposta, a ponto de conseguir apontar erros, acho que as pessoas tem problemas com isso, mas se não querem ouvir críticas bem fundamentadas, é só não publicar nada. 8)

    Só para constar, acho que Meyer sabia desde o começo que escrever implica críticas e tenho certeza que ela lida com isso, bem como qualquer escritor tem que lidar, não receber criticas com maturidade e aprender a crescer com elas é ridículo.

    Responder
  111. Anônimo

    Renato é um idiota :D :D :D

    Responder
  112. Camila

    Caramba, como isso está rendendo.

    A Paty é uma chata, sabe? Toda vez que vem aqui diz tudo o que a gente quer dizer… Pô, Paty! ;)

    “Concordo, em partes, com o Renato. Acho que Crepúsculo é melhor do que leitura alguma, e por intermédio do livro, algumas fãs podem conhecer literaturas melhores, mas o fato de Crepúsculo poder ser um ponta-pé inicial na vida de alguns fãs, não deve limitar as críticas, você cresce e percebe os erros.
    […]
    Respeitar é criticar mostrando que você leu e entendeu a proposta, a ponto de conseguir apontar erros, acho que as pessoas tem problemas com isso, mas se não querem ouvir críticas bem fundamentadas, é só não publicar nada.” [2]

    Eu discordo que seja perda de tempo, há uma chance aqui de mudarmos essa situação boba. Não estamos cansados dessas ‘picuinhas’? O debate inteligente e racional é o caminho. Está certo que alguns não vão compreender. Tem gente que gosta de fechar a mente.
    Mas ignorar e deixar para lá não melhora nada, não constrói opiniões.

    Agora, vir aqui ofender o site, visitantes ou o objeto em discussão não convence ninguém e só mostra o pensamento de uma mente estreita e sem opinião fundada. /fikdik

    Beijos e muita paz nesses corações.

    Responder
  113. ALvo eterno

    Mareli falou e disse, ridículo o potterish se rebaixar tanto…

    Responder
  114. Viviane

    Nem sei porquê vou comentar…
    Cada um tem seu gosto para leitura. FATO!
    Eu li Crepúsculo por causa do “Potterish”, pois nos comentários muitas pessoas falavam do livro então resolvi ler.
    Eu gostei de Crepúsculo a pesar de ter gostado mais de Eclipse (para mim, o melhor da série). Lua Nova dramático demais, e Amanhecer só não foi pior que Lua Nova por causa da parte que a autora escreveu pela visão de Jacob.
    Não vou discutir aqui quem é melhor se HP ou Crepúsculo, mas…
    Eu amo, Harry Potter. Já fui apaixonada por Crepúsculo, mas agora só por Jacob. Só a tonta da Bella para deixar um lindo lobisomen quente por um estranho vampiro gelado…

    Responder
  115. Viviane

    O Potterish continua sendo o melhor site sobre Harry Potter, pois só posta notícias confiáveis (lembrei de uma aula na facul…). Não há fofocas dos atores, aqui só diz os novos trabalhos deles, etc. Ainda não li nenhuma notícia no Potterish que diz: ” Babado: Rupert Grint começou a sair com Fulana”. Isso sim que é site de credibilidade para fãs de Harry Potter.
    E gosto bastante destas resenhas, pois conhecemos outros livros além de HP.
    Sou fã da equipe Potterish. Pode crer!

    Responder
  116. Luciana Zulpo

    Bom, era para ter postado antes aqui, mas o universo conspirou contra e só pude ler os comentários agora.

    Acho que acabei jogando aí no meio o pomo da discórdia. Era esperado que as comparações entre HP e crepúsculo apareçam nos comentários, especialmente por essa resenha ter sido publicada em um site potteriano. Não foi, no entanto, a minha intenção fomentar essa discussão. A minha intenção foi a mesma da de outras resenhas que já escrevi: apresentar o livro, suas qualidades e deficiências, além de alguns pontos de discussão que a obra oferece (e não é, absolutamente, uma tentativa de converter os leitores em fãs do livro).
    Percebam que, apesar de esperado, não é natural que essa comparação venha à tona. Há outros livros com semelhanças a HP bem mais nítidas que não causam essa reação imediata. Essa competição só chegou a essas dimensões por causa da insistência da mídia nela, como foi apontado acima. Mas nós (fãs conscientes como sempre se encontra aos montes aqui pelo Ish), podemos passar por ela sem sobressaltos e termos grandes discussões produtivas e fundamentadas sobre o tema. De fato, como disse o Daniel, qualquer obra pode ser comparada com qualquer outra, sendo que comparação no caso não é sinônimo de taxar “melhor” ou “pior”. E, é claro, podemos analisar a obra Crepúsculo sem os preconceitos que vem dessa rixa. Eu apostei nesse último ponto, por isso não acho que foi corajoso escrever sobre esse livro, Paty, ou pelo menos não era para ser, rs.

    @Camila: Concordo que a série passou do ponto de acabar. Algumas repetições que no primeiro livro não chegam a ser um problema real – como, por exemplo, o constante maravilhamento da Bella com Edward – acabam ficando excessivas nos próximos livros. O relacionamento deles não passa dessa fase de encantamento inicial, explosivo, não atinge algo mais equilibrado e maduro. É um dos motivos pelo qual eu restringi a análise apenas ao primeiro livro.
    Apesar de eu também não achar ideal esse modelo de amor que implica em tanto auto-sacrifício, é uma proposta possível. É mais uma idéia a ser digerida, não obrigatoriamente adotada como bússola. Podemos concordar, discordar, discutir sobre, mas não chamar isso de problema literário (o que você não fez no seu comentário).

    @Bells e Ian: acho válido a preocupação com o crescimento intelectual das pessoas, bem como com a qualidade das obras que chegam a elas. Mas é preciso tomar cuidado ao taxar as obras de “sérias”. Cada produto artístico tem objetivo de propiciar algum estado de espírito em quem consome, que pode ser reflexivo, angustiado ou apenas alegre. Se a obra cumpriu o objetivo a qual ela se propôs, mesmo que seja pura e simples diversão, ela pode ser considerada “séria”, na minha opinião.
    Qualquer obra, por mais simples e rasa que seja, pode gerar alguma discussão, uma nova conexão, algum novo pensamento, que vai gerar, sim, um crescimento. Tudo depende de como as pessoas recebem essas obras. Há espaço para todo tipo de obras, e no mundo de hoje, você tem o acesso facilitado a todas elas, podendo escolher o que exatamente você está precisando no momento.
    Quanto aos “valores ignorados pela sociedade” o cuidado deve ser dobrado. O que é considerado virtuoso para um certo conjunto de pessoas, pode não ser para outros. Um exemplo interno à série é a questão da virgindade (ausente no primeiro livro), que é valorizada pelo personagem Edward. Para alguns, a obra estaria, portanto, propagandeando um benéfico “valor ignorado pela sociedade”, o que é extremamente discutível.

    @Priscila: Realmente, a perfeição de Edward é apenas quanto a seu físico (porque cada leitor pode imaginá-lo do jeito mais belo para si). Quanto suas atitudes, é muito questionável, mais ainda nos próximos livros. No primeiro livro seu personagem não é colocado em situações em que possamos ver realmente sua personalidade para que isso chegue a incomodar, pelo menos a mim.

    @Paty: eu também não queria um cara brilhante xD. Como estava dizendo, Edward não é perfeito, quando visto por nós. No entanto, Bella acha que ele é perfeito. E essa sensação de ter alguém que você julgue perfeito jurando que estará eternamente ao seu lado é algo muito atraente, que acaba vazado para o leitor. É essa sensação, não o Edward em si, que é algo altamente vendável. Acho que no caso um “Edward” é o sinônimo de um ideal de perfeição, que muda de pessoa para pessoa
    Concordo plenamente que um amor perfeito só existe quando se considera todos os defeitos do outro. Em crepúsculo isso acontece quando Bella aceita a natureza vampírica de Edward. Isso é assunto para um livro inteiro, e de fato foi desenvolvido ao longo do primeiro livro. Nos próximos era de se esperar que Bella questionasse os defeitos da personalidade humana dele, o que não acontece. Isso, na minha opinião, é algo que enfraqueceu demais a saga como um todo.

    De verdade, adorei o que você escreveu sobre o amor = )

    @Mik: Sobre os vilões. Eles são inexpressivos mesmo, tanto que eu não achei necessário citá-los na resenha. Eu deveria ter comentado algo, de fato. Eles existem com a clara função de criar alguma ação no final, sem ter alguma personalidade notável. Isso é um dos deficiências que eu deveria ter apontado, falha minha.

    @Pagu Polkadots: quando eu disse moda, estava realmente me referindo àqueles que opinam a favor ou contra uma determinada obra apenas para passar uma certa imagem de si (afinal, podemos saber muito de uma pessoa sabendo de seus gostos), levianamente, sem nem ao menos conhecer o livro.

    Só para finalizar. O Daniel já disse mas não custa repetir: as opiniões expressas nessa resenha não representam uma posição do Ish, sendo de responsabilidade somente minha.

    Responder
  117. Paty

    Vou parar de comentar, Camila! :cry: huahauahauah

    Sabe, Luciana, eu sempre tive a impressão de que o que atrai as garotas em Edward é a perfeição superficial mesmo, a beleza e o intelecto dele mostrados pela autora e não a forma como Bella o ama, pois me parece, que ela o ama por essas qualidades superficiais, já que fica perdidamente apaixonada quase imediatamente. Ele exerce uma atração muito forte sobre todos, isso está claro no livro, e ainda mais sobre ela que chega mais perto, tanto que Bella tem quase que um ”amor a primeira vista”, o que não é algo que eu considere possível, pois como disse antes, o amor é conhecimento para mim. Eu acho mesmo uma relação superficial, mas essa é minha leitura do texto, claro, e acredito mesmo que tem fãs que podem percebem essa atração subjetiva de que você fala.

    Sobre os defeitos, eu realmente acho que Bella supera isso em nome da perfeição aparente de Edward e não de seu amor por ele, e de sua atração pelo perigo. Em Lua Nova ela mostra que se sente muito atraída pelo perigo, e talvez Edward tenha alimentado essa atração dela. Agora, de fato, ela não questiona mais o lado humano de Edward e isso enfraquece a série, tanto que surgem tantas fãs de Jacob, porque ele não é perfeito, é humano e mais fácil de identificar e compreender. Edward é um estereótipo que não me convence mesmo. :|

    Eu nem entrarei muito na questão do Potterish ter ”se rebaixado”, pois as pessoas que comentaram isso nessa notícia, são aquela que nunca comentam no site, que não são fãs do Ish, mas querem acabar com as ótimas discussões que o site nos proporciona, é realmente lamentável que tenham fãs (se é que se pode chamar de fãs) com mente tão fechada, como bem disse a Camila.

    Responder
  118. Pagu Polkadots

    Eu nem entrarei muito na questão do Potterish ter ‘’se rebaixado”, pois as pessoas que comentaram isso nessa notícia, são aquela que nunca comentam no site, que não são fãs do Ish, mas querem acabar com as ótimas discussões que o site nos proporciona, é realmente lamentável que tenham fãs (se é que se pode chamar de fãs) com mente tão fechada, como bem disse a Camila.

    Simplesmente aplausos!
    Quem vem falar isso é igual fã insuportável de Twilixo! Discussão é sempre bom, e em nenhuma hora eu vi comparações.

    Fizeram a resenha do tolkien, não? alguém foi lá falar que o ish se rebaixou?

    Porque a galera não lê os outros comentários antes de responder?

    Responder
  119. Sphynx

    “eu sempre tive a impressão de que o que atrai as garotas em Edward é a perfeição superficial mesmo, a beleza e o intelecto dele mostrados pela autora e não a forma como Bella o ama, pois me parece, que ela o ama por essas qualidades superficiais”

    É a impressão que eu tive também, e é o que prvocou toda a visão negativa que eu tenho desse livro (ou seja, o primeiro, não tive estômago de ler o resto da “saga” sabendo que os seguintes são piores ainda).

    Se apenas a escrita fosse superficial, tudo bem, acontece, dá para perdoar e ler e dar uma chance para o autor amadurecer a escrita. Mas não se contentando com a redação superficial, a própria visão de mundo da narradora-personagem (e nesse caso, da obra) é uma ode à superficialidade.

    Bella Swan tem mil falhas de caráter, e em vez de evoluir e amadurecer no decorrer da história, não, a autora retrata isso como sendo positivo. Parece que o que a Stephenie Meyer tem a dizer ao mundo é que o segredo da felicidade é abdicar de toda personalidade e caráter, e se entregar levianamente a uma paixão doentia por um Adonis da vida, que não tem nenhuma qualidade além de aparência e frases feitas.

    Se bem que na visão da Bella Swan, que comprovadamente não bate bem da bola, se alimentar de sangue e poder te matar com um peteleco são qualidades também…

    Responder
  120. Ygor Otto

    Amoo os 2, não da pra comparar pois são obras COMPLETAMENTE diferentes, o resenha disse tudo.
    pra quem não entende e briga porque HP é melhor, a não Twilight é melhor leia e entenda o que é HP e o que é Twilight, pra mim os dois são maravilhosos, e são completamente diferentes FATO. cabe cada um saber o que te atrai mais. :)

    Responder
  121. Camila

    “Sabe, Luciana, eu sempre tive a impressão de que o que atrai as garotas em Edward é a perfeição superficial mesmo, a beleza e o intelecto dele mostrados pela autora e não a forma como Bella o ama, pois me parece, que ela o ama por essas qualidades superficiais, já que fica perdidamente apaixonada quase imediatamente. Ele exerce uma atração muito forte sobre todos, isso está claro no livro, e ainda mais sobre ela que chega mais perto, tanto que Bella tem quase que um ”amor a primeira vista”, o que não é algo que eu considere possível, pois como disse antes, o amor é conhecimento para mim. Eu acho mesmo uma relação superficial, mas essa é minha leitura do texto, claro, e acredito mesmo que tem fãs que podem percebem essa atração subjetiva de que você fala.

    Sobre os defeitos, eu realmente acho que Bella supera isso em nome da perfeição aparente de Edward e não de seu amor por ele, e de sua atração pelo perigo.”

    Aqui Paty tocou num ponto que eu já havia reconhecido e até agora não vi ninguém apontar. O que me leva a minha visão sobre Bella, Edward e o amor deles, Luciana.
    Há, do meu ponto de vista (bastante ênfase aqui), uma inversão de valores no que concerne os sentimentos de Bella.
    Explicando:
    O que vi nela foi um grande vazio. No decorrer da série fica cada vez mais aparente uma dependência emocional e até mesmo existencial da garota. Parece que, até conhecer Edward, Bella simplesmente “existiu”.
    O que Bella ama realmente é o fato de Edward, o cara mais lindo, forte, inteligente, etc, etc, amá-la e não ao próprio Edward como pessoa. O fato dele ser um vampiro não acho que seja um defeito na visão dela e sim um atrativo. Significa alguém ser alguém superior, capaz de existir para sempre e, o que é melhor, amá-la para sempre.
    A partir daí ela se torna totalmente dependente desse sentimento de plenitude, como um vício em alguma droga. Ela não é mais capaz de existir por si própria e quando Edward se vai ela procura isso em outra ‘fonte’. Daí a atração pelo perigo que Paty mencionou e o envolvimento com Jacob.
    Foi isso que eu quis dizer com doentio num dos meus comentários. Claro que essa é a minha visão. Muita gente acha bonito esse “eu não existo sem você”. Mas quando eu vejo uma garota pensando ou até tentando se matar porque o namorado terminou com ela, “Ai, que lindo!” não é o que me vem ao pensamento.
    Exagero? Não. Essa situação – garotas (e garotos até, mas isso é muito mais comum entre as mulheres) dispostas a dar um fim à própria vida – é beeeem menos incomum do que se imagina.
    Já tive dois exemplos na vida:
    1º: quando entrei numa escola nova para cursar o Ensino Médio fiquei sabendo que, no ano anterior, uma garota de 16 anos ameaçou se jogar de uma janela do 3º andar do prédio da escola. Motivo: o namorado havia terminado com ela.
    2º: Conheci uma moça, há alguns anos atrás, que passava por um mal momento. Há pouco tempo a melhor amiga tinha se suicidado. Se jogou de uma ponte (ou viaduto, não lembro muito bem). O motivo: o namorado havia terminado com ela.
    Quero deixar claro àqueles que possivelmente tenham se sentido incomodados que não estou dizendo, com isso, que Crepúsculo é ruim. É apenas uma análise de uma personagem. Como já comentei antes e como a Luciana entendeu (Obrigada, Luciana! ;) ), não se trata de um problema literário mas sim de uma discordância ideológica.

    Responder
  122. Camila

    Desculpem, acho que floodei um pouco. XD

    Responder
  123. Luciana Zulpo

    Concordo com você, Camila=)

    Nós temos a impressão de que nada muito memorável aconteceu na vida pregressa da Bella, nada que valesse a pena ser contado. Como bem disse você, parece que ela só “existiu” até ali. Acho que essa sensação de vazio, de que nada realmente importante acontece, de que algo está faltando, é algo fácil de se identificar para vários leitores.
    Então ela, somente ela, descobre que o garoto sentado do outro lado do salão é um ser sobrenatural. Isso é algo diferente, relevante, único a ela. Depois de 17 anos com uma vida muito, muito normal (com isso quero dizer sem grandes desgraças ou felicidades), aparece do nada um vampiro. E ninguém pode falar que vampiros são super do cotidiano. Bella não tinha expectativas de um futuro brilhante, ela mesmo fala que pretende apenas sobreviver ao colegial e depois, quem sabe, ela vá viver em algum lugar bem ensolarado como ela gosta. Mas então, em um segundo, seu futuro é preenchido por possibilidades fantásticas e amedrontadoras. Isso é como uma injeção de vida para ela. O mundo é então um lugar mágico. Algo que era só uma lenda agora existe. Ela se sentiu resgatada de sua vida sem graça e projetou todo esse sentimento de estar viva sobre Edward- ele é culpado por ela estar assim. Por isso, acho que tanto a beleza quanto o amor dele, no primeiro momento, não importam. O que importa é que o simples fato dele existir a salvou – e ela está agradecida. Tão agradecida que esse sentimento se transforma (ou se confunde) rapidamente com amor à primeira vista.
    É claro que misturado a tudo isso há a beleza superficial de Edward, não é algo que posso ser desconsiderado. É com certeza, como a Paty disse, algo que atrai as leitoras, porque atrai a Bella – que está filtrando para nós a aparência de Edward.

    Então, em uma subida exponencial de felicidade, Bella descobre que ele está apaixonada por ela. O ponto não é exatamente a forma como a Bella o ama, Paty, mas sim a forma como Edward ama. Ele a ama incondicionalmente, para o resto da eternidade. E sem questionamento. Que eu me lembre, o único momento em que ele demonstra dúvida sobre o amor de Bella é quando ele pergunta se ela estava ansiosa para se tornar vampira por ele ou pela vida eterna. Sendo mais clara, é a sensação de se sentir amada que é agora o ponto. É isso que trasborda para os leitores.

    Então, na minha opinião, acho que o que fundamenta a paixão de Bella são estas três coisas: o salvamento de sua apatia, a beleza de Edward, a promessa de amor eterno dele. E também são esses os pontos que são comprados pelos leitores, em diferentes proporções para cada um.

    Em Lua Nova, tudo isso desaparece de uma hora para outra, do mesmo modo que surgiu. Ela é colocada de volta no ponto de onde ela partiu – em sua vida normal. A sensação de apatia volta, mas ela não consegue mais continuar “existindo”. Porque ela conheceu uma existência que considerasse plena. Isso não pode ser apagado. Isso vai fazer falta, de uma maneira que a imobiliza. Bella deixou que a sua vida passasse orbitar totalmente Edward, o que na minha opinião é algo muito desequilibrado (acho que doentio também é um modo de descrever). Mas não acho inverossímil.
    Agora, a atração pelo perigo. Ao colocar-se em situações perigosas, Bella arrisca sua vida. Acho que, na iminência de perdê-la, talvez ela possa sentir de novo seu valor, sentir-se viva de novo. Fora o fato de que “perigo” está muito relacionado com o Edward, então ela se sentia o mais próximo o possível dele, de uma maneira meio tortuosa.

    Responder
  124. Luciana Zulpo

    Ah, eu esqueci de agradecer a quem gostou da coluna, a quem sugeriu outros pontos que deveriam ter aparecido, enfim, à toda crítica construtiva. E também a quem está alimentando essas discussões que já extrapolaram a proposta da resenha, indo por rumos muito interessantes. Vocês são demais!
    Muito obrigada = D

    Ah, sim, quem odiou a resenha, achou uma traição à HP ou coisas assim… há espaço para todos
    8)

    Responder
  125. Ney

    Crepúsculo = Lixo. #FATO

    Responder
  126. Ta WP

    O Ish sempre me surpreede, mais dessa vez foi a Luciana, que se manteve neutra em relação as Saga.
    Eu só fico chateada em ver pessoas tão civilizadas atacando a literaura independete da capacidade do autor. MAis Luciana, sério aodrei. Porque você nçao escreve dos outros?

    Responder
  127. Lola

    “não vou chamar isso de saga, não merece nem o titulo de serie”, adorei Gê! Concordo total.
    Bem, sobre Twilight, eu confesso q eu li todos os livros. Mas não prq quis, não, prq minhas amigas disseram q era legal, compraram os 4 livros pra mim e tals, e eu li. Sinceramente, foi o pior livro q ja li na vida. :|
    Crepúsculo, pra mim, tem como único atrativo a aldeia La Push, q eu quis saber se existia de verdade (ridiculo, eu sei, + existe – haushauhaushau). Lua Nova é chato pra caramba e o filme tem 3 horas nas quais não acontecem (foi mal a palavra) merda nenhuma, fica naquela droga de Jacob – Bella – Jacob.Eclipse, eu só gosto da história trágica e fúnebre da Rosalie. E Amanhecer? Bem, esse sim é o pior livro q ja li na vida e o desfecho eh pior do que o de um livro infantil, com lição de moral.
    Eu respeito quem gosta de Crepúsculo (leia – se: minhas amigas mui “espertas e com gosto bom de livros” – por favor, notem a ironia) + não posso deixar de expor minha opinião sobre esses péssimos livros. Não entendi o objetivo da resenha… aqui não é um fan site dedicado a HARRY POTTER?…
    O q uma resenha de vampiros gays e meninas chatas e sem graça está fazendo aqui? Extrapolem falando e produzindo resenhas sobre coisas realmente interessantes, como os personagens mais complexos de HP, sei lá… Só sei q qualquer coisa eh melhor q crepúsculo. e q eu ainda não vou morrer sem descobrir o prq essa droga se tornou “fenomeno mundial” (até minha vó fazendo um vídeo caseiro com a galinha do vizinho é mais fenomeno q teilight maasss…)

    Responder
  128. Lola

    E, pois é, @Alexandra, vc tem razão, Edward diz mts vezes no livro o quanto só se preocupa com a segurança de Bella, o quanto não merece ela… Tá vendo! Até ele sabe o quão é chato e egoísta. E imaturo, por mais q tenha sei lá quantos anos.

    Responder
  129. Gláucia Lidiane :D

    Preguiça de ler os coments acima maisss, Stephen King é o cara, alguns dos fãs d HP acham a Meyer uma va#$%, ele também, se ele disse que crepusculo é uma bos%$ relevem gente. Peace, Love and Happiness e go Brasil, :D

    Responder
  130. Daniel

    Achei que o Stephen foi um doce com a Meyer falando que Crepúsculo é emocionante. Não me emocionou nada.

    Responder
  131. Fernando

    Daniel, HP e Crepúsculo tem públicos diferentes. Harry Potter atinge desde criança, passando por adoslescentes, até adultos. Crepúsculo, não. A maioria esmagadora do público de Crepúsculo é feminino e adolescente. Ou alguém aí já viu algum homem de 35 anos segurando um exemplar de Crepúsculo?

    Responder
  132. Daniel

    Eu sei disso, oras. Embora na verdade já vi um trintão segurando um exemplar de Crepúsculo, acredite, hehe

    E também conheço diversas adolescentes leitoras (leitoras de verdade, não as que se gabam de ler mil páginas da Stephenie Meyer e se acham Hermione Granger) que acham Crepúsculo tão emocionante quanto cocô boiando na privada.

    Responder
  133. Daniel Mahlmann

    Lola,

    Nós temos duas seções distintas no Ish, a primeira é a de Colunas, que existe há anos e é onde os nossos escritores abordam qualquer tema relacionado ao mundo de Harry Potter, e a segunda é essa de Resenhas, onde os resenhistas expõem um pouco do mundo de obras fora-Potter, com o intuito de fazer os fãs de HP se interessarem e explorarem outros livros, uma vez que o mundo da literatura é infindável.

    Responder
  134. ju mello

    Acho que achar um “bosta” é uma coisa muito relativa. Cada um tem sua visão.
    Dizer que a saga não tem fraquezas e erros seria uma mentira. Mas qual é o problema de amar aquilo que te faz feliz de algum modo? Eu realmente sou fã de Twilight e não me envergonho de dizer isso. Lixo seria aquilo que te faz mal, que te retarda de algum modo e de jeito nenhum a saga trouxe isso pra mim.
    Então, não intendo esse alvoroço todo contra Twilight. A mundo da literatura é um mundo que você pode se perder, se aventurar e identificar-se. Qualquer livro que venha para o bem e que te traga esses beneficios já são bons livros.
    Porque, pra mim, o que importa é imaginar e não vejo problemas nisso.
    E comparar HP com TS é totalmente rídiculo. É como comparar duas coisas opostas e achar uma semelhança entre elas. Nunca vai ser igual.
    Desculpem àqueles que me acharam “rasa” demais. É minha opinião.

    Responder
  135. Lola

    ;) Ok, Daniel Mahlmann, concordo q os fãs, não só de HP, mas de qualquer coisa não devem se limitar apenas aquilo do qual são fãs, porém, eu achei estranho e um tanto polemico falarem sobre Twilight, já q este mesmo é motivo de briga contra HP e vice – e – versa. Concordo q não devemos nos limitar a nd, mas não concordo q Twilight possa ter o mesmo ou quase nivel igual ao de HP!

    Responder
  136. Larissa

    Acho que tanto um como outro tem sua magia e foco.
    Gosto é gosto, mas ficar “massacrando” o estilo de escrita de uma ou outra autora, tal como suas obras me parece riavlidadezinha de adolescente que não tem mais nada pra fazer…

    Quem fala mal deveria fazer melhor.
    Acho ambas histórias lindas, que não têm nada a ver com a outra e é necessario um pouco de maturidade pra discernir isso.

    Esse povo que fala mal parece eu quando tinha 15 anos rs. Defendendo alguém que não pede pra ser defendido.
    E convenhamos, nem precisa…
    Abram um pouco a cabeça, tanto Pottermaníacos como Twilighters …

    Responder
  137. Rebeca

    Eu amo Harry Potter e Crepúsculo. Acho que essa rixa entre as duas series é besteira.Os dois livros sao completamente diferentes.É claro que HP é praticamente escrito pra adultos e jovens em geral.Crepúsculo é mais adolescente. HP não conta uma história de amor, seu foco é sobre amizade, vingança, magia.Crepúsculo é basicamente um romance, conta a história de um amor proibido.
    Tudo bem que a escrita de J K é muito mais rebuscada, enquanto o de Meyer é mais simples.
    Só acho que cada um tem seu gosto e sinceramente o que os fas vão ganhar xingando a outra série?
    HP já é praticamente um clássico e vem fazendo sucesso ha muito tempo. Crepusculo comecou agora e fez sucesso. E daí?
    Vamos fazer as pazer e cada macaco no seu galho. Não precisa gostar, mas so não precisa fazer esse showzinho patético que as pessoas estão fazendo. é muita infantilidade.

    Responder
  138. b´´´

    a única coisa que as séries tem a ver: harry potter abriu espaço no mercado literário para séries como crepúsculo. fato.
    bom, eu não li crepúsculo, não lerei e não acho que a série tenha alguma mensagem importante a passar, a não ser mostrar homens ‘perfeitos’ e lobisomens sem camisa. prefiro algo que acrescente liberdade e direitos iguais às mulheres, e acho que até nisso HP é superior: temos mulheres ocupando cargos importantes de igual para igual com homens em HP, Hermione não é a típica ‘garota do grupo’ bonita e desmiolada, e sim alguém inteligente, de opinião própria e senso crítico.
    bjs.

    Responder
  139. Bárbara

    Eu já li todos os livros de crepúsculo e gostei, apesar de reconhecer que ela nao merece toda essa fama que tem… odeio quando comparam crepusculo com hary potter… é muito facil conquistar vario fãs inventando um garoto perfeito, diferentemente de harry potter, nao precisa ser nenhum genio pra escrever uma historia como crepusculo…
    mas valeu a resenha! afinal, é um livro famoso…

    Responder
  140. Anne

    MUITO BOA A RESEHA SO QUE :

    [size=200:2nvo7251]Bella é a maça de Edward e Edward é a maça de Bella [/size:2nvo7251]

    Responder
  141. Aline

    Percebi uma quantidade enorme de pessoas, de todas as idades lendo o tal do Crepúsculo, com uma fã alucinada por livros que sou, não resisti a tentação de saber do que se tratava, então lá fui eu, em busca de 4 livros para ler…

    Quando li Crepúsculo me decepcionei, mas não podia criar pré-conceitos sobre a saga sem ter lido os 4 livros por completo, então fiz um esforços muito mais que sobrenatural para terminar de ler a saga toda… (Desperdício de tempo)

    O que eu tenho a dizer sobre ela? O QUE O POVO VIU NAQUELES LIVROS?

    Para adolescentes que estão carentes de amor e atenção paterna eu até entendo que gostem dos livros, mas eu vi pessoas que eu pensava, teriam mais senso critico sobre literatura lendo Crepúsculo.

    Pura e simplesmente, não há um pingo de qualidade literária nos livros, os personagem são superficiais, o enredo não é criativo, (A mesma história de sempre da bela e a fera, mocinha indefesa que precisa ser protegida, esse tipo de mulher existe na nossa sociedade atual?).

    Sem contar que a própria autora se contradiz Bela é comum, mas existe 5 caras que a adoram, ela é altruísta, mas quase mata seu pai de preocupação indo para a Itália sem nem sequer lhe dar um telefonema, ela é madura e inteligente , mas se joga de um penhasco para ver uma “imagem” do homem que a deixou – quando amor próprio.

    Sem contar que os 4 livros não fogem do mesmo enredo principal, tem a Malvada da Victoria – a qual o leitor não tem acesso a personalidade – que quer matar ela, e os Volturi que querem matar ela.

    Ah sim, e não vamos deixar de mencionar que Eduard tem 109 anos, mas tem saco e paciência para aturar uma adolescente insegura.

    E o mais preocupante de tudo, o livro é uma pedofilia pura e ninguém sequer reparou nisso, afinal um dos Lobisomens da saga se apaixona perdidamente por um bebe!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! O próprio caso Bela X Eduard! Ele tem 109 e ela é uma adolescente. Pode estar encoberto e sutil, mas está lá…

    Que me desculpem quem gosta de Crepúsculo, mas é o pior livro que eu já li, e estou falando de qualidade literária de enredo de criatividade…

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *