Nota do resenhista Uma parte da maldição foi quebrada. Agora, eles precisam desvendar os mistérios que cercam a segunda parte da profecia que irá ajudar os tigres a voltarem a ser homens. O romance entre Kelsey e Ren atinge novos rumos, mas quando ele é seqüestrado, ela se volta para Kishan. Juntos, eles embarcam em uma nova aventura para desvendar a profecia e para resgatar Ren. Mas talvez a verdadeira batalha ainda esteja para começar.



   Tempo: para ler de um tiro só no fim de semana.

   Finalidade: para ficar na ponta da cadeira.

   Restrição: não gosta de perder tempo com longas descrições.

   Princípios ativos: Tigres, Maldição, Mitologia indiana, História, Aventura.


O resgate do tigre, de Colleen Houck.

Kelsey deixou Ren, certa de que ele logo iria esquecê-la. De volta ao Oregon, ela acaba descobrindo já estar matriculada na faculdade, ser dona de uma casa e de um carro e ter uma bela conta no banco. Supostamente, é seu pagamento por ajudar a quebrar a maldição de Ren e Kishan. Ela tenta levar uma vida normal, mas a lembrança de Ren a deprime constantemente. Ela tenta se relacionar com outros caras, e depois de alguns encontros desastrosos, ela encontra em Li, colega das aulas de artes marcais, um bom companheiro. Até Ren aparecer em sua porta. Achando que ele ficaria magoado, Kelsey fica surpresa quando ele a estimula a sair com outros caras para ter certeza do que realmente sente. Mas eles não conseguem ficar separados por mais tempo, e voltam a namorar. Mas o medo de Lokesh é grande, então Kishan chega para ajudar. Só que o feiticeiro não está tão longe e acaba capturando Ren. Kishan e Kelsey tem que voltar para a Índia, descobrem mais sobre a profecia e embarcam em uma nova aventura para resgatar Ren e quebrar a maldição. Nesse tempo, Kishan não força nada, mas faz questão de mostrar que a ama. Dentre novos perigos, visões e lugares fantásticos, Kelsey descobre que o resgate de Ren se provará mais difícil do que nunca.

Como o primeiro, esse livro é de tirar o fôlego. Muita aventura, ação, muita mitologia e história, muito romance… Tá bom, essa parte me irritou com a frescura de Kelsey, principalmente quando ela se referia o tempo todo a Ren como “arcanjo guerreiro”. Sério, ela era tão babaca às vezes que eu tinha vontade de socá-la. O final do livro realmente se revelou uma surpresa, mas acho que já estava subentendido na visão que ela tem de Ren prisioneiro. Uma continuação excelente, que deixa um gosto de quero mais.

Resenhado por Natallie Alcantara.

*Título original: Tiger’s quest.
432 páginas, Editora Arqueiro, publicado em 2011.