A história da Bela e a Fera é uma verdadeira história de amor, onde a pessoa aprende a valorizar o interior do indivíduo, ao invés do exterior. No mundo atual, onde a aparência conta mais do que tudo, esse tema continua sendo atual, então foi muito bom ler uma nova versão desse conto.

Leiam aqui a minha resenha e comentem se vocês também seriam capazes de amar uma fera.

 

 

“A Fera”, de Alex Flinn

Tempo: para ler de um tiro só no fim de semana.
Finalidade: para pensar.
Restrição: para quem não gosta de perder tempo com coisas moderninhas.
Princípios ativos: Contos de Fadas, Fera, Feitiço, Bruxa, Maldição.

 

Os contos de fadas estão de volta. Mas, como no mundo moderno as histórias clássicas estão sofrendo variações, com eles não poderia ser diferente. E se você fosse um cara rico e egocêntrico que, de uma hora para outra, perde toda sua beleza por causa do feitiço de uma bruxa? Conhece essa história? Prepare-se para uma versão moderna de um dos mais populares e bonitos contos de fadas que existem.

A Fera
Kyle Kingsbury é um cara rico e egocêntrico que acha que beleza é tudo. Filho de pai famoso, ele humilha qualquer um que não possa se comparar a ele em beleza e riqueza. Ele convida Kendra, sua colega gótica esquisita para um baile no intuito de humilhá-la, quando na verdade vai à festa com sua namorada super popular Sloane. Quando Kyle aparece com um ramalhete de rosas brancas, Sloane faz um escândalo. Então, ele oferece a flor para outra aluna, uma que ele nunca havia notado (nem mesmo pra tirar sarro). Kendra chega ao baile e Sloane não perde a chance de humilhá-la, como Kyle. Mas Kendra está longe de se sentir ofendida. Pelo contrário. Mesmo continuando sua diversão, Kyle não consegue esquecer o olhar e as palavras da garota gótica. Ao chegar em casa, ela está lá, esperando por ele. E o amaldiçoa, transformando-o num monstro. Mas Kendra lhe dá uma chance de voltar ao normal: se num período de 2 anos ele encontrasse o amor verdadeiro e a pessoa se apaixonasse por ele, o feitiço seria quebrado. Caso contrário, ele continuaria uma fera para sempre.

Seu pai parte em busca de médicos e tratamentos, mas todos são taxativos: não há como Kyle voltar ao normal. Sem nada para fazer, Kyle começa a bisbilhotar a vida de seus “amigos” e colegas através do espelho mágico que havia encontrado. Enquanto isso, ele se muda de sua cobertura para uma casa de pedra no Brooklyn com sua empregada Magda e seu tutor cego, Will. O tempo passa e Kyle, agora Adrian, começa a avaliar sua vida e o tratamento que dispensava aos que considera inferior a si próprio. Quando sua estufa é invadida por um ladrão, Adrian tem nas mãos a chance que precisa: o ladrão não é ninguém menos que o pai drogado de Linda Owens, que oferece a filha em troca de não ser preso. E quando Linda chega, Adrian deseja que ela não o odeie por mantê-la presa.

No início, é justamente isso que ela sente, mas após vê-lo e conhecê-lo, eles se tornam amigos. Adrian percebe que já está apaixonado, mesmo sabendo (ou achando) que ela nunca iria amar uma fera. Ambos se divertem bastante quando viajam juntos, até Linda descobrir que seu pai está passando por dificuldades maiores que antes. Ela vai embora e Adrian volta a espioná-la como antes, sem esperança alguma. O tempo continua passando. No dia em que o feitiço deveria ser quebrado, eles voltam a se encontrar, mas a situação é grave. Será que Kyle volta a ser um cara normal ou será uma fera para sempre?

Um livro ótimo, com dois pontos altos. O primeiro é o fato da história de Kyle ser entremeada com as conversas online entre a Fera e seus amigos “fantásticos” (como a sereia que se apaixona pelo humano). O segundo diz respeito às referências feitas tanto a visão comum deste conto (da Disney, com o espelho mágico) quanto ao conto clássico (a Fera adorar rosas). Um romance lindo que, assim como o conto, nos faz avaliar melhor o que realmente importa na vida.

 Resenhado por Natallie Alcantara

320 páginas, Editora Galera Record, publicado em 2011.
*Título original: The beastly.

Onde Comprar