Para conhecer a si mesmo – e o mundo ao seu redor – é necessário um olhar atento ao que o ser humano é capaz de fazer, mesmo em situações que só existem em um mundo onírico. Por isso, tornou-se essencial a transcrição de antigas histórias passadas de pais para filhos numa época em que a contação de histórias pura e simples era o maior entretenimento possível. Dentre os grandes escritores que deram vida aos Contos de Fadas sob a forma de tinta e papel, os irmãos Wilhelm e Jacob Grimm tem notório destaque.

Ainda em comemoração ao Dia Internacional do Livro Infantil desse último 2 de Abril, o Clube do Livro traz a vocês uma análise de uma compilação de qualidade inquestionável dos Contos dos Irmãos Grimm. Leia a resenha de Natallie Alcantara do livro e nos dê sua opinião sobre esse importante pilar na formação das crianças que são os Contos de Fadas!

“Contos dos Irmãos Grimm”, de Clarissa Pinkola Estés

Tempo: para ler de um tiro só no fim de semana.
Finalidade: para pensar.
Restrição: para quem tem dificuldade com pontos de vista alternativos.
Princípios ativos: Contos de Fadas; Folclore; Alemanha; Clássicos; Psicanálise.

Os irmãos Grimm foram dois dos principais coletores das histórias repassadas oralmente, que hoje são conhecidas como Contos de Fadas. Seus contos abordavam os costumes da época, o encantamento e a magia. Esses contos têm papel significativo no mundo literário infantil, pois desenvolve potencialidades mentais e espirituais, e contribui para a concepção integral do ser humano.

Essa edição traz 53 histórias acompanhadas de belas ilustrações do mestre vitoriano Arthur Rackham (1867-1939) e apresentadas pelo prefácio da analista junguiana Clarissa Pinkola Estés. Ela explica e discute o conceito de contos de fadas, fala da sabedoria que encontramos nas histórias e sobre a questão da imaginação. Em seu ensaio A Terapia dos Contos, a Dra. Clarissa discorre sobre a história, a moral e o simbolismo das narrativas compiladas pelos Grimm no início do século XIX. Numa época sem rádio, televisão e computador, quando mesmo a escrita era um luxo para poucos, os Contos de Fadas eram passados de geração em geração para serem contados em família, à noite, junto ao fogo. Dependendo do narrador e da audiência, eram histórias em maior ou menor escala carregadas de sexo e violência, escatologia e sátira social.

Com seleção e prefácio explicativo da Dra. Clarissa, o livro traz os mais belos contos acompanhados de sua história. E Arthur Rackham é o principal responsável pela concepção visual dos Contos de Fada; com um talento ímpar garantiu que seu trabalho fosse reconhecido até hoje. Seu grande conhecimento em anatomia fez com que seus personagens humanos refletissem um verdadeiro aspecto de ossos sob pele. A isso se soma a habilidade de colorista, com profunda percepção de cores intensas, na terminologia contemporânea.

Resenhado por Natallie Alcantara

316 páginas, Editora Rocco, publicado em 2005.
Título original: “Tales of the Brothers Grimm”. Publicado originalmente em 1999.

Onde Comprar